Cidade

Ufal Arapiraca inicia realização de análise de testes RT-PCR para Covid-19

  • Assessoria
  • 07/04/2021 10:19
  • Cidade
Assessoria

A Universidade Federal de Alagoas (Ufal) em Arapiraca está realizando testes de Covid-19 pelo método RT-PCR por meio de uma parceria com a prefeitura local. Uma equipe da Universidade, liderada pela vice-reitora Eliane Cavalcante, está recebendo as coletas de material enviadas pelo município e realizando a análise nos laboratórios da Ufal no agreste alagoano. 

Há cerca de 25 dias Arapiraca não realizava os laudos de exames desta espécie, ficando na dependência da análise laboratorial hoje centralizada pelo Lacen ( Laboratório Central de Saúde Pública de Alagoas). Com a ação, a comunidade local está recebendo um importante suporte no campo da saúde pública neste momento de disseminação do novo coronavírus.

"Recebemos testes RT-PCR do governo federal e firmamos mais esta parceria importante com a Prefeitura de Arapiraca para apoiar o município diante desta demanda grande por testagem frente à pandemia da Covid-19. Esta é mais uma contrapartida de nossa Ufal a Arapiraca e a Alagoas. Como a demanda está muito grande, o Lacen acabava por ficar sobrecarregado, e por isso ofertamos este apoio ao povo arapiraquense. Montamos uma equipe com técnicos e docentes da Ufal e estamos entregando laudos de confiabilidade em até 48 horas. Este é um mutirão fundamental, que reforça a importância da Universidade e seu papel de estar sempre presente e atuante em prol de nossa gente”, disse a Eliane Cavalcanti.

Considerado o “padrão ouro” ou “padrão de referência”, o RT-PCR é o exame que identifica o vírus e confirma a Covid-19. Para isso, o teste busca detectar o RNA do vírus através da amplificação do ácido nucleico pela reação em cadeia da polimerase. As amostras são coletadas através de swabs (cotonetes) de nasofaringe (nariz) e orofaringe (garganta). A abordagem do exame, no momento, é do profissional de saúde que está atendendo o paciente no hospital, ambulatório ou consultório. Isso porque é preciso saber a fase da doença para a coleta da amostra.

Arapiraca e Maceió são os municípios com maior incidência de casos de Covid-19 a cada 100 mil habitantes no estado de Alagoas. A constatação faz parte do relatório do Observatório Alagoano de Políticas Públicas para Enfrentamento da Covid-19, da Ufal. Boletim Epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) desta terça-feira confirmou mais 808 novos casos de Covid-19 em Alagoas. Dessa forma, o estado tem um total de 157.330 casos confirmados do novo coronavírus até o momento, dos quais 3.312 estão em isolamento domiciliar. Foram registradas 23 mortes em território alagoano nesta terça. Com isso, Alagoas tem 3.688 óbitos por Covid-19.

Covid-19: Mais de 4,5 mil arapiraquenses podem ter'esquecido' de tomar segunda dose da vacina

  • Adalberto Custódio
  • 07/04/2021 09:58
  • Cidade
Foto: Reprodução / Internet
Vacina

Na manhã desta quarta-feira (7), a Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Arapiraca emitiu uma nota solicitando uma maior atenção, por parte dos idosos, com relação aos prazos para receberem a segunda dose da vacina contra o Coronavírus.

Segundo a nota, boa parte da população acima de 72 anos que tomou a Coronavac já está com prazo para receber a segunda dose da vacina atrasado ou para atrasar.

Em Arapiraca, 5.685 idosos com essa faixa etária tomaram a primeira dose da Coronavac. Desses, apenas 1.120 tomaram a segunda dose. Ou seja, 4.565 pessoas precisam prestar atenção no cartão de vacinação, pois podem estar com a 2ª dose da vacina atrasada.

Lembrando que o intervalo entre as doses da Coronavac é de apenas 21 dias. O prazo não se aplica para quem tomou a AstraZeneca, cujo prazo é de 3 meses.

