A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) ensaia um pregão de recuperação nesta terça-feira (31). O índice Ibovespa - referência para o mercado brasileiro - teve alta de 0,67%, fechando aos 40.925 pontos. Com isso, o mercado brasileiro passou a acumular altas significativas tanto no mês quanto no ano de 2009.

 

Com o fechamento, o mercado brasileiro terminou o mês de março com alta de 7,18% em relação ao fechamento de fevereiro (38.183 pontos). No 1º trimestre, o ganho foi de 8,99% em relação ao patamar registrado no último pregão de 2008 (37.550 pontos).

 

O resultado do mês de março é o melhor em quase um ano: alta mensal maior só foi registrada em abril de 2008.

 

Entre as principais altas do dia, destacaram-se as ações da Telemar (Oi) e da Brasil Telecom - todos os papéis ligados à operadora de alcance nacional tiveram alta de mais de 4%. A Embraer, que registrou queda de lucro no ano passado, também teve recuperação, subindo mais de 5% nesta terça-feira.

 

O giro financeiro do dia ficou em R$ 4,177 bilhões.

 

Recuperação também em Wall Street, onde os agentes olham para a confiança do consumidor, que registrou melhora em março, e o índice de atividade em Chicago. Presidentes regionais do Federal Reserve (Fed) também têm discursos agendados. O índice Dow Jones, referência para Nova York, teve alta de 1,16%.

 

Na Europa, os principais índices de ações europeus fecharam em alta, com os papéis de mineradoras avançando diante dos preços mais fortes de metais. Além disso, grandes bancos recuperaram o terreno perdido na véspera.

 

O índice FTSEurofirst 300, referência dos mercados acionários europeus, avançou 3,47%, para 733 pontos. O indicador subiu 1,9% em março, mas caiu 11,9% no primeiro trimestre do ano, atingido pela crise financeira.

 

Na Ásia, as bolsas de valores terminaram em alta nesta terça, motivadas pelas ações do setor de tecnologia, com alguns investidores apostando que o período mais doloroso de danos aos balanços das empresas já deve ter acabado.

 

No Brasil, atenção para as ações do Itaú Unibanco que terão os códigos de negociações unificados.

 

Os detentores de ações ordinárias de Unibanco (UBBR3) e da Unibanco Holdings (UBDH3) receberão uma ação ON do Itaú Unibanco (código ITAU3) para cada 1,1797 ação ON possuída.

Aqueles que detiverem ações preferenciais do Unibanco (UBBR4) e da Unibanco Holdings (UBDH4) receberão uma ação do novo banco (ITAU4) para cada 3,4782 ações PN em carteira.

 

No caso dos acionistas que possuírem units do Unibanco (UBBR11), a relação de troca será uma ação PN do Itaú Unibanco (ITAU4) para cada 1,7391 recibo que possuírem.