Emissão de documentos chega a população de áreas isoladas de MS

  • 31/03/2009 03:57
  • Brasil/Mundo

Começou, em Mato Grosso do Sul, a Expedição da Cidadania. Nesta primeira etapa, o projeto vai percorrer mais de 700 quilômetros no Rio Paraguai. A proposta da Justiça Federal é levar serviços básicos às populações isoladas do Pantanal. A expedição começou na cidade de Porto Murtinho (MS), na fronteira com o Paraguai.

 

“Aqui as carências são muitas, crianças que não têm certidão de nascimento, pessoas que não têm um documento sequer que prove a sua cidadania”, diz a presidente do Tribunal Regional Federal, Marli Ferreira.

 

Emissão de documentos e regularização de estrangeiros são feitas gratuitamente. Juízes e defensores apressam os processos. A pesquisa de documentos é feita na hora. A maior procura é pelos benefícios da previdência, e caso seja necessária uma perícia, não precisa agendar.

 

O atendimento é prestado em uma escola. Moradores que precisam da intervenção da Justiça Federal podem entrar em contato com defensores e funcionários, que encaminham os pedidos. A expedição da cidadania já atendeu 8 mil pessoas. Em junho, os juízes federais voltam ao Pantanal para realizar as audiências agendadas.