Médicos e enfermeiros das regiões Norte e Nordeste terão oportunidade de atualizar seus conhecimentos sobre a dengue, em aula à distância a ser ministrada pela infecto-pediatra Lucia Alves da Rocha, que trabalha como consultora técnica do Programa Nacional de Controle da Dengue (PNCD), do Ministério da Saúde. Durante a aula, a ser realizada na próxima quarta-feira (08), das 15h às 17h, a médica irá abordar diversos aspectos do manejo clínico de pacientes com suspeita de terem contraído a doença.

“O primeiro ponto a ser colocado é como diagnosticar o paciente de dengue, que exames solicitar, dependendo da fase da doença”, explica Lúcia. Para ela, também é importante que os profissionais de saúde saibam reconhecer a evolução da dengue para a forma mais grave e também como tratar estes pacientes. “Não podemos evitar a dengue hemorrágica, mas podemos evitar o óbito”, afirma a médica.

Para Lúcia, é importante a atenção aos sintomas relatados por crianças, porque alguns sinais podem ser confundidos com os de outras doenças, como a meningite meningocócica. “Como temos verificado muitos casos em menores de 15 anos, os pediatras precisam estar mais atentos para um diagnóstico precoce”, afirma.

Esta é a terceira aula sobre dengue promovida pela Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS/MS). A proposta do PNCD é utilizar cada vez mais as ferramentas de educação à distância para capacitar e reciclar médicos e enfermeiros de todo o país. No primeiro curso, em dezembro de 2008, o médico Kleber Giovanni Luz abordou o diagnóstico e manejo clínico dos pacientes em unidades de pronto atendimento. A aula foi transmitida para os 230 hospitais que compõem a Rede de Hospitais Sentinelas. No segundo curso, o professor Rivaldo Venâncio da Cunha, da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, buscou orientar os profissionais da região Sudeste sobre a organização dos serviços e também o manejo clínico. A aula será transmitida ao vivo, nos seguintes endereços:www.telessaudesp.org.br e www.telessaudebrasil.org.br