Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

A osteoporose, doença que afeta principalmente às mulheres na menopausa. é caracterizada pela diminuição de massa nas estruturas ósseas e, por tabela, pela ocorrência de fraturas por vezes espontâneas nas pacientes.

Hábitos simples podem retardar o surgimento da osteoporose e dar mais qualidade de vida às mulheres idosas. Uma dieta rica em cálcio desde a infância, com alimentos à base de leite, aumenta a reserva deste mineral nos ossos e, por conseguinte, a densidade óssea. Segundo a nutricionista Cynthia Paes, mesmo o leite desnatado é rico em cálcio e pode fazer parte da dieta diária das mulheres.

Agora, um alerta importante: o cálcio por si só não consegue ser absorvido pelo organismo, sendo necessário a presença da vitamina D para que isso ocorra. Conforme explica a nutricionista Cynthia Paes, o cálcio e a vitamina D são parceiros na prevenção e tratamento da osteoporose.

Segundo Cynthia Paes não adianta ingerir cálcio em excesso e, na contramão, haver deficiência de vitamina D ou vice-versa. “A vitamina D ajuda o organismo a absorver o cálcio, que será direcionado para as estruturas ósseas”, acrescentou.

Cynthia Paes explica que o sol é a principal fonte de vitamina D, bastando 15 minutos de exposição diária para suprir as necessidades dos seres humanos. Há ainda a alternativa de suplementação vitamínica, mas a indicação dependerá de avaliação médica.

O tratamento do paciente opde incluir medicamentos e suplementos vitamínicos mas, sobretudo, mudança de hábitos, começando pela exposição ao sol, ingesta de alimentos ricos e cálcio e vitamina D, além de atividades físicas como caminhadas, corridas, pilates e musculação, tudo para reforçar a musculatura e aumentar a massa óssea. Já atividades na água, como a hidroginástica, melhoram o bem estar, equilíbrio e aliviam dores musculares, mas não têm ação específica na massa óssea.