Clau Soares

Arapiraca terá música e show pirotécnico

Clau Soares 41f1f0fd aec0 4565 8839 327cf8f97348 Bosque das Arapiracas

O sucesso do Natal Mágico, no Bosque das Arapiracas, motivou a Prefeitura de Arapiraca a realizar mais um grande evento no espaço. Desta vez, os arapiraquenses poderão celebrar a chegada de 2016 com uma programação especial, no local, ainda na quinta-feira (31) e continua no primeiro dia do ano, com queima de fogos e shows.

A festa terá início às 21h, na quinta-feira (31), com a apresentação da cantora Naná Martins. A queima de fogos ocorrerá à meia-noite e deve durar até 16 minutos. De acordo com representantes da Secretaria de Cultura e Turismo, o serviço será prestado por uma empresa da região, com autorização do Corpo de Bombeiros.

Logo após o show pirotécnico, a banda Pagode Entre Nós sobe ao palco. Às 2h, será a vez da banda Fascínio comandar a festa. A noite (e a madrugada) terá ainda a participação do DJ Rafa. Muita música para ninguém ficar parado e entrar em 2016 com  muita energia e disposição.

Os organizadores explicaram que o Bosque das Arapiracas se tornou um espaço de agregação das famílias da cidade e região, o que contribuiu para a decisão de realizar o réveillon no local. A proposta é que seja um momento voltado para famílias com animação e segurança.

A festa é gratuita e aberta ao público.

Cacheadas em Arapiraca: elas contam como superaram a ditadura do liso

Arquivo pessoal 6ed146ea bef5 4153 891d 0145edf74828 Ingrid Kelly exibe os cachos.

Apesar da divulgação, cada vez mais frequente na imprensa, e nas redes sociais, assumir os cabelos crespos ou cacheados ainda é um desafio que exige força de vontade e muita paciência das mulheres. Dá trabalho, angustia, mas tudo é recompensado com a recuperação da autoestima e o fim da ditadura do liso. E isso é o que elas dizem.

Em Arapiraca, conversamos com a servidora pública e estudante de Educação Física, Ingrid Kelly Alves dos Santos Pinheiro, e com a jornalista Priscila Anacleto. Elas ousaram e hoje exibem suas madeixas com a autoestima redobrada. O mais interessante é que os relatos de experiência das duas se cruzam em vários pontos, apesar de não se conhecerem pessoalmente.

Tanto Ingrid quanto Priscila começaram a alisar os cabelos por volta dos 11 anos de idade. Dos alisamentos mais agressivos até as atuais selagens, elas experimentaram de tudo para manter os cabelos lisos, até decidirem que era a hora de assumir os cachos. “Foram 12 anos presa aos procedimentos químicos”, afirmou Priscila Anacleto.

Quem as vê divando pelas ruas de Arapiraca, com os cabelos ao vento, pode não ter ideia de como foi todo o processo. “Foi um período difícil, eu me sentia feia e impaciente com o cabelo que não crescia. Com três meses de transição, pensei em fazer o Big Chop (grande corte), mas o cabelo natural estava muito pequeno, então desisti. Não foi um período fácil e não tive muito apoio da família”, revela Ingrid Kelly.

A jornalista Priscila Anacleto, entretanto, teve um incentivo especial. “Minha maior motivação foi o meu amor, Tony Medeiros. Ele me incentivou a parar, aguentou-me na luta diária da transição, elogiava-me todos os dias, chamava-me de linda, mesmo quando eu me sentia horrível. Quando fiz o grande corte, ele continuou ao meu lado, me dando forças. Acreditem, cortar o cabelo desse jeito mexe completamente com a feminilidade da gente. A autoestima vai ao chão e tê-lo ali comigo, me apoiando e elogiando me fez ter certeza de que eu iria conseguir”, relatou.

Felizes com o resultado

 “Ao realizar o grande corte, não foi só o visual que mudou, concepções também mudaram. Consegui aceitar e entender, principalmente, que meu cabelo é crespo, sou negra/descendente de negros, que fugi dos padrões estabelecidos por uma sociedade racista, sexista, que impõe padrões de beleza”, destaca Ingrid Kelly.

