Angelo Farias

Com faixas e cartazes, moradores do bairro Teotônio Vilela, em Arapiraca, se concentraram em frente à Câmara Municipal para protestar e pedir apoio aos vereadores, para tentar resolver impasse sobre indenizações de residências nas ruas Dom Felício e Delmiro Gouveia com a prefeitura da cidade.

Durante a sessão, após o término das atividades administrativas da casa, a tribuna livre foi aberta para que os moradores usassem a palavra, explicando a todo o público presente no auditório da Casa Herbene Melo o que realmente está acontecendo na comunidade.

Em relatos de revolta e muita emoção, moradores contaram os momentos difíceis que estão enfrentando nos últimos dias com relação à desapropriação de suas próprias casas.

Um dos representantes do movimento, Brás Silvestre da Silva, usou a tribuna em um apelo muito emocionado falou que recebeu um ofício informando que em um prazo de 48 horas teria que desocupar seu imóvel. Caso isso não ocorresse seria despejado. Brás declarou que seu imóvel foi avaliado por apenas R$ 4 mil, onde segundo ele hoje não possui a mínima condição de pagar um aluguel ou até mesmo comprar um terreno com o valor oferecido.

Brás informou também que já mantiveram um contato com o procurador do município, José Soares, que informou que nada podia fazer para reverter a situação, deixando todos em uma situação difícil. Emocionado, o morador declarou ter sete filhos e ver a hora de tomar uma posição que não seja a correta para a sua vida devido ver que não terá onde morar.

Outra moradora declarou que sua mãe encontra-se doente devido aos valores das indenizações oferecidos a uma casa e outras moradias pertencentes à mesma onde hoje está avaliada, em R$ 180 mil, onde a prefeitura avaliou todo o empreendimento por menos de R$ 30 mil.

Os vereadores se mostraram solidários aos problemas enfrentados pelos moradores, tanto os governistas como os da oposição ao prefeito Luciano Barbosa. O vereador Moisés Machado foi bastante feliz ao mostrar aos moradores um processo ocorrido no ano de 2008 na mesma comunidade, onde a prefeitura havia avaliado casas com valores inferiores ao praticados no mercado.

Os proprietários não chegando a um acordo com a prefeitura deram entrada na justiça, para rever os valores oferecidos O imóvel onde foi avaliado há época por R$ 20 mil, após processo judicial chegou ao preço real de R$ 80 mil.

O vereador orientou aos moradores entrarem em contato com o prefeito Luciano Barbosa e caso através de diálogo o caso não seja resolvido o modo mais justo e correto será entrar na justiça para reaver os valores oferecidos pela prefeitura.

Moisés destacou também que a caixa avalia um imóvel na cidade de Arapiraca hoje ao valor de mil reais o metro quadrado, onde vendo os processos de indenização o preço pago por metro é de R$ 14,00, uma diferença indiscutível de valores.

Na manhã de hoje, uma comissão de vereadores formada pela base aliada, onde os vereadores Severino Pessoa e Daniel Rocha e outros vereadores estarão se reunindo com os moradores para tentar sentar com o prefeito Luciano Barbosa para intermediar uma possível negociação de valores com relação às indenizações dos moradores que residem no local a mais de 30 anos.