Assessoria
Erivaldo Mandu, prefeito de Mata Grande.

​A cidade famosa pelo seu clima agradável em pleno sertão foi apanhada de surpresa no último dia 27com uma bomba que aqueceu o clima político: a possível inelegibilidade do atual Prefeito, Erivaldo Mandu, para a disputa à reeleição no pleito de 15 de Novembro.

Procurado pela redação, o Assessor Jurídico, Dr. Marcelo Brabo, renomado advogado alagoano, respondeu: “Recebemos por parte da Câmara Municipal de Mata Grande uma Declaração de que esta substituição não ocorreu em 2016, estamos de posse das Atas da Câmara Municipal que comprovam também que realmente não houve esta substituição em 2016. Tudo não passa de um factoide”, como pode ser comprovado no vídeo enviado à Redação.

Em contato com o Prefeito Erivaldo Mandu, este reafirmou a sua pré-candidatura à reeleição. Disse ele: “confirmo a minha pré-candidatura. Vejo a matéria como mais uma tentativa de minar o apoio popular que tenho recebido dos matagrandenses. Eles são os meus melhores e únicos aliados nesta disputa que, apesar de ainda nem ter começado, já dá sinais de como será. Enquanto isso, eu sigo fazendo o que mais gosto: trabalhando pela minha cidade, lutando contra a ameaça da Pandemia e andando na linha, com transparência, responsabilidade e com a minha dignidade mantida em toda sua integridade. O que eu quero é que Mata Grande tenha eleições limpas onde seja respeitada a decisão soberana de sua gente”, enfatizou.

A matéria também chamou a atenção do advogado matagrandense, David Gomes, que afirmou em suas redes sociais: “...Os documentos que foram divulgados não provam nada sobre uma possível inelegibilidade do atual Prefeito do Município de Mata Grande. No máximo, provam um possível conluio, à época, para tentar prejudicá-lo, orquestrado, em tese, por um grupo político rival”.

O que na verdade se espera é que o povo de Mata Grande possa desfrutar do seu clima ameno e faça suas escolhas com base na verdade e nos projetos que forem apresentados pelos candidatos para o benefício da cidade e de sua gente para os próximos quatro anos. Como diz Dr. Marcelo Brabo, “eleições se ganha nas urnas, não no tapetão”.