As constantes mudanças de temperatura, bem comuns no outono, lotam as unidades de saúde. Os problemas respiratórios atingem principalmente as crianças. São gripes, resfriados e ataques de bronquite. Em Ituiutaba, em Minas Gerais, o movimento nesta época do ano costuma ser duas vezes maior do que nos meses mais quentes.

 

Quem tem criança já sabe que toda vez que o tempo esfria a rotina dos pais também muda. A primeira tarefa do dia de Jaqueline Silva Santos, por exemplo, é levar as duas filhas ao médico. As irmãs, Maria Vitória de oito meses e Ariadini de dois anos, estão gripadas.

 

Rosa Maria Silva Alves, outra mãe, também enfrenta o mesmo problema. A filha de seis anos, Stefani Silva, sente dor no ouvido.

 

A preocupação com os dias mais frios também chegou às creches. Numa delas, no bairro Alvorada, o leite frio foi substituído por leite morno. Mas é um produto à base de manteiga de cacau tem feito sucesso entre a garotada.

 

Além de proteger os lábios dos pequenos, as professoras também mudaram o local da contar história. A caminhada pelas ruas próximas à creche é outra estratégia para espantar a queda da temperatura.