O Conjunto Selma Bandeira, no Benedito Bentes, será o primeiro local a ser beneficiado com o Projeto de Polícia Comunitária, novo modelo de policiamento preventivo desenvolvido pelo Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci). O projeto será implementado inicialmente de forma experimental, contando com a atuação de uma equipe formada por 17 policiais.

A partir de segunda-feira (3), os militares selecionados para atuar no projeto participarão de um curso de promotor nacional de polícia comunitária, que será realizado no 5º Batalhão Militar. Após uma semana de capacitação, o novo modelo de policiamento será colocado em prática no Selma Bandeira. O projeto conta com 16 cabos e soldados e um sargento.

De forma provisória, a base comunitária irá funcionar no espaço do Mercado Municipal, logradouro que estava fechado há mais de anos. “Mesmo de forma experimental, as equipes de policiais irão atuar durante 24 horas, realizando um trabalho preventivo e verificando as demandas da população”, diz o major Antônio Casado, do Núcleo de Gerenciamento de Crises da PM.

Segundo o major Antônio Casado, na apresentação do policiamento comunitário, a comunidade aprovou a iniciativa da PM em levar o projeto experimental ao Selma Bandeira, como forma de reforçar a segurança e, ao mesmo tempo, implantar um modelo de polícia preventiva baseada no atendimento ao cidadão.

“A reação dos moradores foi bastante positiva; agora as lideranças comunitárias se comprometeram a criar o Conselho de Segurança Pública, para onde serão encaminhadas e discutidas as demandas da população local”, diz. Ele explicou que a prioridade da polícia é reduzir, ao máximo, o número de homicídios registrados na região.

A PM também terá como missão evitar que algum tipo de crime venha a ocorrer na localidade. Para isso, Casado explica que o policiamento será realizado diariamente por duplas de PMs, que ficarão responsáveis por determinadas ruas do conjunto. “Com isso, os policiais ficarão familiarizados com os moradores, sabendo das necessidades e dos problemas enfrentados por cada um”, afirma.

Capacitação — Durante duas semanas, o Núcleo de Gerenciamento de Crises realizou um treinamento para selecionar policiais para atuar na 1ª base de policiamento comunitário. Os selecionados tiveram aulas de psicologia, direitos humanos e conhecimentos gerais.

O principal critério adotado foi de os policiais terem a iniciativa em trabalhar com a comunidade, a fim de criar um vínculo com os moradores. “Dentro de uma semana, os PMs vão estar preparados para atuar diariamente junto à população”, diz o major.

Além do Benedito Bentes, mais três bairros da capital foram escolhidos pela Secretaria de Estado da Defesa Social para a implantação de projetos do Pronasci, incluindo o Polícia Comunitária e o Territórios de Paz . Também serão beneficiados com o novo modelo de policiamento o Clima Bom, Jacintinho e Vergel do Lago.