A Câmara Municipal de Maceió realiza – nesta quinta-feira, 30 – a segunda edição da Sessão do Parlamento na Praça. A primeira custou R$ 48 mil aos cofres do Legislativo da capital alagoana. Para o presidente da Casa de Mário Guimarães, “uma economia fantástica”, já que se tinha orçado – inicialmente – em R$ 120 mil.

O presidente avalia a relação “custo-benefício” do evento, que – segundo ele – aproxima a população de seus edis. O atrativo – na manhã de hoje – fica por conta da pauta cheia que foi levado ao meio do povo e no meio da praça, no bairro do Jacintinho. O ponto principal – como já noticiado, inclusive aqui neste espaço – é a votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), com as emendas recebidas.

Mas, há outros projetos a serem lidos. O presidente Galba Novaes fala do que institui o subsídio dos servidores municipais e o de autoria do Executivo que prorroga o mandato dos conselheiros tutelares. Os projetos já estão na Mesa Diretora. O segundo pode ser aprovado já hoje. O outro pode ficar para o segundo semestre, pois depende também da agilidade da Comissão de Constituição e Justiça.

Em todo caso, com a aprovação da LDO, os vereadores podem partir para o recesso de julho, o que há muito tempo não acontecia na Casa. O presidente Galba Novaes trata o fato como uma vitória de sua gestão, cujos pontos principais a serem implantados estão sempre expostos na parede do plenário.
 

Estou no twitter: @lulavilar