Em Arapiraca são três os pontos de vacinação: Unidade do Sesc, Ginásio do EPIAL e Arapiraca Garden Shopping, esse último apenas no sistema druve thru.

Professor arapiraquense que lutava contra leucemia morre em Maceió

  • Redação
  • 03/04/2021 08:38
  • Cidade

Faleceu na tarde desta sexta-feira (2), o professor José Clebson, ele estava internado em Maceió no Hospital Veredas, onde realizava tratamento por conta de leucemia, mas não resistiu e acabou falecendo.

Clebson era bastante conhecido no município arapiraquense, pois trabalhou em diversos seguimentos escolares da cidade.

Segundo informações de parentes e amigos consternados com o passamento de Clebson, informaram que foram mais de oito meses de luta contra essa doença, mas ele não resistiu ao tratamento e veio a falecer.

O professor deixa um filho de 11 anos. 

Ponto de vacinação do Sesc Arapiraca reabrirá aos domingos a partir de 4 de abril

  • Redação
  • 30/03/2021 08:44
  • Cidade

A partir do próximo dia 4 de abril, o ponto de vacinação que funciona no Sesc Arapiraca funcionará de domingo a domingo, das 8h às 18h.

O objetivo da Prefeitura de Arapiraca, através da Secretaria Municipal de Saúde, é ampliar ainda mais o horário de vacinação, devido o aumento no número de idosos inseridos no grupo prioritário.

Atualmente, Arapiraca conta com três pontos de vacinação. São eles:

- Sesc Arapiraca, funcionando de domingo a domingo, das 8h às 18h;

- Ginásio do Centro de Educação Integral Mário César Fontes, funcionando de segunda a sexta, das 8h às 18h;

- Drive Thru do Arapiraca Garden Shopping, funcionando de segunda a sábado, das 8h às 20h.

Hospital de Arapiraca busca familiares de paciente com parentes em Mata Grande

  • Redação com Assessoria
  • 30/03/2021 08:35
  • Cidade
Cortesia / Hospital de Emergência do Agreste

A coordenação do Projeto Preparando a Volta Para Casa e o Serviço Social do Hospital de Emergência do Agreste, em Arapiraca, emitiu uma nota nesta segunda-feira (29) informando que estão à procura de familiares do paciente José Carlos dos Santos, de 42 anos de idade.

O homem foi socorrido na cidade de Girau do Ponciano e tem um irmão chamado Crispim dos Santos, residente na cidade de Mata Grande, no Sertão de Alagoas. Ele está internado desde o dia 20 deste mês de março e, até o presente momento, nenhum familiar veio procurá-lo.

Ainda segundo a assessoria do Hospital do Agreste, o paciente está em abstinência alcoólica e sofreu uma fratura no tornozelo. Quem puder ajudar na localização de familiares do paciente, favor entrar em contato pelos telefones (82) 3529-2488 ou 3529-2450.

HEA comemora 15 altas de pacientes curados da Covid-19 neste fim de semana

  • Assessoria
  • 29/03/2021 08:49
  • Cidade

Lágrimas de felicidade, abraços e muita emoção marcaram, neste sábado (27), o reencontro de familiares com a idosa Maria Lino dos Santos, de 71 anos de idade, que recebeu alta médica no Hospital de Emergência do Agreste, em Arapiraca, depois de passar 51 dias internada para tratamento e cura da Covid-19.

Neste fim de semana, o HE do Agreste registrou o seu maior número de altas médicas de pacientes recuperados da doença: foram 15 pessoas.

A idosa Maria Lino dos Santos, que reside em Arapiraca, foi internada com mais dois familiares, entre eles o filho José dos Santos Silva, de 41 anos.

Alegria e agradecimentos

"Estou muito feliz em voltar ao hospital, recuperado da doença, e poder levar minha mãe de volta para casa", afirmou.

