O governador Teotonio Vilela disse, nesta terça-feira (4), durante reunião com o Fórum Permanente do Comércio (Foco), na Associação Comercial de Maceió, que a reconstrução de Alagoas passa pela responsabilidade do Poder Público e da sociedade. “É um trabalho de todos”, reforçou o governador, que apresentou um relato das ações que tem feito para tirar Alagoas dos indicadores negativos.

“Não podemos continuar a ser sempre o Estado de piores índices sociais deste país”, afirmou o governador.

Segundo Teotonio Vilela, em Alagoas a sociedade assiste aos problemas como telespectadora. “Vocês são empresários, são representantes do setor produtivo do Estado, não podem simplesmente não tomar partido, não sentir as consequências do fato de sermos um Estado com maior número de analfabetos, com o mais baixo índice de saneamento, com o maior déficit habitacionall, com o mais alto índice de mortalidade infantil”, acrescentou.

“Vocês não podem assistir isso em silêncio”, convocou o governador Teotonio Vilela.

“Vim aqui pedir para que vocês participem mais dos problemas do Estado, que assumam posições, que sejam parceiros do Estado discutindo e buscando viabilizar soluções para os problemas que nos afligem tanto, que maltratam tanto Alagoas, que permitem que tenhamos, ainda, em Alagoas, mais da metade da população vivendo abaixo da linha de pobreza”, enfatizou.

“Há 12 anos, os alunos da rede estadual de ensino perderam três anos letivos consecutivos por causa de seguidas greves na Educação. Agora, estamos novamente enfrentando nova greve de professores em nosso Estado, onde a maior vítima é a mesma de 12 anos atrás, é o aluno”, advertiu.

“Apesar de todas as dificuldades financeiras de Alagoas, o professor de nível superior de Alagoas recebe o quarto maior salário do país e em nenhum momento fechamos as portas do governo para negociar, debater, conversar com os servidores”, salientou.

“Ao contrário, eu mesmo tenho recebido em meu gabinete, membros da CUT, do Sinteal, dos servidores do Estado, para discutir reajustes e melhorias para todas as categorias de funcionários públicos estaduais, mas uma coisa eu não abro mão nessas discussões, que á a minha responsabilidade como gestor diante da Lei de Responsabilidade Fiscal e da qualidade de vida para todos os 3 milhões de alagoanos”, disse o governador.

“Abri as contas do Estado para a sociedade, para a CUT, e para os servidores, da forma mais transparente e ética possível”, informou Teotonio.

“Quero que vocês participem mais, quero que vocês vejam também esses números, essas contas, e tenham opinião política, tenham posição política; política é nato de todos nós, meu pai dizia que política só é política quando promove o bem coletivo, o resto é politicagem, politiquice”, voltou a convocar o governador.

Teotonio falou sobre os programas de Estado como o Viva Vida (combate à mortalidade infantil); Avança Saúde, construção de casas populares, e atração de investimentos para Alagoas(geração de emprego e renda), entre outros.

Participantes — O encontro foi presidido pelo presidente do Foco, Roberval Cabral, e pelo presidente da Associação Comercial de Maceió, Geminiano Jurema. A reunião contou com cerca de 100 representantes do setor produtivo do Estado. Acompanharam o governador os secretários de Estado, Luiz Otávio Gomes (Desenvolvimento Econômico) e Nelson Ferreira (Comunicação).