Desigualdades raciais e de gênero na educação, no mercado de trabalho, no acesso à saúde, na habitação e na segurança estarão em discussão em Brasília, de 25 a 28 deste mês, durante a II Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial (II Conapir). O evento vai servir para avaliar e sugerir ajustes às políticas raciais brasileiras. A Secretaria da Mulher, da Cidadania e dos Direitos Humanos realizou as duas etapas regionais e a estadual. A prefeitura de Maceió coordenou a metropolitana. Desses encontros foram eleitos um total de 23 delegados, que irão representar Alagoas no evento nacional.

Políticas internacionais de combate à xenofobia e a individualização dos dados referentes à população negra, indígena, e de imigrantes nos censos também estão na pauta de Brasília. Os delegados irão avaliar os resultados da primeira edição da conferência, ocorrida em 2005, quando deliberou pela criação do Plano Nacional de Promoção da Igualdade Racial, que orienta a criação de políticas de promoção da igualdade racial. O relatório final da 1ª edição destaca propostas como a promoção de equidade das manifestações culturais afro-brasileiras nas atividades oficiais do país.

Segundo dados do Ministério da Educação o número de jovens brancos no ensino superior é quase o triplo de negros e pardos. Além disso, apenas 37,4% dos negros em idade de ensino médio estão matriculados no período letivo adequado, enquanto essa porcentagem entre os brancos sobe para 58,4%.

Discussões — As conferências regionais foram realizadas em Delmiro Gouveia e União dos Palmares, nos dias 16 e 23 de abril, respectivamente, onde reuniram representantes de comunidades quilombolas, indígenas, movimento negro, religiosos e outros segmentos sociais, com o objetivo de debater os princípios e diretrizes aprovados na I Conferência Nacional e Estadual de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, além de avaliar as diretrizes para a implementação do Plano Nacional de Promoção da Igualdade Racial. A estadual foi realizada dia 21 de maio.

Os três encontros, inclusive a Metropolitana, servirão como base para o encontro nacional. As discussões e sugestões de propostas foram feitas com os grupos temáticos, sobre os temas Gênero e Raça, Juventude Negra e Segurança Pública, Educação e Saúde, Trabalho, Emprego e Renda, Questões Indígenas, Ciganas e Quilombolas e Intolerância Religiosa.