A aposentada Maria das Dores Alves Barbosa, 63, acordou cedo neste sábado (04) e teve um programa diferente. Ela foi uma das mais de 200 pessoas que compareceram a sede da Associação dos Amigos do Bairro do Farol (AABF) para participar do mutirão de atendimento e triagem para cirurgia gratuita de catarata.

Moradora do bairro Clima Bom, Maria das Dores se deslocou até a associação para receber atendimento e tentar por fim a um problema que vem incomodando há alguns anos. "Em minha última consulta com um oftalmologista, há dois anos, ficou detectado que eu estava com problemas na visão. A médica havia dito que deveria retornar para marcar uma cirurgia, só que nunca conseguia ficha no posto de saúde", explica a aposentada.

A peregrinação de Maria das Dores chegou ao fim. Após ser atendida por um oftalmologista, teve sua cirurgia marcada e a esperança de voltar a enxergar o mundo com outros olhos. "Não tenho como pagar um plano de saúde e sempre fico dependendo do SUS (Sistema Único de Saúde). A gente fica dependendo da boa vontade das pessoas e não podia perder essa oportunidade", concluiu a aposentada.

Assim como dona Maria, outras pessoas atenderam o chamado da associação que teve a iniciativa e contou com o apoio do Clínica de Olhos Santa Luzia. Desde às 7 horas de hoje, médicos oftalmologistas estiveram na entidade e atenderam, gratuitamente, os portadores da doença ou aqueles que acham que são acometidos por catarata.

Essa é a primeira vez que a entidade realiza um mutirão desta proporção, com o objetivo de atender os moradores dos mais diversos bairros da capital alagoana e também do interior do Estado. Para o presidente da AABF, Regivan Rodrigues, o público recebeu o chamado e os que mais precisavam ficaram satisfeitos com o serviço. "Atendemos a todos que compareceram a associação. E o mais importante é que o paciente com catarata e que precisa de intervenção cirúrgica já saiu do atendimento com tudo certo para a realização da cirurgia, sem custo nenhum”, afirma.

Cerca de 24 pessoas, entre profissionais e associados da AABF, realizaram os atendimentos durante o mutirão. Durante o atendimento, o paciente recebeu a avalição de médicos oftalmologistas. Quem teve constatado que possui a doença, foi feito o encaminhamento para a realização de cirurgia gratuita em clínicas conveniadas pelo SUS.

O que é a catarata
 
A catarata é uma lesão ocular que atinge e torna opaco o cristalino (lente situada atrás da íris cuja transparência permite que os raios de luz o atravessem e alcancem a retina para formar a imagem), o que compromete a visão.
 
Como os raios luminosos não conseguem atingir plenamente a retina onde se situam os receptores fotossensíveis, o portador de catarata tem dificuldade para enxergar com nitidez.

No início da lesão, a pessoa vê como se estivesse com a lente dos óculos embaçada ou com uma névoa diante dos olhos. Com a evolução do quadro, porém, passa a enxergar apenas vultos.

A catarata pode ser congênita (casos raros) ou adquirida. A principal causa da doença é o envelhecimento. Embora o problema apareça geralmente em indivíduos com mais de 50 anos, há casos de crianças que já nascem com a doença (geralmente filhos de mães que tiveram rubéola ou toxoplasmose no primeiro trimestre de gestação).
 
Outras causas de catarata são diabetes, uso sistemático e sem indicação médica de colírios, especialmente dos que contêm corticóides, inflamações intra-oculares e traumas como socos ou batidas fortes na região dos olhos.

A AABF
 
Criada em 02 de março de 2007, a Associação Amigos do Bairro do Farol (AABF) é uma entidade da sociedade civil sem fins lucrativos. A entidade atende a atualmente cerca de 3.000 (três mil) pessoas carentes, moradores de áreas empobrecidas do bairro do Farol e adjacências.

A AABF é reconhecida como entidade de utilidade pública pelo Governo do Estado de Alagoas de acordo com a Lei Estadual n.º 6.899 de 19 de dezembro de 2007. Destaque-se que em ações de relacionamento e articulação interinstitucional, a AABF também mantém parcerias com entidades comunitárias de bairros de Maceió e de cidades do interior alagoano.
 
No rol de atendidos pela entidade também estão, por meio de parcerias formais e informais com outras instituições, moradores de bairros como Pinheiro, Alto do Céu, Levada, Cambona, Bom Parto, Gruta do Padre e Pitanguinha, Favelas do Bolão e do Cesmac, da Borracheira, entre outras comunidades desastissidas de serviços básicos e essenciais.