Três funcionários do governo do Maranhão e um da Fundação Nacional do Índio (Funai) estão sendo mantidos reféns por índios da etnia guajajara, em Arame (MA), desde quinta-feira (25).

Os índios querem a recuperação de uma escola, que foi destruída pelas chuvas, e a construção de outra para cerca de 600 crianças da aldeia. Eles pedem a presença do Secretário de Educação do Estado para iniciar as negociações.

O governo do Maranhão informou que está fazendo um censo escolar em aldeias indígenas. De acordo com a Secretaria de Educação, obras de reparo na escola danificada devem ser realizadas ainda nesta semana.