O aumento do IPI e o Consumidor!

Os rumores do aumento do IPI sobre os carros corriam nos bastidores das importadoras há muito tempo, tanto que a KIA e a Jac Motoros realizaram importações acima do normal nos últimos meses, com o intuito de escapar ou minimizar o aumento que já era dado como certo.

Foi noticiado nos sites que a redação do aumento do IPI passou pelo crivo da ANFAVEA (Associação das fabricantes locais), não sabemos até que ponto isso é verdade.

Tenho certeza que este aumento prejudicou demais uma parte significativa da sociedade, qual seja, o consumidor. O Governo Federal alega que a indústria nacional estava sendo prejudicada, o estranho é que essa medida foi anunciada momentos após as grandes montadoras anunciarem férias coletivas.

Não queria, mas irei reviver uma frase do então presidente Fernando Collor "nossos carros são umas carroças", disse ele quando abriu o mercado para os carros importados, o que propiciou a importação do já extinto LADA um carro Russo, que espero que não volte, mas veio e assustou o mercado no início dos anos 90.

A verdade é que a empresa nacional não está conseguindo competir com a garantia e com os preços dos carros importados, desconheço carros nacionais que ofereçam garantia de 05 ou 06 anos como fazem as marcas, Kia, Hyundai, Chery e Jac Motors. Em regra, os carros nacionais oferecem a eterna garantia de 01 ano ou 20 mil km rodados, já ultrapassada nos tempos modernos.

Outro fator que incomoda as montadoras nacionais, foram os chamados acessórios, que antes era tratado como fator de luxo pela indústria nacional, já chegou como item de série nos carros importados, quais sejam: ar-condicionado, direção hidráulica, vidros elétricos, retrovisores elétricos e demais.

A indústria nacional ainda se limita a vender veículos sem nenhum conforto com preços altos, os carros importados chegaram com preço, qualidade e o argumento mais temido pela indústria nacional, garantia.

Não tenho a menor dúvida que o consumidor é o mais prejudicado com esse aumento, pois temos um desrespeito a Livre Concorrência e não me venham falar em defesa da indústria nacional em prejuízo quando a conta é paga pelo consumidor.

Algumas importadoras estão se mobilizando e já acionaram a justiça para conseguir no mínimo que essa medida só entre em vigor após 90 dias como determina a Constituição Federal em caso de aumento de impostos. A importadora Chery, já conseguiu uma liminar no Espírito Santo. Acredito que mais liminares como essa serão deferidas pela Justiça.

Nesse caso não tenho como lhes orientar a procurar seus direitos, somente lamentar essa decisão do Governo e aguardar que a mesma seja revista e revertida.

Twitter: @MarceloMadeiro

E-mail: [email protected]