Além das belezas naturais, o estado de Alagoas possui um forte potencial para a produção de ciência e tecnologia, desenvolvidas nas universidades públicas federais e estaduais. Para tornar esse potencial conhecido diante da sociedade o governo do Estado, por meio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Informação (Secti) realizará a III Oficina Alagoana de Jornalismo Científico, no próximo dia 4 de junho, no auditório da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal).
“O objetivo contribuir com a formação e atualização dos profissionais da imprensa que se dedicam à produção de matérias que divulgam a ciência em suas amplas possibilidades e alcance”, explicou a professora Lenilda Austrilino, coordenadora do evento e diretora de políticas de Desenvolvimento Científico e Tecnológico da Secti.
Lenilda Austrilino destaca o apoio da Universidade Federal de Alagoas, por meio da professora Rosana Vilela, coordenadora do Mestrado em Ensino na Saúde da instituição, para a realização da III Oficina. “É lamentável que a imprensa dê pouco espaço para matérias do campo da ciência, principalmente em Alagoas”, afirmou Lenilda, acrescentando que um dos propósitos da oficina é gerar a reflexão sobre os desafios e perspectivas da divulgação do conhecimento científico.
Com a missão principal de estimular a cobertura da área científica, o evento deverá reunir maior número possível de jornalistas, além de estudantes universitários, professores, profissionais liberais da área de comunicação social.
As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no site na Secretaria (www.secti.gov.br).

Programação:
8h30 - Credenciamento
09h - Solenidade de abertura
9h30 - Palestra e debate sobre os Desafios e perspectivas da divulgação da ciência no Brasil e na América Latina, com a jornalista Marina Ramalho e Silva, da FIOCRUZ.
12h - Intervalo
13h30 - Mesa redonda “A experiência impulsionando estratégias de divulgação da Ciência”
15h30 - Sistematização das discussões
17h - Encerramento