Este blogueiro conversou com o presidente da Câmara Municipal de Maceió, Galba Novaes (PRB), sobre o diálogo – que varou a madrugada – como deputado federal Maurício Quintella (PR). Na mesma mesa, dois possíveis candidatos à Prefeitura de Maceió, em 2012. Na mesma mesa, dois aliados do prefeito Cícero Almeida (PP), que busca participar do processo da escolha do candidato para lhe suceder dentro de um chapão que reúna o maior número de partidos o possível.

O mesmo projeto do qual Almeida foi “porta-voz” em 2010, mas que faliu antes mesmo de sair do papel. Agora, mais uma vez (diga-se de passagem) os membros da reedição do chapão não acreditam em naufrágio. Cícero Almeida segue crente de sua influência no grupo e os diálogos vão acontecendo. Na conversa que tive com Novaes, ele avaliou o encontro com Quintella como um “papo de amigos”.

“Foi natural. Recebi o convite e fui. Maurício é meu amigo, já fomos vereador juntos e já votei nele para deputado federal”, colocou Galba Novaes. Indagado sobre o assunto “eleições 2012” ter entrado na roda, Galba Novaes confirmou. “É um encontro de dois políticos, não é Vilar? Então, é natural que o assunto entre na roda. Não tem como não discutir o processo político”, colocou ainda.

O presidente da Câmara Municipal de Maceió externou – inclusive – sua vontade de ser prefeito da capital alagoana. “Vontade? Quem não tem vontade? Se eu penso? Sim, eu penso. Hoje estamos no quarto mandato, então eu acho que é natural querer participar das discussões. Já fui o vereador mais votado e nas eleições passadas fui o segundo, perdendo apenas para Heloísa Helena (PSOL). Tive 70 mil votos, quando fui candidato a Senador. Então, tudo isto nos faz pensar”.

Porém, apesar da vontade, Galba Novaes fala que a candidatura majoritária passa pelas discussões de um grupo e faz questão de citar o prefeito Cícero Almeida como parte deste processo, do qual ele (Novaes) e Maurício Quintella fazem parte. “A conversa foi boa. O PR cresceu muito. O PRB é um partido que também cresceu. Eu estou com o prefeito Cícero Almeida, o deputado Maurício Quintella também, então vejo como natural a formação destas alianças”, destacou o presidente da Câmara, que se diz confiante na formação de um chapão

O problema é que nesta formação há mais pretensos candidatos e caciques do que se imagina. E quando falta índio, pode-se ter o mesmo processo que ocorreu em 2010, quando a imensa aliança anunciada pelo prefeito Cícero Almeida se desfez. Esperar para assistir às cenas dos próximos capítulos!


Estou no twitter: @lulavilar