A Justiça do Rio Grande do Sul determinou o afastamento do diretor da Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (Pasc), Vanderlei de Christo Felicidade, por suposta omissão no caso em que oito agentes penitenciários são acusados de torturar um detento, em abril deste ano. Eles foram presos na terça-feira quando prestavam depoimento Ministério Público Estadual. As informações são do jornal Zero Hora.

Os oito agentes foram denunciados por crimes de tortura e falsidade ideológica. Os mandados de prisão preventiva foram expedidos pela Justiça de Charqueadas e cumpridos por agentes da Especializada Criminal de Porto Alegre. Um outro agente penitenciário também foi ouvido. Ele foi denunciado por omissão e liberado.

Segundo o jornal, integrantes da cúpula do governo defendem a imediata intervenção da Polícia Militar na penitenciária. Além de tortura, o grupo preso deve ser investigado também pela suspeita de intermediar a venda de telefones aos presidiários.