“Os cachos fazem parte de mim. Eu não assumi meu cachos, eu assumi a minha identidade, meu eu verdadeiro. Essa sim sou eu.  E sou muito grata a todos que me deram apoio, aos que criticaram também! A minha família, amigos e, principalmente meu marido, que acompanhou todo o processo bem de perto, foi e continua sendo um companheiro e tanto”, confessa Priscila Anacleto.

Inspiração e ativismo

A jornalista Priscila Anacleto, que compõe a equipe de repórteres da TV Gazeta (Rede Globo), revela ainda que diariamente recebe convites no Facebook de meninas que querem mudar ou inspirar as amigas a adotarem o visual natural. “São historias lindas. Converso com elas e sinto que, de alguma forma, elas se sentem representadas. Sinto-me um pouco responsável por essas meninas e não vou decepcioná-las!”, garante.

Já a estudante Ingrid Kelly faz parte do grupo Cachos Alagoanos, que troca informações pela internet, e já pensa em realizar um ensaio fotográfico de mulheres cacheadas, em Arapiraca, em janeiro de 2016. A proposta é incentivar mais meninas a se libertarem dos processos químicos para alisamentos e ficarem mais poderosas com os cachos.

Cuidados com os cachos

A consultora pedagógica e técnica do Instituto Embelleze Arapiraca, Aparecida Brandão, explica que os cabelos cacheados, por serem extremamente secos, precisam de hidratação com ativos e proporções desenvolvidos exatamente para eles. “Para manter seu cabelo cacheado ou crespo hidratado, faça sessões de hidratação constantemente”, recomenda.

Segundo ela, os cachos têm estrutura capilar igual a dos cabelos lisos e podem receber colorações, descolorações, mechas variadas, como todo tipo de cabelo. Os cuidados devem ser redobrados com hidratação, reconstrução, cauterizações e terapias capilares. “Os cachos necessitam ser alimentados com ativos e oligo-elementos que perdemos todos os dias por conta dos radicais livres”, frisa.

Ela aconselha que cada mulher tenha uma cabeleireira que indique quais os tratamentos mais indicados e a necessidade do cabelo. “Cada cabelo precisa ser analisado  para poder usar o componente que mais devolva os nutrientes necessários para a saúde e beleza. As pessoas com  cabelos cacheados podem não conseguir o mesmo resultado de um procedimento feito por outra pessoa porque há diferentes necessidades e tipos de cachos”, explica.

Aparecida Brandão destaca ainda que cabelos crespos ou cacheados precisam de umectação uniforme, fortalecimento e cachos definidos. Ela indica os produtos com óleo de gergelim, de coco, de abacate, d-pantenol, ou manteiga de ojon, para devolver a elasticidade, movimento e fios bem tratados com cutículas seladas para garantir o brilho. “Nossa dica é passar o Gilt Plus e Power Mold da Embelleze Salon para manter os cabelos hidratados e modelados. Isso vai ajudar a domar o volume”, recomenda.

Para mais imagens, clique AQUI

Feira Gourmet e decoração natalina atraem multidão ao Bosque das Arapiracas

Aa9e1bb2 98dc 489a aa09 27d11f15cf34

O Bosque das Arapiracas transformou-se no ponto de encontro de centenas de famílias, neste final de semana. Depois de alguns finais de ano, sem programação natalina, a cidade surpreendeu: além das luzes, enfeites, Papai Noel, anjos e diversos motivos que remetem ao período festivo, a programação cultural conquistou os arapiraquenses que lotaram o parque para conferir tudo de perto.

Desde o começo do mês de dezembro, a decoração começou a ser colocada nas ruas. Tudo muito tímido, embora sinalizando que havia um clima de otimismo no ar. Feitos a partir de garrafas pet, os enfeites ficaram centralizados no Bosque.  E quem passava por ali diariamente para as tradicionais caminhadas, já parava para tirar algumas fotos com os dizeres “Feliz Natal” ou no trenó do Papai Noel.

Na sexta-feira (11), o anúncio da primeira edição da Feira Gourmet no Bosque das Arapiracas despertou a atenção. E, à noite, muita gente foi ao local para  degustar as delícias feitas por especialistas gastronômicos da terrinha. Como tudo foi decidido de última hora, algumas das atrações não conseguiram ficar prontas. Ainda assim, a food bike Santo Brownie, e os food trucks  Bull Açaí e Soup Burger fizeram bonito.

