O pátio da Secretaria de Estado da Defesa Social foi palco na tarde desta sexta-feira, 31, da simulação que marca a formação da primeira turma de profissionais aptos a prestar socorro em atendimento pré-hospitalar do Sistema Penitenciário de Alagoas.

Os profissionais foram capacitados para melhor prestar o atendimento de urgência nas unidades prisionais e a partir de agora estão habilitados a utilizar as cinco ambulâncias adquiridas através de convênio com o governo federal.

Segundo um dos instrutores do curso, sargento Jeferson, do Corpo de Bombeiros Militar, foram 80 horas/aula para repassar aos 25 técnicos e auxiliares de enfermagem, que atualmente trabalham na assistência à saúde carcerária, os conhecimentos básicos de atendimento pré-hospitalar que fazem diferença no socorro de vítimas. Além dos profissionais que trabalham nos presídios, o curso contou ainda com a participação de policiais civis e militares, totalizando uma turma com 37 novos socorristas.

“O primeiro atendimento de emergência é crucial para que a vítima tenha o mínimo de traumas possíveis. Eles tiveram aulas teóricas e práticas em atendimentos básicos, como em caso de acidente, infarto e fraturas. É um conhecimento base de primeiros socorros até o encaminhamento para uma unidade hospitalar”, explicou o sargento.

Os alunos da turma de socorristas participaram de um simulado onde puderam colocar em prática os conhecimentos adquiridos durante o curso, que teve duração de 18 dias. Entre os casos simulados, acidente de trânsito, socorro em local de difícil acesso, enfarto, entre outros.

Durante a simulação, os alunos foram submetidos à pressões psicológicas que, de acordo com os instrutores, servem para que eles saibam até que ponto estão sujeitos a erro nos procedimentos. “Os bombeiros trabalham com este tipo de socorro o tempo inteiro, os alunos não terão esta mesma frequência, então é normal que haja nervosismo nos primeiros atendimentos. Por isso o simulado foi feito sob pressão, para que eles tenham noção da pressão durante um atendimento de verdade”, destacou o tenente BM Luiz Augusto.

“Presenciamos muitas situações diferentes. Com o curso, pudemos comprovar o quanto o ser humano é precioso. E mais, comprovamos a importância dos cuidados que temos que ter no dia-a-dia quando tentamos salvar uma pessoa”, aletrou a técnica de enfermagem Celina Vicente.

Segundo ela, os procedimentos a serem adotados são importantes para evitar que aquele atendimento provoque um trauma maior na vítima que precisa de socorro.

A gerente de Saúde da Intendência Geral do Sistema Penitenciário (Igesp), Nélia Oliveira, informou que uma nova turma para o curso de socorrista dever ser iniciada no mês de agosto e que a intenção é capacitar todos os profissionais que atuam na área de saúde do Sistema Penitenciário em atendimento pré-hospitalar.

“Com esta capacitação, as equipes plantonistas das unidades prisionais estarão prontas para manusear os equipamentos das Unidades Básicas de Saúde (USB) adquiridas no convênio”, disse a gerente. Segundo Nélia Oliveira, as equipes poderão, além de continuarem no atendimento ambulatorial, fazer os primeiros atendimentos de socorro pré-hospitalar nas unidades prisionais e estão aptas a encaminhar os pacientes dentro dos procedimentos corretos.

O curso foi ministrado por militares do Centro de Formação Aperfeiçoamento e Especialização do Corpo de Bombeiros. Os alunos irão receber na próxima quinta-feira, 6, às 10h, os certificados do curso de Socorrista em Atendimentos Pré-hospitalar.