O Brasil é o país da América do Sul que mais consome cosméticos e remédios que podem ser comprados sem receita, segundo um estudo da empresa de consultoria Euromonitor e do jornal chileno "Estrategia".

 

No caso dos cosméticos, a despesa anual média por habitante no Brasil é de US$ 116,20; no Chile, é de US$ 96,50, enquanto que na Argentina, chega a US$ 74,90.

 

Já em relação aos medicamentos sem receita, o brasileiro gasta anualmente em média US$ 27,20 nesse tipo de produto, mais do que o chileno (US$ 20,80) e que o argentino (US$ 19,30).

 

O Brasil também gasta mais em bebidas quentes (café, chás) -- US$ 31 em média por habitante ao ano, mais que os US$ 24,90 na Argentina, o segundo país com mais despesas nesse quesito.

Além do Brasil, o estudo inclui dados de Argentina, Chile, Colômbia e Peru.

 

Os argentinos lideram o consumo anual médio de alimentos frescos (US$ 429 por habitante), seguidos dos brasileiros (US$ 380,20).

 

O mesmo acontece em relação às despesas com eletrodomésticos, nas quais os vizinhos gastam US$ 103,10 por habitante contra US$ 51,30 no Brasil.

 

Os chilenos, por sua vez, são os que mais gastam com bebidas alcoólicas - US$ 233,90 contra US$ 226,20 no Brasil - e com tabaco e derivados - US$ 91,40, logo à frente dos argentinos, com US$ 55,10, e dos brasileiros, com US$ 41.