O senador Fernando Collor de Mello (PTB-AL) disse que não fará parte da tropa de choque do governo para abafar as investigações na CPI da Petrobras mas para investigar, informa nesta quinta-feira o Blog do Josias da Folha de São Paulo "Não farei parte de nenhuma tropa de choque na CPI", disse o senador, ao blog.

Collor foi indicado pelo PTB para integrar a comissão e disse acreditar que há "pontos obscuros da administração da Petrobras". "Sempre há o que investigar. Basta a pessoa ser um pouco curiosa para detectar dúvidas e perguntas que precisam ser feitas", afirmou.

A oposição ainda não definiu quem vai indicar para presidir a CPI. O DEM defende o nome do senador Antonio Carlos Magalhães Junior (DEM-BA) e o PSDB quer emplacar o senador Álvaro Dias (PSDB-PR). Sem consenso, os dois partidos adiaram a decisão para a próxima semana.

Entre os aliados também há indefinição sobre quem pretendem indicar para a comissão. A previsão é que a decisão deve ocorrer somente na próxima semana, quando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva retorna da viagem aos Emirados Árabes, China e Turquia.