Mesmo extinta da estrutura da administração estadual, a Secretaria de Direitos Humanos – que era ocupada por Pedro Montenegro – vai beneficiar a Prefeitura Municipal de Maceió com dois projetos que foram enaltecidos pelo Governo Federal e significarão mais R$ 300 mil para os cofres públicos.

Com este dinheiro, o alcaide Cícero Almeida (PP) tem por obrigação a reestruturação da Casa Abrigo Terezinha Ramirez, além da promoção de cursos de capacitação com foco no combate à violência contra a mulher. Será que em função da forma como acabou com a pasta e demitiu Montenegro, o prefeito vai devolver o dinheiro que chegará para a Prefeitura?

Será verba carimbada para ações específicas. Por falar em Secretaria de Direitos Humanos, sua extinção foi duramente criticada pelo Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana e vai à contramão de uma política – em relação a este assunto – defendida pelo próprio PT, do qual Pedro Montenegro faz parte.

Mas, o Partido dos Trabalhadores – ao menos no âmbito local – parece não ter se incomodado com o assunto. Ninguém por lá falou sobre a extinção da Secretaria, nem sobre a exoneração de Montenegro, da forma que foi feita, sem sequer dar explicações. Um petista histórico me disse o seguinte: “ao receber o convite, Montenegro pediu para que sua ida para a Secretaria não fizesse parte da cota do PT. Era uma indicação pessoal”. Simples assim!
 

Estou no twitter: @lulavilar