Tribuna Hoje/Cortesia
Cientista Político, Ranulfo Paranhos

Dos pré-candidatos a prefeitura de Maceió, apenas o ex-procurador Alfredo Gaspar de Mendonça (MDB) confirmou a composição de chapa na disputa, que terá como vice o ex-secretário municipal Tácio Melo. Pelo calendário da Justiça Eleitoral, os nomes dos vice devem ser anunciados até o dia 16 de setembro, mas para o cientista político, Ranulfo Paranhos, essa demora vem sendo reflexo do esvaziamento de lideranças políticas. 

Em entrevista ao Jornal Tribuna Independente, Paranhos analisou que a escolha do vice sempre foi feita para maximizar as chaces de vitória da chapa, sendo ele uma pessoa com algum tipo de inserção em algum setor da sociedade ou no meio político. 

O cientista coloca ainda que os nomes ainda não saíram porque são frágeis diante da conjuntura política, já que todos estavam articulando suas decisões sem mesmo saber quando as eleições iram ocorrer.

 Por outro lado, Ranulfo não essa situação não é apenas uma realidade local e que sofre diversas interferências, como o aumento no foco da conjuntura nacional, que acaba enfraquecendo da política local. 

“Não creio que seja culpa do cenário local. Estamos muito voltado – há algum tempo – para a política nacional. Ela tem sido tão efervescente e tão diária que atrai a atenção somente para si. Isso mudou nosso foco. Há um bombardeio de informação da política nacional do que local nas ruas", colocou ele.