Depois de entregarem formalmente ao Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (CREA/AL) denúncia contra Jubson Uchoa, proprietário da empresa Uchoa Construções, os compradores de terrenos no loteamento Green Park, em Guaxuma, anunciam que irão cobrar um posicionamento da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (ADEMI), entidade que representa o setor imobiliário nacionalmente.

O grupo acusa o empresário, que ocupa o cargo de presidente na Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Alagoas (ADEMI – AL), de desvio dos recursos dados para o pagamento dos lotes. "O grupo sofreu um prejuízo superior a R$ 500 mil. Alguns compradores efetuaram o pagamento à vista e já esperam pelos lotes desde 2007. Acreditamos que a Ademi Nacional, assim como o CREA/AL, irá adotar as medidas necessárias para acompanhar o caso e punir os culpados", afirma o juiz federal André Granja, um dos prejudicados.

"É preciso que os órgãos competentes façam a análise dos documentos contábeis da empresa. Irregularidades podem ser detectadas na atividade da pessoa jurídica, o que deixa os compradores ainda mais apreensivos", acrescenta outro comprador de lotes no Green Park Residencial, o procurador do Estado, José Roberto Teixeira.

"Outro ponto relevante foi a venda de lotes antes mesmo do loteamento vir a ser registrado, tal situação fere a lei, afirma o engenheiro Meroveu Costa, também adquirente de um dos lotes.

A entrega do loteamento construído em uma área superior a 630.000 m2, às margens da AL 101 Norte, foi anunciada pela construtora para 2007, mas até agora nenhum comprador recebeu o lote. A Uchoa Construções deveria executar obras de infraestrutura urbana como drenagem, terraplanagem, serviços de abastecimento de água, distribuição de rede de energia elétrica, entre outros, o que não aconteceu.

Entre as próximas medidas que serão adotadas pelo grupo está a formalização da denúncia de desvio de recursos na Receita Federal e na Polícia Federal.