E o que se viu, nas noites deste sábado (12) e domingo (13), foi muita gente saindo de casa para levar filhos, sobrinhos e amigos para curtir o clima ameno do bosque, fotografar a decoração, comer algodão doce, churros, brigadeiros (o que dizer das delícias da Valentina Brigadeiros, gente?!), brownies, hot dog (o American Hot Dogs abriu!), açaí. Ah, sem falar que teve música, coral e escalada para a alegria das crianças – e, sem nenhuma vergonha, de muitos adultos também.

Um domingo no parque como há muito tempo não se via por essas bandas... E o melhor: isso tudo vai continuar rolando pelos próximos dois finais de semana, com livre acesso para o público, a partir das 18h. Vamos aproveitar. 

Veja mais fotos AQUI

 

Com artesanato, jovem consegue renda fabricando produtos em feltro

94f82325 3348 4395 b0ee 36de5a5569da

Há cerca de um ano, a jovem arapiraquense Daniely Menezes, de 26 anos, desistiu de ser vendedora no comércio local. Não compensava. Chegou a receber R$ 500, por mês trabalhado, apesar de cumprir os horários e esforçar-se para atingir as metas de vendas. No artesanato, ela descobriu uma forma de garantir a renda mensal e ainda trabalhar em casa. Foi a grande mudança em sua vida.

Artesã, como se apresenta, Daniely era fascinada pelos trabalhos manuais, ainda criança, quando observava a mãe costurar. “Sempre gostei disso. Tudo que tem a ver com papel, madeira, tecido, botão. Tudo que tem a ver com arte. Sou louca”, confessa. As vendas, no entanto, chegaram naturalmente. “Começaram a encomendar e eu vi que eu sou feliz fazendo isso. Não sabia que ia dar esse retorno”, revela.

Hoje, a maior parte de suas encomendas é feita em feltro, um material compactado de lã ou pelos, com aparência de tecido, que é transformado em pequenas obras de arte nas mãos habilidosas da artesã. O trabalho não é fácil: envolve pesquisa, mão de obra qualificada e tempo. “Estudo, faço cursos relacionados ao feltro. Compro apostilas”,  diz Daniely.

Ela conta que já passou nove dias trabalhando de forma ininterrupta para entregar uma encomenda. “Precisava fazer bonecos do Peter Pan de 10 centímetros. ‘Não ajudava em nada em casa. ‘Tem que ter muita dedicação”, afirma.

No pequeno quarto onde dorme, também está instalado o seu ateliê – local no qual executa as peças. Balcão, cadeira, linhas, agulhas, muitos feltros coloridos e uma máquina de costura resumem a pequena manufatura de Daniely Menezes. Ali também, ela estuda para ingressar em um curso de nível superior. “Estou me preparando para prestar vestibular para fisioterapia na Uncisal (Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas)”, conta.

Caso seja aprovada no vestibular, ela não pretende parar de fazer artesanato. “Em janeiro, vou me cadastrar como microempreendedor individual. ‘ Não quero parar. Isso (o trabalho artesanal) vai me ajudar a pagar as despesas, caso eu passe”, explica.

Serviço:

O quê: Ateliê Menezes  - por Daniely Menezes

Onde: Bairro São Luiz II, em Arapiraca

Contato: ateliemenezes@outlook.com ou (82) 99606-9455

Redes Sociais: Instagram @ateliemenezes

         Facebook: https://www.facebook.com/AtelieMenezes/?fref=ts

Veja mais fotos em: www.blogdaclausoares.com.br

Jéssica Tenório fala da carreira na banda Dona Flô

D71a8f0d 66c0 47c9 ad98 fc63f5f88923 Divulgação

A inconfundível voz da cantora arapiraquense Jéssica Tenório, de 24 anos, identifica-a em qualquer lugar. A Dona Flô, nome artístico também da banda da qual faz parte, vive a música, de forma intensa, há sete anos.  Casada com o músico Jacó Carvalho, a intérprete desfruta a fase de realizações.

