A pressão de parte dos países latino-americanos para que Cuba volte a fazer parte da Organização dos Estados Americanos (OEA) tem provocado reação contrária do governo dos EUA, em um jogo diplomático que poderá ser decidido na próxima cúpula do bloco, na cidade de San Pedro Sula, em Honduras, na terça e quarta-feira.

Até agora, a maior parte dos países da região está aliada ao eixo que defende o fim da suspensão imposta a Cuba em 1962. Já os americanos contam com apoio garantido apenas pelo Canadá. Brasil e Chile são considerados os fiéis da balança, segundo analistas, apesar de os dois governos já terem expressado apoio à reintegração.