A Justiça ouve na tarde desta quinta-feira (21) no Fórum da Barra Funda, na Zona Oeste de São Paulo, as testemunhas do caso do ex-jogador de futebol Janken Ferraz Evangelista, acusado de matar a ex-mulher Ana Cláudia Melo da Silva, em 22 de março deste ano. De acordo com a assessoria do Tribunal de Justiça de São Paulo, ele também será interrogado durante a audiência.

A sessão está marcada para as 13h desta quinta. Janken responde pelos crimes de homicídio, subtração de incapaz e furto. Pelo menos oito testemunhas de defesa e oito de acusação serão ouvidas. Janken será o último a falar, ainda segundo o tribunal. A juíza Luciana Piovesan também pode decidir nesta quinta se ele irá a júri popular.

Segundo a polícia, o ex-jogador confessou o crime. A jovem de 18 anos foi morta com pelo menos 14 facadas em um prédio da Rua Doutor Malta, no Jardim da Saúde, na Zona Sul de São Paulo. Câmeras de segurança do edifício registraram o momento em que o homem entrou no prédio acompanhando da ex-mulher e do filho do casal, um menino que tinha 1 ano e 8 meses na época do crime. Os dois voltavam para a casa dela após assistir a um jogo entre Santos e Corinthians.

As imagens também mostram o momento em que o homem deixou o apartamento levando o filho no colo, 40 minutos depois de entrar. Ele saiu com uma camisa diferente da que usava ao entrar no apartamento. Janken foi preso três dias depois pela polícia da Bahia. A guarda do menino foi entregue provisoriamente para a avó paterna.