As três embarcações da Marinha brasileira que participam das buscas pelo avião da Air France que permanece desaparecido só devem chegar amanhã e na quarta-feira (3) ao local da última posição conhecida da aeronave. Cinco aeronaves da (Força Aérea Brasileira) já iniciaram as buscas, nesta segunda-feira.

O Airbus A330 da Air France, que cumpria o voo AF 447 e desapareceu em uma viagem entre Rio de Janeiro --de onde decolou por volta das 19h de domingo-- e Paris, pode ter sido atingido por um raio, segundo a hipótese mais provável levantada pela companhia aérea. O último contato com o controle aéreo brasileiro ocorreu por volta das 22h30. O avião transporta 228 pessoas, sendo 12 tripulantes e 216 passageiros --82 mulheres, 126 homens, sete crianças e um bebê.
Três navios participam das buscas, coordenadas pela FAB. Por volta das 9h30, partiu de Natal (RN) o navio-patrulha Grajaú, com cerca de 30 militares a bordo. A previsão é que ele chegue ao local onde se concentram as buscas por volta das 21h30 de amanhã.

A última posição conhecida do avião, segundo a FAB, é um local cerca de 421 milhas náuticas (800 Km) a nordeste de Natal (RN).

A corveta Caboclo, com cerca de 50 militares, também partiu na manhã de hoje de Maceió (AL), mas deve chegar ao local somente depois de amanhã às 20h. O navio será usado nas buscas e no reabastecimento do Grajaú.

A maior embarcação envolvida nas buscas é a fragata Constituição, que partirá de Salvador (BA) às 15h, com cerca de 200 militares e um helicóptero Lynx a bordo. O navio deve chegar ao local das buscas depois de amanhã por volta das 21h.

A fragata Bosísio e o navio-tanque Gastão Mota foram deixados de sobreaviso caso precisem ser empregados. A Marinha também coordena ações de buscas com navios comerciais que estejam previstos para cruzarem a área estimada do desaparecimento.

Quatro navios foram acionados para ajudar nas buscas: Lexa Maersk, Jo Cedar, Ual MTexas e Stolt Inspiration.