Em visita de cortesia realizada na manhã desta quinta-feira, dia 9, o intendente-geral do Sistema Penitenciário, tenente-coronel Luiz Bugarin, recebeu a confirmação da continuidade da parceria firmada com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) durante a gestão da superintendente Sandra Menezes. Ao ser apresentada aos trabalhos laborais desenvolvido no Sistema Penitenciário, Sandra Menezes não apenas confirmou a continuidade do trabalho já desenvolvido pelo órgão desde o ano passado, como acenou com uma ampliação da participação do Ibama no processo de ressocialização de detentos.

Para a superintendente, há um total interesse em realizar mais doações de madeiras apreendidas para serem utilizadas nos cursos de capacitação profissional de reeducados. “Além de continuar as doações de madeira apreendida, nosso interesse é absorver mão-de-obra carcerária no instituto. Precisamos mostrar aos reeducandos a importância da natureza, para isso, vamos dar a eles a oportunidade do trabalho com o meio ambiente”, destacou Sandra Menezes.

Atualmente, a Ufal, Casal e Escola Agrotécnica de Satuba mantém convênio com a Intendência Geral do Sistema Penitenciário (Igesp) e utilizam a mão-de-obra de reeducandos que cumprem pena em regime semiaberto nas instituições. “Entendemos que o trabalho é uma das melhores formas de recuperar o preso. Precisamos capacitá-los profissionalmente e dar oportunidade para que seja reinserido na sociedade. A parceria com o Ibama nos ajuda manter diversos reeducandos em atividade nos projetos laborais, pois eles recebem a matéria-prima para realizar trabalhos nas oficinas produtivas. Com a proposta de convênio, para absorção de mão-de-obra carcerária, o Ibama amplia a rede de parceiros e contribui para que um maior números de reeducandos tenham novas oportunidades após o cumprimento da pena”, destacou Luiz Bugarin.

Parceria

Há cerca de um ano o Ibama realiza doação ao Sistema Penitenciário de madeiras apreendidas em fiscalizações. O material doado é destinado para oficinas de trabalhos laborais, proporcionando maior absorção de mão-de-obra carcerária e, consequentemente, mais profissionalização de reeducandos.

A madeira doada é utilizada nas oficinas de marcenaria, com utilização na fabricação e recuperação de móveis; nas hortas orgânicas e na floricultura - para delimitação da área e suporte de cultivação de plantas; e no artesanato, onde serão utilizadas na confecção de peças de artes.

Durante a parceria com o Sistema Penitenciário, o Ibama realizou a doação de aproximadamente 130m³ de madeira, bem como doação de computadores, condicionadores de ar e móveis para escritórios oriundos de substituições do órgão.