Dia 31 de janeiro de 2011, a Serra da Barriga, sede da República dos Palmares, em Alagoas completa 15 anos de inscrita no Livro de Tombamento Arqueológico, Etnográfico e Paisagístico do Instituto do Patrimônio Histórico - Artístico Nacional – IPHAN;
Tombamento é o ato de reconhecimento do valor cultural de um bem, que o transforma em patrimônio oficial e institui regime jurídico especial de propriedade, levando-se em conta sua função social
Os 15 anos do registro do tombamento da Serra da Barriga tem o sabor de um rito de passagem. A Serra ganha o status da maturidade: 15 anos!
Uma maturidade carregada da herança coletiva de símbolos, oralidades ,ancestralidade, historicidade, africanidades.
O simbolismo do Parque Memorial Quilombos dos Palmares, plantado no platô da Serra.
O Parque Memorial Quilombo dos Palmares é o primeiro complexo arquitetônico de inspiração africana no Brasil e o único projeto afro-cultural em todas as Américas.
Simbolismo rimando com liberdade bordadeira de literaturas.
Literatura das boas, como intérprete das nossas memórias ancestrais ,como bem o diz, José Carlos Limeira, escritor baiano, da geração de escritores militantes negros que começaram a produzir na década de setenta do século XX:
“Por menos que conte a história
Não te esqueço meu povo
Se Palmares não vive mais
Faremos Palmares de novo
Saudades das tuas noites
Fogueiras que não vivi
Palmares, Estado Negro
Vivo pensando em ti (...)”
Na noite do dia 31 de janeiro, nos 15 anos da Serra da Barriga, o Projeto Raízes de Áfricas promove o Festival Alagoano das Palavras Pretas, no Teatro Abelardo Lopes que fica na Galeria Arte Center, Av. Antonio Gouveia, 1113,no bairro da Pajuçara, das 18 às 22 horas, reunindo as gentes boas daqui e de acolá, de todas e muitas cores, credos e ideologias.
O Festival Alagoano das Palavras Pretas quer contar histórias poetizadas, com singularidade buscando aproximar outras culturas, das amplas maiorias minorizadas.
Teremos poesias pretas impressas e espalhadas pelos cantos, recantos do Teatro Abelardo Lopes para que você possa criar intimidade e soltar a voz, junto com o grande ator, cidadão alagoano Chico de Assis.
O Festival Alagoano das Palavras Pretas quer transformar pessoas espectadoras em participes na construção das leituras públicas da poesia.
Durante o Festival haverá a entrega do Troféu de Honra ao Mérito Guerreiro Quilombola aos parceiros/colaboradores da Comunidade Quilombola de Pau D’Arco e do Projeto Raízes de Áfricas.
A entrada para o I Festival Alagoano das Palavras Pretas é franqueada ao público, entretanto é preciso que você faça sua inscrição.
E para fazer a inscrição é simples: mande um e-mail dizendo: “Quero participar do II Festival Alagoano das Palavras Pretas”.Coloque seu nome completo, instituição,
endereço, telefone/celular,e-mail.
Envie para o seguinte e-mail: [email protected], com cópia para [email protected]
Você receberá confirmação da inscrição.
Inscreva-se e fique a vontade. Você não vai faltar. Vai?!
Mais informações: (82)8815-5794