A agenda da semana é disputada: das festas particulares a barzinhos da cidade, sempre há trabalho. Em virtude dessa correria, o sonho de ser mãe foi apenas adiado. A maioria dos shows é em Arapiraca, mas há convites para outras cidades. A correria é tanta que, após o final de semana, ela sempre perde peso. Com o sucesso, Dona Flô consegue manter-se com o trabalho na banda. “Eu consigo viver de música em Arapiraca”, diz.

Jéssica revela que sua trajetória na música aconteceu de forma muito natural. “Eu cantava em casa, com a família, e na igreja. ‘Eu não pensava: vou cantar. Era uma coisa tão distante”, lembra. Neste ínterim, Dona Flô começou a fazer o curso de direito, mas desistiu para se dedicar totalmente à carreira de cantora. “Não faço nada pela metade. ‘Quando eu disse: vou ser cantora, já abri mão do direito”, lembra.

A banda Dona Flô tocava somente Música Popular Brasileira (MPB). O repertório, no entanto, foi mudando à medida que o público pedia. “A banda se transformou. ‘Teve muito isso no nosso trabalho. A gente foi se transformando com a necessidade de Arapiraca”, explica.

Samba da Flô

 A Dona Flô vive a ansiedade para subir ao palco no dia 11 de dezembro. Ela ressalta que o Samba da Flô será, de fato, marcante. “O Samba da Flô é uma realização especial”.  Para ela, a oportunidade de mostrar ao público uma grande paixão. “O samba é muito amor. Meu trabalho é música, meu hobby é samba”, ressalta. 

Clássicos, como “As rosas não falam”, “O mundo é um moinho”, “Casa da Noca”, “Coração em Desalinho”, “O bêbado e o equilibrista”, prometem fazer o público dançar e também se emocionar. 

O show está marcado para ter início, às 21h. As mesas, no valor de R$ 100, estão sendo vendidas, por telefone, no (82) 9 9949 4798, ou no restaurante Comedoria, no Centro de Arapiraca. 

Serviço:

O quê: Samba da Flô – Samba de Roda 

Onde: Filomena Barzin – Lago da Perucaba (Arapiraca)

Quando: 11 de dezembro, às 21h

Quanto: R$ 100 (mesa)

Contatos: (82) 9 9949-4798

 

Terceira edição Fashion House 2015 destaca fortalecimento da indústria em Arapiraca

Click Due A132492a 64b4 488b 9cbb 354d5664fa79

Cerca de 30 expositores estarão presentes na terceira edição do Fashion House, a maior feira de tendências do Estado, que acontece nos dias 25 e 26 de novembro, às 19h, no Levino’s Hall, em Arapiraca. Moda, fotografia, cerimonial, buffets, noivas, maquiagem, acessórios, desfiles, confeitaria, estão entre as atrações do evento.  Este ano, a entrada será um quilo de alimento não perecível.

O coordenador da iniciativa, o estilista Artur Cavalcante, destaca que, este ano, o Fashion House vem fortalecido, com a adesão de um grupo representativo de empresários. “Nosso foco é destacar os produtos e serviços de Arapiraca e região, criando um calendário oficial de moda e de tendências para a sociedade do interior de Alagoas”, frisou Cavalcante.

Nas duas noites do evento, além dos estandes, também serão realizados os já consagrados desfiles de moda. Entre as empresas que as irão apresentar suas coleçõe, estão Cris Modas, Via G, Santuário Moda íntima, Andarella, Traquinana, Le Petit, Ateliê Artur Cavalcante e outras. “Este ano, as lojas da cadeia têxtil de alagoas também participam, fortalecendo a indústria local. Para nós, é uma grande vitória”, explica Artur Cavalcante.

 

Autoridades na passarela

Os desfiles das tendências de moda virão com atrações especiais. As secretárias municipais, Myrka Lúcio e Mônica Nunes, estão escaladas para desfilar na passarela do Fashion House, com modelos elaborados por membros da indústria têxtil da região. “É uma forma de valorizar a produção têxtil local”, frisou o organizador, Artur Cavalcante.

O projeto tem o patrocínio do Sebrae, Federação da Indústria e Comércio, Governo do Estado, Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo e Sindicato da Indústria do Vestuário do Estado de Alagoas. 

