Um mês após o acidente com o Airbus da Air France que fazia o voo 447, uma força-tarefa composta por técnicos do IML (Instituto Médico Legal) e da Polícia Federal informaram nesta quarta-feira que 35 dos 51 corpos retirados do oceano Atlântico foram identificados. O avião caiu no oceano no dia 31 de maio, com 228 pessoas a bordo.

Até a última segunda-feira (29) haviam sido identificados 14 dos 51 corpos.

Segundo nota emitida pela Secretaria de Defesa Social de Pernambuco, peritos da Polícia Federal e do Instituto Médico Legal de Pernambuco, com o apoio de odontolegistas da Paraíba e auxiliares de legistas do Ceará, afirmam que dentre os identificados estão quatro brasileiros e 17 estrangeiros. Dos brasileiros, são dois homens e duas mulheres e dos estrangeiros, são seis do sexo masculino e 11 do feminino. Eles não tiveram os nomes revelados conforme pedido das famílias, segundo a nota.

A Secretaria de Defesa Social de Pernambuco informou que as identificações foram feitas por meio da análise de impressões digitais, da arcada dentária e também por meio de exames de DNA.

As famílias brasileiras já foram informadas bem como as embaixadas dos respectivos estrangeiros identificados.

Homenagem e caixas-pretas

Uma mobilização relâmpago (fash mob) foi realizada na noite desta terça-feira (30) no aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos (Grande São Paulo).

A homenagem reuniu cerca de 40 pessoas, que usavam camisetas com bandeiras das 32 nacionalidades das vítimas.

Um porta-voz do Escritório de Investigação e Análise da França (conhecido como BEA) informou à BBC Brasil que as buscas pelas caixas-pretas do avião "vão continuar enquanto isso representar um esforço razoável".