O TRE-RJ (Tribunal Regional Eleitoral) do Rio de Janeiro manteve nesta quinta-feira a rejeição das contas da ex-vereadora carioca Carmen Glória Guinâncio Guimarães (PT do B), a Carminha Jerominho. A reportagem não localizou a ex-vereadora para comentar a decisão.

Por unanimidade, o tribunal rejeitou o recurso apresentado por Carminha para reverter a decisão que desaprovou suas contas da campanha eleitoral de 2008.

No dia 24 de junho, o juiz da 228ª Zona Eleitoral Eduardo Perez Oberg cassou o diploma de Carminha por arrecadação e gastos e ilícitos de recursos para fins eleitorais.

A ex-vereadora, porém, não perdeu o mandato pela desaprovação das contas de campanha, mas por uma ação movida pelo Ministério Público Eleitoral com base na lei que pune a captação ou gastos ilícitos de recursos para campanha eleitoral.

Segundo a decisão, Carminha teve as contas rejeitadas porque arrecadou R$ 72 mil antes de ter aberto a conta bancária específica para a movimentação do dinheiro da campanha. O relator do processo, juiz Luiz de Mello Serra, ressaltou que esta quantia representa 78% do total de R$ 93 mil, declarado à Justiça Eleitoral, em 2008.

Carminha é filha do ex-vereador Jerônimo Guimarães Filho, o Jerominho (PMDB) e sobrinha do ex-deputado estadual Natalino Guimarães (sem partido). Os três foram indiciados pela Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro por suposto envolvimento com milícias que atuam no Rio de Janeiro.