A reitora Ana Dayse Rezende Dorea proferiu a palestra intitulada “Universidade Federal de Alagoas - Educação para o Desenvolvimento”, na tarde de quarta-feira, 29 de julho, na sede do Instituto Histórico e Geográfico de Alagoas, a convite da Instituição. Na oportunidade, o Instituto agraciou a reitora com a Comenda José Bento da Cunha Figueiredo Júnior, em reconhecimento ao apoio que a dirigente tem proporcionado à entidade, estimulando a parceria entre o Instituto e a Ufal por meio de convênios, como o que inseriu alunos do curso de História em atividades de estágio e pesquisa.

“Fico lisonjeada com a homenagem, em especial porque sei que ela se estende a toda a comunidade acadêmica. Por outro lado, quero afirmar que colaborar com o Instituto Histórico e Geográfico de Alagoas é dever da Ufal. O IHGAL é uma das mais importantes instituições culturais do Estado, e sempre contará com nosso apoio”, afirmou a reitora.

O presidente do Instituto, professor Jayme Lustosa de Altavila, disse que a entrega da Comenda significa “o reconhecimento do Instituto e de seus consórcios ao trabalho em prol da educação, da arte e da cultura desenvolvido pela reitora”. Na platéia, uma homenagem especial emocionou todos os presentes: o médico e professor aposentado da Ufal,  Ismar Malta Gatto, saudou Ana Dayse relembrando a passagem dela como aluna do curso de Medicina, na década de 1970. “Ana Dayse, minha ex-aluna, mostra que é possível mudar Alagoas pelo viés da educação”, afirmou, emocionado.

A palestra

Antes de receber a Comenda José Bento da Cunha Figueiredo Júnior, a reitora Ana Dayse apresentou aos membros dos IHGAL o cenário atual da Universidade Federal de Alagoas, ressaltando as ações e os investimentos que a Ufal vem realizando a fim de reverter os indicadores sociais negativos do Estado.

Ana Dayse traçou um raio x da Ufal, destacando o processo de expansão com qualidade implementado pela instituição a partir de 2003, indicando dificuldades e sucessos da iniciativa. A reitora expôs o funcionamento da Universidade e dos desafios impostos a um centro de conhecimento com mais de 18 mil alunos, 1.164 Professores Efetivos, 1.474 Técnicos-administrativos e 216 Grupos de Pesquisa.

“Estou cada vez mais convencida de que somente mudaremos o atual quadro de vulnerabilidade social de Alagoas se fizermos, definitivamente, um pacto em prol da educação, que deve ser priorizada como um dos meios vitais para nosso desenvolvimento”, afirmou Ana Dayse.Estavam presentes membros do Instituto, como o ex-deputado estadual e fundador da Fapeal José Medeiros, os médicos Pedro Bernardo e Luiz Nogueira, assim como o presidente Jayme Lustosa de Altavila, que reforçaram a importância da expansão da Universidade como ação essencial para o futuro de Alagoas.