O sobrevivente resgatado do avião acidentado na segunda-feira (horário de Brasília) no Oceano Índico é uma menina, informou nesta terça-feira o vice-presidente da aviação civil do Iêmen, Mohammed Abdel-Rahman Abdel Qadir.

O funcionário não informou a nacionalidade da menor resgatada, que foi levada a um hospital da capital de Comores e também não se sabe sobre seu estado de saúde.

O avião Airbus 310-300 da companhia aérea estatal do Iêmen, Yemenia, tinha 153 pessoas a bordo. A aeronave percorria o trecho final de um voo que levava passageiros de Paris e Marseille para Comores, via Iêmen.

Antes, Abdel Qadir tinha afirmado que a menor tinha 5 anos, mas, depois, desmentiu-se e disse que há informações contraditórias sobre a idade.

Abdel Qadir acrescentou que, até o momento, foram recuperados três cadáveres do aparelho acidentado, mas, antes, outra funcionária iemenita tinha declarado à rede de televisão "Al Jazira" que tinham sido resgatados sete cadáveres.

Abdel-Rahman informou também que o avião se submeteu, em 2007, a uma revisão completa, com a participação de especialistas da Airbus, companhia fabricante do aparelho, e que tinha confirmado seu "bom estado".

Anteriormente foi divulgado que havia 150 pessoas a bordo, mas o ministério do Interior comorense informou que estavam no avião 142 passageiros e 11 integrantes da tripulação. Segundo o ministro de Exteriores da França, Bernard Kouchner, 66 seriam franceses.

Em comunicado, o chefe da diplomacia francesa transmitiu suas condolências aos familiares e amigos das vítimas, e lembrou que a França enviou equipes ao local do acidente para ajudar nos trabalhos de busca.

As causas do acidente são desconhecidas. O avião perdeu contato com a torre de controle à 1h51 local (19h51 de Brasília), quando se preparava para a aterrissagem.

O aparelho caiu no Oceano Índico, a 30 quilômetros de seu destino, o aeroporto de Moroni, capital de Comores.

"Uma equipe técnica iemenita viajará imediatamente às ilhas Comores para investigar as causas do acidente", disse Abdel-Rahman.

O vice-presidente da aviação civil iemenita informou ainda que no momento do acidente era registrada uma tempestade com ventos de 61 km/h.

Além disso, disse que vários helicópteros e duas embarcações de guerra francesas tinham começado os trabalhos de resgate.

As Ilhas Comores são compostas por três ilhas vulcânicas, Grande Comore, Anjouan e Moheli, 300 km a noroeste de Madagascar.

Avião já voou no Brasil
O avião Airbus 310-300 da companhia aérea estatal do Iêmen Yemenia já voou no Brasil. Entre março e setembro de 1999, a aeronave fez parte da frota da companhia aérea brasileira Passaredo.

Segundo a assessoria de imprensa da Passaredo, a aeronave foi repassada à BRA.