Apesar da quebra na produção agrícola em 1,97 milhão de toneladas de cana-de-açúcar em relação a safra anterior, as usinas alagoanas anunciaram a estimativa de safra do ciclo 2008/2009 com a industrialização recorde de 877.238 milhões de litros de álcool.

O aumento na produção de álcool de 2,85% em relação ao ciclo passado - quando foram industrializados 852.907 milhões de litros do produto - foi um dos pontos determinantes do Plano Safra firmado, ano passado, entre os industriais do setor sucroenergético do Nordeste.

A medida teve a finalidade de se evitar problemas com o abastecimento da frota crescente de veículos movidos a álcool, a exemplo do que ocorreu, em agosto do ano passado, nos postos de combustíveis de Maceió.

Na época, a redução na oferta do álcool foi causada por um problema de logística de transporte do combustível comprado no centro-oeste do País para suprir a demanda da região Nordeste durante a entressafra. O Brasil possui uma frota de três milhões de veículos, sendo 85% deles flex.

De acordo com o último boletim de safra do Sindaçúcar-AL, com posição do dia 15 de março, as usinas alagoanas já haviam produzido 800.947 milhões de litros de álcool. Segundo o Sindaçúcar-AL, a safra deve ser encerrada na primeira quinzena de abril, com a industrialização de 2.271.089 de toneladas de açúcar e 877,238 milhões de litros de álcool. Até esta sexta-feira, dia 27, 12 das 24 usinas do Estado terminaram a moagem.