Recém-chegada à Arapiraca: energia e jovialidade traduzem o estilo Gasoline

Divulgação A226cf66 b19f 412a 8822 f8effb7eb3e6

“Tudo que passa por nossos olhos é inspiração”. A frase é da empresária e estilista Carla Vargas, a mente criativa por trás das coleções da Gasoline, empresa que aportou, em Arapiraca, há menos de um mês, e já é sucesso entre os mais antenados no mundo fashion. Com peças que traduzem a energia da jovialidade, a Gasoline é referência no ramo, desde a década de 1990.

Para Carla Vargas, o trabalho de criação na Gasoline é uma grande missão. “A nossa idéia, e objetivo, é passar sempre coisas novas, especiais, diferentes. ‘As peças são pensadas sempre em cima dos momentos que o mundo está vivendo, desde o clima, música até política. Tudo isso influencia a moda. A moda tem que ser algo na qual você se realize, se encontre, que conte ao mundo como você está se sentindo”, explica a estilista.

Na loja do Arapiraca Garden Shopping, a quarta do grupo, em Alagoas, a Coleção Verão 2016 encanta as fashionistas da cidade. As cores vibrantes, com tecidos mais fluidos, estampas e a leveza para encarar os dias mais quentes do ano predominam. “A nossa coleção espera levar às pessoas que usam a marca Gasoline prazer, satisfação, auto-afirmarão, ousadia”, frisa Carla Vargas.

Gasoline: 20 anos de muita moda

A marca existe desde 1991, quando foi inaugurada a primeira loja em Porto Alegre (Rio Grande do Sul). Hoje, o grupo detentor está radicado, em Maceió, onde estão as três lojas da franquia, uma no Centro da cidade e mais duas em shoppings. A fábrica também está na capital, onde são confeccionadas todas as peças masculinas e femininas.

Quer saber mais sobre a marca, acesse o site: http://www.gasoline91.com.br. Lá, tem o editorial com os principais produtos da nova coleção.

Santa Lolla reinaugura loja no Arapiraca Garden Shopping

C5d3e7b5 fe39 42b0 bb0b 0ada588b59ce

Há dois anos, em Arapiraca, a Santa Lolla consolidou-se no mercado como uma referência no mercado. A qualidade, aliada à beleza e atualidade das peças, transformaram os calçados e demais acessórios da marca em desejo para a maioria das mulheres. A presença das clientes na reinauguração da loja da franquia, no Arapiraca Garden Shopping, nesta sexta-feira (13), confirma isso.

Além de reabrir as portas, após modernizar as instalações, com uma ambientação ainda mais aconchegante, a Santa Lolla Arapiraca lançou também a nova coleção Alto Verão 2016. Bolsas, calçados e demais acessórios trazem as tendências mais atuais.  Nude, muita cor, brilhos, branco e a estamparia são os pontos de destaque da coleção.

A empresária Rosa Lira destacou a linha Marry Me, especial para noivas, com scarpins, sandálias, flats e sapatilhas voltadas para quem vai subir ao altar, além das peças repletas de glamour para as festas de final de ano, com brilhos e saltos especiais para quem deseja uma produção realmente marcante.

As cores vêm em clima de verão, fortes e cheias de energia, com ótimas opções para presentear, como as bags ultra coloridas que saem por R$ 99, cada uma, ou as sapatilhas em tons radiantes, também a R$ 99, o par.

Rosa Lira, que comanda a franquia em Arapiraca, junto com a sócia Hyseth Oliveira, revelou que a procura pelos produtos Santa Lolla surpreendou a dupla. “A aceitação foi acima do que esperávamos. Temos clientes no Agreste e também do Sertão do Estado. No Instagram, temos mais de 8 mil seguidores e, por isso, também enviamos produtos para  todo o Brasil. Estou muito feliz. Apesar da crise, estamos crescendo”, frisou.

Em um dia de muitos brindes, impossível não perceber o quanto a Santa Lolla é querida pelas clientes da região. Um sucesso absoluto.

Mais fotos em: http://www.blogdaclausoares.com.br/

Protetoras Arapiraca ajudaram mais de mil animais em um ano

Arquivo pessoal Ad69dd10 5766 4a30 beb6 d38dea8c8413 Mariana e Jordana: fundadoras do grupo

Em menos de um ano de atuação, o grupo de voluntários Protetoras Arapiraca já ajudou cerca de mil animais. Apesar deste relevante trabalho, as coordenadoras sofrem diariamente para continuar prestando socorro a cães e gatos abandonados. Isto porque, mesmo com a ajuda de algumas pessoas físicas e empresas locais, ainda faltam recursos para os resgates.

