O adolescente de 17 anos apreendido na manhã de ontem (23), na Ilha de Itamaracá, sob suspeita de envolvimento no assassinato do professor de inglês e turismólogo Igor de Siqueira Duque, de 28 anos, na Tamarineira, Zona Norte da capital, durante uma tentativa de assalto, confessou o crime. Embora o menor tenha afirmado que agiu sozinho, a polícia não acredita na possibilidade.

 

Segundo a delegada Josineide Confessor, responsável pelo inquérito, o adolescente - que é usuário de droga e já teve duas passagens pela Fundac, uma por assalto e outra por porte ilegal de arma - disse estar arrependido do homicídio. A polícia chegou até o suspeito através do Disque-denúncia.

 

O menor confessou que havia chegado no local pouco tempo antes do crime. Deixou passar o primeiro veículo, abordando o segundo. Após o homicídio, o adolescente voltou para casa, onde ficou escondido por três dias e depois foi para Itamaracá, na casa de parentes.

 

O assassinato de Igor aconteceu pouco minutos depois de ele sair no carro da avó, um Renault Symbol, para pegar o irmão em um bar, quando foi abordado por três homens. Anunciado o assalto, Igor teria acelerado o veículo. Um dos bandidos atirou na vítima. A bala quebrou o vidro lateral do veículo e acertou o pescoço do professor, que morreu na hora. Após ser baleado, Igor perdeu o controle do veículo e bateu em um Renault Clio que passava pela avenida, no sentido subúrbio-cidade.

 

O carro em que ele estava ainda rodou na pista, subiu a calçada e bateu no muro do bar Caldinho Avenida, que estava fechado. O outro veículo colidiu no gelo baiano, no meio da avenida. Testemunhas contam que os três bandidos fugiram a pé.