Passageiros que desembarcaram nesta quarta-feira (24) no aeroporto de Guarulhos, na Grande São Paulo, vindos de Buenos Aires disseram não ter recebido nenhuma informação sobre a nova gripe durante o voo e no desembarque no aeroporto .

Nesta manhã, a reportagem do G1 conversou com pessoas que vieram da capital argentina em voos da Gol e da TAM. Uma delas, mesmo com sintomas visíveis de um suposto resfriado, disse que não foi abordada por ninguém da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e que não preencheu formulário algum.

Retornando de uma viagem a Buenos Aires de 19 dias com outros três amigos, a dentista Patrícia Alves de Moura, de 29 anos, estava com o nariz vermelho e afirmava estar resfriada. Mesmo assim, ela contava que não tinha recebido nenhuma orientação sobre a nova gripe no voo ou no desembarque. “Na ida, a gente chegou a receber alguma orientação, mas na volta, nada “, disse. Segundo ela, o único alerta sobre alguma restrição relacionada à saúde foi a presença de duas funcionárias da Anvisa, vestidas com jalecos, que estavam próximo à descida do avião. “Elas estavam lá, mas não falaram com ninguém”, afirmou.

Questionada se não estava preocupada com o resfriado repentino, a dentista minimizou. “Eu estou com uma gripe normal. Lá [na Argentina] está muito frio. Mas é uma besteira. Aqui [no aeroporto] ninguém viu nada, não disse nada [sobre o resfriado].” Os outros três amigos da dentista também afirmaram que não receberam nenhum formulário no voo ou no desembarque. No formulário da Anvisa são solicitados dados pessoais do viajante para que ele seja contatado no caso de haver alguma pessoa infectada no voo em que ele estava.

Outros passageiros que também vieram da Argentina e desembarcaram nesta manhã no Terminal 2 de Cumbica afirmaram que chegaram a receber e preencher um formulário, já no desembarque, mas que ele foi entregue sem nenhuma orientação sobre o assunto. 

Spray de limpeza

O engenheiro Marcelo Araújo, de 29 anos, e a analista de sistemas Ana Lígia Bezerra, de 26 anos, passaram sete dias em lua de mel na Argentina. Eles afirmaram que na viagem de ida chegaram a ser informados sobre a doença e que no embarque na Argentina para retornar ao Brasil, a equipe da aeronave borrifou um produto para higienizar e esterilizar o ambiente. Mas, no desembarque em São Paulo, apenas receberam um formulário geral da Receita Federal pedindo dados pessoais, e não receberam nenhuma orientação sobre como preenchê-lo. “Coloquei nossos dados e depois vi em um cartaz que eles estavam pedindo dados também por causa da gripe”, disse Araújo.

Em viagem de trabalho de um mês na Argentina, o metalúrgico Augustinho Ferreira Duarte, de 58 anos, também afirmava ter preenchido um formulário sem ter recebido nenhuma orientação no desembarque. “Estou sabendo do que está acontecendo porque vi os jornais. Vi que eles até pediram para as pessoas não viajarem mais para a Argentina e para o Chile, mas aqui [no aeroporto] ninguém falou comigo sobre o assunto, não”, disse em referência ao comunicado do Ministério da Saúde feito na terça-feira (23).

No desembarque no Terminal 1 do aeroporto, outros passageiros vindos de Buenos Aires disseram ter recebido um formulário da Anvisa. Mas, embora tivessem preenchido o documento, alguns deles passaram pelo desembarque ainda com o papel. Um engenheiro argentino chegou a afirmar que ninguém pediu o documento.

A reportagem do G1 esteve no posto da Anvisa no aeroporto de Guarulhos e foi informada por funcionários do local de que os novos formulários da vigilância sanitária sobre a gripe A ainda não tinham chegado. Eles disseram que, enquanto os papéis não chegarem, os formulários da Receita Federal estão sendo usados para colher os dados dos passageiros.

A assessoria da Anvisa informou que os formulários ainda estão sendo distribuídos e que por isso alguns aeroportos estão sem o papel. A estimativa é de que até a sexta-feira (26) todos os aeroportos tenham sido abastecidos com o documento. Os passageiros deverão preenchê-lo durante o voo e entregá-lo no desembarque aos funcionários da vigilância, que ficarão disponíveis para esclarecer qualquer dúvida.