Dias depois do PSD ter sido questionado no Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina pelo PTB de Roberto Jefferson, do senador Fernando Collor e do parlamentar federal João Lyra – um dos que querem ir para o PSD para ser presidente em Alagoas – o deputado estadual Dudu Holanda retoma sua cruzada pela – ele mesmo denomina – “construção do Partido Social Democrático (PSD) na Terra dos Marechais.

O inodoro e incolor partido surge como a única opção fisiológica de mudança de casa, para os que possuem seus planos eleitorais para 2012 e para aqueles que pretendem se firmar caciques e se sentem incomodados com agremiações que possuem muitos chefes. Este último, parece ser o caso de João Lyra, diga-se de passagem. Dudu Holanda faz leitura diferente da deste blogueiro. Segundo ele, é um partido que já nasce forte também em Alagoas.

O partido que nasce forte, corre o risco de nem nascer, caso assim entenda a Justiça Eleitoral. Por outro lado, é tão forte que ressuscitou até gente morta – lá em Santa Catarina – para que estes assinassem a lista de filiação. Em recente entrevista, Dudu Holanda convida toda a classe política – detentora ou não de mandato eletivo – para o ingresso no partido, que pretende se tornar a quarta maior sigla partidária na Câmara Federal.

No dia 29, foram definidos – em Brasília – os detalhes acerca do processo da criação da legenda que nem é de esquerda, nem de direita, nem de centro, nem oposição, nem situação, e segue numa perfeita antítese de interesses.

Quanto aos problemas para a criação da legenda, Dudu Holanda “garante que tudo transcorre na mais absoluta tranquilidade”. Ele declara: “ainda teremos agosto e setembro para filiar possíveis candidatos a vice-prefeito e vereador para as eleições de outubro do próximo ano”.


Dudu Holanda conclama os insatisfeitos. Na lista de convidados Vips, está Ricardo Nezinho, que é do PTdoB.
 

Estou no twitter: @lulavilar