O Diário Oficial do Estado divulgou nesta quinta-feira a abertura de 70 leilões de veículos em centros de depósitos de diversos municípios gaúchos a partir de 21 de agosto. A expectativa é que 2,3 mil carros sejam vendidos até outubro. No entanto, existem quase 40 mil aptos a serem leiloados e 23 mil aguardando perícia no Rio Grande do Sul.

Em Porto Alegre, haverá novo leilão para 348 veículos que estão no depósito da Atento no próximo dia 5. Mas, lá, aguardam mais de dois mil automóveis nessas condições e outros 3,7 que ainda esperam liberação da polícia ou da Justiça. Esse é um dos motivos para que o Ministério Público tenha ingressado com uma ação.

A atitude foi tomada depois da tentativa de firmar um termo de ajustamento de conduta, que foi descartado pela Procuradoria Geral do Estado (PGE). A medida pede mais agilidade do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e dos órgãos da Secretaria da Segurança para a liberação dos veículos. O procurador-geral do Estado adjunto, José Guilherme Kliemann, reiterou hoje que a situação está sob controle.

— Em relação à retirada dos depósitos, todas as medidas para agilização dos leilões estão sendo adotadas. Isto foi provado documentalmente.

A meta do Detran é leiloar todos os veículos possíveis, que hoje estão no depósito da Atento, até novembro. Para o Ministério Público, os esforços do Estado são insuficientes, conforme destaca a promotora de Justiça Luciana Maria Ribeiro Alice.

— Eles cumprem as recomendações, mas nos termos de suas possibilidades e as possibilidades nem sempre correspondem à necessidade. Tem dois pontos que estão bastante claros quanto a isso: um é quanto a auditoria, que realmente não está encaminhada, e outro é quanto à necessidade de se fazer esse cronograma para esvaziar a Atento.

A Atento foi descredenciada pelo Detran em abril e cobra do Estado uma dívida de R$ 16 milhões. A ação do MP pede que o Estado seja proibido de pagar o valor antes de uma rigorosa auditoria. A dívida está no centro da polêmica que afastou dois diretores do Detran.