Autoridades do governo norte-americano afirmaram que o presidente da General Motors, Richard Wagoner, vai renunciar imediatamente a pedido da Casa Branca. A notícia chega no mesmo dia em que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, se prepara para revelar os planos para revigorar a indústria automotiva do país.

Obama disse hoje que exige profunda reestruturação na General Motors e na Chrysler antes de conversar sobre possíveis novos empréstimos governamentais. As duas montadoras estão atravessando crise financeira internacional graças à ajuda de US$ 17,4 bilhões do governo norte-americano.

— Elas ainda não chegaram lá — disse Obama em entrevista ao programa Face the Nation, da rede de TV CBS.

Wagoner, 56 anos, entrou na GM em 1977, e exerceu diversas funções nos EUA, Brasil e Europa. Ele foi nomeado presidente e chefe executivo em 1º de maio de 2003. Uma pessoa próxima dos planos de Obama disse na semana passada que ele iria mais a fundo do que a administração Bush demandou quando aprovou os empréstimos iniciais às montadoras no ano passado. A saída de Wagoner indica que mais mudanças na diretoria da montadora podem fazer parte do acordo.