O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) realizou, ontem (21) a última sessão ordinária da semana, com os julgadores negando provimento à maioria dos processos em pauta, sendo o mais polêmico o recurso eleitoral relatado pelo juiz e corregedor eleitoral André Granja referente à ação de investigação judicial eleitoral (Aije) impetrado pelo ex-prefeito de Campo Alegre, Jorge Matias e que concorreu ao mesmo cargo em 2008, contra a chapa vencedora, encabeçada por José Mauricio Tenório, e envolvendo a atual primeira-dama do município, Rosineide Porto Cabús.

Tenório reelegeu-se e tem a cassação do mandato solicitada por Matias que o acusa pela prática de abuso de poder econômico e político mediante o uso da maquina púbica e distribuição de cestas básicas. E permanece no cargo por decisão unânime da corte.

O órgão do Poder Judiciário Eleitoral alagoano rejeitou à unanimidade, também hoje, os embargos de declaração apresentados pelo prefeito reeleito de União dos Palmares, Areski Dâmara de Omena Freitas (Kil) e o respectivo vice, Adeildo Sotero da Silva, contra o Acórdão 5022, de 29 de abril último, do próprio tribunal, que manteve a sentença de primeiro grau favorável à desistência do promotor e representante do Ministério Público Eleitoral no mesmo município como testemunha em uma ação interposta por ambos em desfavor dos candidatos aos mesmos cargos na principal chapa adversária.

O TRE negou provimento, nos termos do voto do relator, Francisco Malaquias de Almeida Júnior ao recurso interposto pelo prefeito eleito de Junqueiro, Fernando Soares Pereira e o vice, Carlos Augusto Lima de Almeida, contra a expedição de diploma do vereador Erivaldo Beltrão Tavares, por captação lícita de sufrágio, abuso de poder político e econômico.