A estudante e uma das líderes do grupo, Mariana Oliveira, revela que hoje há cerca de 40 voluntários no Protetoras Arapiraca. São pessoas dispostas a contribuir diariamente com a causa animal, seja auxiliando tutores  sem condições financeiras, resgatando, mediando adoções, ou buscando ajuda veterinária. “Temos cerca de 40 voluntários fixos! Mas inúmeros nos ajudando sempre de alguma forma”, afirma Oliveira.

Em Arapiraca, quatro  petshops colaboram com a iniciativa: a Poodles&Cia,  o Petaki,a Clínica Animale e a Bicho de Patas. Estas empresas  atendem aos animais resgatados pelos volintários, no entanto não podem arcar com as despesas relacionadas a serviços de terceiros, como os medicamentos e exames. Por isso, as Protetoras Arapiraca sempre estão com contas a pagar nestes empreendimentos. E os valores nem sempre são baixos. Há casos, que no primeiro atendimento, custam mais de R$ 400.

Na fanpage no Facebook, com mais de sete mil curtidores, os apelos por doações são diários. Em um caso, o da cadelinha Belinha, o apelo na rede social: “Foram mais de 400,00 reais e ontem não recebemos quase nenhuma doação!”. “Temos alguns doadores mensais que doam sem aquela obrigação. Os que realmente querem ajudar sempre estão ajudando de alguma forma”, explica Mariana Oliveira.

Para doar

Todos os dias, o Protetoras precisa de ração para cães e gatos, medicamentos, material de limpeza, dinheiro para quitar os procedimentos veterinários, inclusive castrações e lar temporário. Para quem tem interesse de ajudar, doações podem ser efetuadas na Center Graf e na loja Edna modas,no Centro, de Arapiraca.  

Para doações em dinheiro, o grupo tem duas contas bancárias, no nome da protetora Jordana de Labert G L J Menezes, uma no Banco do Brasil : agência  0542-8 |conta corrente 30413-1; e outra na Caixa Econômica: agência 3209| conta poupança 11058-9 | operação 013. 

Workshop em Arapiraca mostra como fugir da crise com maquiagem e marketing

8a26d4fe c6a5 4499 acde 92e3e93f002b

Em tempos de crise, a melhor saída é se reinventar para incrementar os negócios. Com essa proposta, será realizado, em Arapiraca, no dia 28 de novembro, o “Workshop de Maquiagem – Vencendo a Crise com Glamour”, com a maquiadora Sandra Lopes e com a especialista em marketing, Márcia Carvalho, no Hotel Sol Nascente.

Com uma visão estratégica e focada no empreendedorismo, as palestrantes irão mostrar que é possível gerar uma boa renda com o trabalho na área de beleza, utilizando o conhecimento em maquiagem e técnicas de marketing.

A primeira etapa do evento será uma palestra, com duração de uma hora, sobre marketing pessoal. Márcia Carvalho vai abordar temas relevantes para quem almeja ser lembrado neste disputado mercado. Será o momento de fortalecer o profissional enquanto marca, abordando temas referentes a comportamento, reputação pessoal, autoimagem e muito mais.

Em seguida, será a vez de aprender a cuidar mais de si e ainda lucrar com maquiagem. Sandra Lopes vai mostrar como fazer a preparação da pele, utilizando técnicas de luz e sombra, maquiagem social e maquiagem para noivas. Sandra Lopes é expert na área e um dos principais nomes da área em Alagoas.

Ainda de acordo com as organizadoras do workshop, a iniciativa visa incentivar a interação entre pessoas que gostam da área, apresentar novas técnicas de maquiagem, além de orientar acerca do ingresso e sucesso na carreira.

As inscrições estão abertas e podem ser feitas por meio da fanpage do evento no Facebook (facebook.com/workmaquiagem). Mais informações: 9.9922-4594 ou 9.9921-8185, eimarketingeventos@gmail.com.

Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 comercial@cadaminuto.com.br
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 cadaminutoalagoas@hotmail.com