Foto: Vanessa Alencar / Cada Minuto
Rodrigo Cunha e JHC

Na manhã de hoje, 16, durante a convenção partidária que confirmou a candidatura do deputado federal João Henrique Caldas, o JHC (PSB), à Prefeitura de Maceió, o senador Rodrigo Cunha (PSDB) voltou a frisar o apoio do “ninho tucano” ao socialista, mesmo não tendo indicado o vice na chapa, como era esperado. 

O vice de JHC, na disputa pelo Executivo municipal, é ex-governador de Alagoas, Ronaldo Lessa (PDT). 

Não é segredo – entretanto – que o PSDB vivenciou uma disputa interna, que foi protagonizada pelo senador Rodrigo Cunha e pela deputada federal Tereza Nelma, justamente por conta do espaço de vice na chapa do PSB.

Todavia, antes mesmo disso, os deputados estaduais da legenda – Cibele Moura e Dudu Ronalsa – já haviam deixado claro que não apoiariam JHC. 

Moura e Ronalsa marcharão – em Maceió – ao lado do candidato e deputado estadual Davi Davino (Progressistas). JHC levou, formalmente, o apoio do PSDB e do senador Rodrigo Cunha, mas não terá ao seu lado os líderes do partido. 

Para Cunha, “essa é uma situação que o PSDB vai analisar internamente, com a comissão de Ética, e vai se posicionar sobre o assunto”, frisou. O senador evita alimentar a polêmica. 

Não é a primeira vez que isso ocorre, com o ninho tucano, em uma eleição. Vale salientar que, em 2018, o próprio senador Rodrigo Cunha se distanciou das alianças firmadas pelo partido, não marchando ao lado do ex-senador Benedito de Lira (Progressistas), quando esse tentou renovar o seu mandato no Senado Federal, mas acabou derrotado nas urnas. 

Eram dois candidatos ao Senado na chapa. Um era Cunha. O outro era Lira. 

Cunha também não apoiou a candidatura ao governo estadual do senador Fernando Collor de Mello (PROS), que desistiu da disputa pelo Executivo justamente pela ausência de apoio de seu próprio grupo, sendo substituído pelo ex-delegado da Polícia Federal, José Pinto de Luna (PROS). 

A diferença é que – naquele momento – Cunha se distanciou completamente da eleição para o governo do Estado e focou em chegar ao Senado Federal, obtendo êxito e sendo o mais votado. Portanto, não esteve ao lado adverso do “ninho tucano”, ainda que não concordasse com os rumos da legenda.

Uma das únicas alianças firmadas por ele foi justamente com o deputado federal João Henrique Caldas, o JHC, que renovou o seu mandato na Câmara dos Deputados.

Essa aliança rendeu a JHC a indicação da mãe Eudócia Caldas para ser suplente do senador Rodrigo Cunha, além da relação que se estreitou e resultou no acordo político fechado esse ano para a disputa da Prefeitura de Maceió. 

O xadrez de Rodrigo Cunha – segundo bastidores – visa o ano de 2022. Caso seja eleito, JHC apoiaria o senador tucano para o governo estadual.