O grupo João Lyra inaugurou, na manhã desta quinta-feira (22), o novo complexo de comunicação do Sistema Jornal de Comunicação. Em um evento com políticos, jornalistas, comunicadores e representantes da Sociedade Civil, o grupo realizou uma grande festa de boas vindas.

Apostando na chamada convergência de mídia (cross media), o Sistema Jornal passa hoje a agregar em um só lugar a credibilidade do O Jornal, a força comunicativa da Rádio Jornal AM 710 e a agilidade do portal J2011. Juntos, o portal, a rádio e o jornal impresso passam a atuar em uma única instalação, produzindo informação de forma simultânea e integrada, conferindo agilidade, modernidade ao noticiário que alcança todo o Estado. Para o superintendente do SJC, Luciano Góes, a nova fase da empresa contempla o público alagoano com o que há de mais moderno na comunicação.

“A convergência de mídias, com essa atuação em parceria entre jornal impresso, rádio e webjornalismo é um novo momento da comunicação em todo o mundo, e o Sistema Jornal coloca esse novo estilo de fazer comunicação à disposição do leitor, do ouvinte e do internauta. A informação não pode ser tratada mais separadamente. O ouvinte do rádio também quer saber o que está se passando na rede mundial, assim como o jornalismo impresso repercute a notícia de forma mais aprofundada no dia seguinte, alimentando o debate na mídia”, teoriza Luciano Goes.

O prefeito de Maceió, Cícero Almeida (PP), participou da solenidade e destacou o espírito empreendedor do empresário e deputado federal, João Lyra (PSD). “Esse empresário acredita em Alagoas. Os inúmeros investimentos que ele fez provam isso, pode ter certeza”, destacou.

Em um breve discurso, João Lyra recordou toda trajetória de sucesso e agradeceu ao trabalho de todos os colaboradores. “A construção desse complexo de comunicação é um sonho que se realiza. Foram meses de trabalho e fomos brindados com mais essa conquista”, frisou o parlamentar.

O editor-executivo do grupo, Voney Malta, afirma que na era da informação, o Sistema Jornal de Comunicação democratiza as formas de se transmitir a notícia, cujos meios – on-line, rádio ou jornal – ficam a critério do público.

“O público consumidor tem a opção de estar bem informado, sabendo do que acontece em sua cidade, estado, país, enfim, pode saber o que acontece no mundo optando pelo tipo de veículo que ele escolher para estar bem informado, esteja onde estiver. Isso significa que as atuais ferramentas da tecnologia possibilitam maior interação, proximidade e facilidade para que possamos informar tudo o que acontece e que influencia no nosso dia a dia”, afirmou Malta.

O editor-executivo acredita ainda que as diversas mídias trabalhando conjuntamente conferem mais força à informação e, consequentemente, nas conseqüências que essas informações terão para a sociedade.

“As novas tecnologias da comunicação, é claro, ampliam a repercussão do que é noticiado, também dão maior capacidade de influência do público na linha editorial dos veículos de comunicação. Assim, cada vez mais público e meios de comunicação unem-se para cobrar soluções e repercutir os fatos que influenciam nas nossas vidas”, disse Voney Malta.

AM 710 - Rádio une forças com internet

A cobertura ampla da Rádio Jornal AM 710 ganha agora a parceria da internet. Programas como Jornal do Povo, apresentado pelo jornalista Marcos Rodrigues, e a cobertura esportiva, passam a contar com a interatividade também da internet. Juntos, J2011 e Rádio Jornal AM 710 levarão ao ouvinte/internauta informações com agilidade e interatividade.

Passando a funcionar nas mesmas instalações da web e do O Jornal, em Jacarecica, a emissora será abastecida ainda mais com informações on-line do J211. “Já possuímos uma credibilidade junto ao ouvinte, que agora terá uma gama ainda maior de informações com a parceria com o portal J2011. È uma parceria que o ouvinte e o internauta só terá a ganhar”, disse Bruno Barrionuevo, diretor da AM 710.

“Atualmente já disponibilizamos no J2011 um link para quem quiser ouvir a AM710 pela internet. Mas essa parceria intensifica esse trabalho conjunto, aumentando significativamente o volume e a qualidade das informações que repassamos para o ouvinte”, acrescentou o diretor da emissora.

O JORNAL - Reforma gráfica marca nova fase

As novidades do Sistema Jornal de Comunicação unem a modernidade do portal J2011 com investimentos no jornalismo impresso. Lançado em novembro, o novo projeto gráfico de O Jornal traz as notícias diárias com a mesma credibilidade, mas em um layout moderno, antenado com o arrojado estilo dos grandes jornais impressos do país. Além da qualidade conquistada em 16 anos de jornalismo impresso, O Jornal passou a circular também às segundas-feiras, sendo o único periódico alagoana a circular os sete dias da semana.

Nessa nova fase o leitor também ganhou a possibilidade de acessar todo o conteúdo do O Jornal na plataforma para iPAD. A edição de O Jornal também pode ser conferida no portal J2011.

Além dos colunistas locais como Roberto Villanova (política), Marco Aurélio Mello (Economia) e Alessandra Vieira (cultura), estrearam junto com a reforma gráfica colunistas de renome nacional como Mônica Bergamo e Ricardo Noblat.

Novidades que o editor-geral de O Jornal, Deraldo Francisco, avalia como um momento de renovação do jornalismo impresso. “Essa nova fase do Sistema Jornal de Comunicação intensifica o trabalho em conjuntos em as diversas mídias, que é uma tendência mundial, mas ao valorizar as novas tecnologias, não esqueceu se fortalecer também o jornalismo impresso.

Tivemos recentemente uma reforma gráfica, com um projeto gráfico do Jobson Pedrosa, que trouxe modernidade ao nosso conteúdo. Também disponibilizamos o conteúdo em iPAD, e no portal J2011. Tudo isso só mostra a força que o jornal impresso, que se recicla, agregando-se a outras mídias”, avaliou Deraldo Francisco, editor-geral de O Jornal.

Voney Malta, editor-executivo, é um dos partidários da força do jornal impresso. “Esse tema tem sido motivo de muitos questionamentos, ou seja, se o jornal impresso vai sobreviver as novas tecnologias de comunicação. No meu ponto de vista, a questão é semelhante ao período em que a televisão surgiu. Muitos diziam que iria acabar o rádio, o que não ocorreu. Eu acredito que há espaço, que há público para todos os veículos, uma vez que o que vem ocorrendo é a segmentação. Cada veículo tem o seu público, ou os seus públicos”, ressaltou Malta.