O governo do Estado lança na próxima segunda-feira (25), durante o I Fórum Alagoano para Redução da Mortalidade Infantil, o projeto Viva Vida que tem como meta fortalecer a Atenção Primária na busca de estratégias para reduzir a mortalidade infantil nos 102 municípios alagoanos. O evento será no Centro de Convenções, a partir das 8h, e contará com a presença do governador Teotonio Vilela Filho e do secretário da Saúde, Herbert Motta.

O projeto terá o envolvimento de representantes de diversos órgãos de governo e da sociedade civil organizada para o desenvolvimento, monitoramento e avaliação de estratégias e políticas públicas em defesa da vida da criança. Durante o Fórum, haverá palestras, mesas-redonda e painéis integrados sobre o perfil da mortalidade infantil e fatores determinantes; ética e compromisso social; apresentação de experiências exitosas em Arapiraca e Murici; investigação de óbitos e Comitê de Mortalidade Materna e infantil; ações da primeira semana; atenção nutricional, entre outros temas.

O secretário Herbert Motta explicou que meta para a redução da mortalidade infantil em Alagoas é ultrapassar os 5% ao ano até 2010, como foi definido pelo governo federal. A estratégia do governo, explica Motta, é sensibilizar os gestores municipais e profissionais de saúde na luta em favor da vida. “O governo federal estabeleceu um plano de ações estratégicas para acelerar a redução das desigualdades na Amazônia Legal e região Nordeste e nesse contexto Alagoas se comprometeu em superar a meta de redução do Ministério da Saúde”, disse.

De acordo com a diretora de Atenção Básica da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), Myrna Pimentel, a expectativa é de que cerca de 450 pessoas participem do evento, entre prefeitos; secretários estaduais e municipais; coordenadores de vigilância epidemiológica e de atenção básica. “Até o próximo mês vamos realizar esse mesmo fórum nas 13 microrregiões de saúde, destinado a médicos, enfermeiros e agentes comunitários do Programa Saúde da Família; ao todo serão 1500 profissionais”, afirmou.

Participam do evento, ainda, representantes do Conselho Estadual de Saúde (CES), Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems), Conselho Regional de Medicina (CRM), Sociedade Alagoana de Pediatria, Ministério Público Estadual, Universidade Estadual de Ciências da Saúde (Uncisal), Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e Pastoral da Criança. 

Redução – Apesar de Alagoas ainda liderar o ranking nacional de mortalidade infantil, o Estado tem apresentado queda significativa em suas taxas que, segundo o Sistema de Informação Sobre Mortalidade (SIM), em 2000 representava 31,38 por cada grupo de mil nascidos vivos. Atualmente esse número está na casa de 18,67. A disparidade nos números apresentados pelo SIM e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) ocorre em função do método utilizado para obtenção desses números. O primeiro utiliza o método direto; já o segundo faz projeções por estimativas.