Enquanto funcionários da Oscip Toqueville, que prestam serviços terceirizados à Secretaria Municipal de Educação (Semed), protestavam em frente à sede órgão, no bairro do Bom Parto, pelo pagamento dos salários, o secretário Ricardo Valença, prestou alguns esclarecimentos sobre a situação.  

De acordo com o secretário, em fevereiro deste ano, ainda na gestão do ex-secretário Théo Fortes, foi encaminhado à empresa Toqueville o pedido de afastamento de 242 trabalhadores com aviso prévio, sendo 96 auxiliares de sala e 146 merendeiras, para que houvesse o ingresso das pessoas aprovadas no concurso, exigidos através de um Termo de Ajuste e Conduta (TAC), pela Procuradoria Regional do Trabalho. 

Porém mesmo com o aviso da Semed, que não utilizaria mais dos serviços da Toqueville, nenhum servidor foi comunicado do afastamento, ainda sendo enviada pela empresa a folha de pagamento à Semed dos terceirizados durante esse tempo.

Ricardo Valença explicou que, na época quando foi feito o pedido de afastamento, os contratados deveriam ter sido afastados e indenizados, cabendo apenas à Prefeitura Municipal de Maceió efetuar o pagamento do mês de fevereiro.

Hoje o secretário assinou a folha de pagamento de 398 trabalhadores de serviços gerais terceirizados no mês de abril.  “Não temos compromisso em pagar esses 242 trabalhadores. O comunicado foi feito à empresa, ela assinou e deveria ter comunicado e afastados todos”, frisou Valença
 
Outro fato curioso colocado pelo secretário foi que em algumas escolas dois funcionários estavam ocupando o mesmo cargo, sendo um concursado e outro terceirizado.“Se tivesse aceitado pagar os funcionários desta forma estaria cometendo uma  improbidade administrativa”, destacou Valença