A secretária de Estado da Assistência e Desenvolvimento Social, Solange Jurema, disse nesta quarta-feira (22) que os conselheiros da Assistência Social devem atuar como mentores das políticas públicas implantadas pelos municípios e a sociedade tem que cobrar dos gestores que estas políticas atendam às necessidades da população. A afirmação foi feita na V Conferência Municipal de Assistência Social de Capela. No encontro foram discutidos quatro eixos relevantes, a exemplo do papel político dos usuários do Sistema Único de Assistência Social (Suas).

“Os conselheiros não são apenas fiscalizadores das ações dos gestores, mas devem sugerir políticas que correspondam às necessidades dos usuários”, destacou Solange, reforçando que o papel da sociedade civil é cobrar do gestor municipal que as políticas sejam definidas segundo os interesses da coletividade. Solange explicou que, com a implantação do Suas, em 2004, as políticas não podem mais ser definidas nos gabinetes de Brasília, mas considerando as particularidades de cada região do país.

“Isso ainda acontece e precisamos estar em Brasília brigando pelo Nordeste. Em Alagoas, por exemplo, há diferenças regionais que precisam ser levadas em conta quando da descolha das políticas públicas”, advertiu. Solange Jurema explicou ainda que o tema Participação e Controle Social no Suas, explorado nas conferências que estão acontecendo nos 102 municípios alagoanos, revela a necessidade de mobilização de todos os atores da sociedade para que a política de proteção social seja implantada com eficácia em Alagoas.

Os municípios devem definir as políticas de assistência que consideram prioridade segundo a realidade local. “Por isso é importante a participação de todos, uma vez que os delegados vão levar para a conferência estadual, que acontece em outubro, as propostas de cada município. Analisaremos o que têm em comum e levaremos para a Conferência Nacional, que acontece em dezembro”, completou Solange.

A secretária municipal de Assistência Social, Maria do Socorro Costa, disse que implantar o Suas em Capela tem sido um desafio, mas que já pode contabilizar os resultados positivos. Segundo ela, mais de 2,5 mil famílias recebem o Bolsa Família e o Centro de Referência da Assistência Social (Cras) atende a 75 famílias com geração de emprego e renda, destacando ainda a instalação de um Núcleo de Beleza e Grupo de Artesanato, nos quais moradores fazem cursos e passam a ter renda. O Centro desenvolve ainda ações junto aos alcoólatras, Projovem (150 jovens), Peti (300 crianças) e outras políticas de proteção social.

O prefeito João de Paula Gomes Neto reafirmou a posição da secretária Solange Jurema no que diz respeito a combater a cultura do assistencialismo. “Fazer assistência social não é troca de favores. O objetivo é fazer triagem e levar os programas sociais à população que mais precisa. É não fazer assistencialismo crônico que ainda impera nas regiões mais pobres do país”, destacou o gestor. Participaram também do evento o presidente da Câmara de Vereadores, Hélio Peixoto, secretários municipais, usuários dos programas sociais e conselheiros. A assistente social Rita Vieira foi a conferencista do evento.