Parentes de mortos pela Covid-19 relatam a dor e o luto após a doença chegar à família

  • Mara Santos e Maria Luiza Lúcio
  • 28/03/2021 10:02
  • Cidade
Foto: Arquivo /A Crítica

A pandemia do novo coronavírus já dura um ano e continua avançando pelo mundo. O Brasil registrou, até este sábado (27), 310.550 mil vítimas fatais da Covid-19. Em Alagoas tem 3.467 óbitos já registrados em decorrência da doença.

Em meio a medidas restritivas, protocolos sanitários, isolamento e distanciamento social, as pessoas que morreram devido ao vírus e, por causa dele, muitas vezes não sabem como e onde foram infectadas, são enterradas sem o direito a funerais ou a uma despedida apropriada da família e amigos. Além disso, são obrigadas a enfrentarem a perda, o sofrimento e o luto, sem o abraço e conforto dos seus, gerando um misto de medo, revolta e ainda mais dor.

Ao Cada Minuto, três alagoanos que perderam parentes para a Covid-19 relataram como a doença chegou à família e como estão enfrentando o processo de luto em meio a uma despedida incompleta e atípica.

‘Ela saiu para o exame e não voltou mais para casa’

No primeiro semestre de 2020, os índices de contágio por coronavírus no Brasil já estavam em alta, a estudante Laísa Dowsley perdeu sua avó, com quem morava desde sua infância e tinha uma relação maternal, em decorrência da Covid-19.

A neta afirma que a avó, Maria Luiza Dowsley, 60 anos, trabalhava como psicóloga, mas permaneceu em isolamento desde o início da pandemia. “Ela sempre foi uma pessoa saudável e cuidadosa, mesmo antes disso tudo começar. Sempre foi uma pessoa preocupada, que comprava os alimentos, limpava tudo, sempre foi assim”, explica.

“Infelizmente, uma tia minha, que trabalha na área da saúde, acabou contraindo o vírus e minha avó também se contaminou. Primeiro ela começou a ter bastante febre, mas o maior problema foram os pulmões [...] Ela não queria ir pro hospital, não queria ser internada, mas a gente acabou tendo que levar pra fazer um exame, uma tomografia do pulmão, pra ver o quanto estava comprometido, porque a saturação dela estava muito baixa. Ela saiu para o exame e não voltou mais para casa”, relata.

Laísa conta, a partir de sua perspectiva, como foi acompanhar sua avó durante a internação. “Ela ficou internada, pois o pulmão estava bastante comprometido. A princípio, ela ficou no oxigênio, mas logo depois teve que ser entubada, o que foi muito complicado porque não tínhamos contato nenhum. Após o exame, a gente não teve mais contato nenhum com ela”.

“Os médicos, alguns dias, nem davam notícia. Minha avó não tinha plano, foi tudo pelo sistema público. Tinha dia que a gente não sabia se ela estava bem.  [...] Ela não podia nem ficar com celular. Começou a ficar muito agitada por causa da intubação e precisou ser sedada”, completa

Após todo esse processo, começaram a vir notícias boas e sinais de recuperação. Laísa explica que a saturação estava melhorando e os médicos acreditavam que seria possível retirar a intubação, mas logo em seguida tudo começou a mudar e sua avó acabou não resistindo.

“Do nada, não deu certo. A gente já estava criando esperanças. Na verdade, a gente sempre teve, porque ela era nova ainda, muito saudável. Minha avó faleceu, dia 6 de junho. Os rins dela pararam de funcionar, ela teve uma parada cardíaca e não aguentou”, conta a neta.

Maria Luiza atuava na reeducação do presídio psiquiátrico, em Maceió, era uma profissional dedicada, atenta as necessidades do outro e sempre oferecia seu melhor, segundo a neta.

“Ela era o tipo de pessoa que fazia tudo por todo mundo. Comprava lápis de cor, giz de cera, caderno de desenho para os presos. Era o tipo de pessoa que no Natal ou na Páscoa sempre comprava presentes, para o chefe e até para pessoa que ficava olhando o carro no estacionamento.

Ela era literalmente a melhor pessoa do mundo e foi bastante doloroso, está sendo bastante doloroso. É uma coisa que a gente ainda está lidando”, afirma Laísa.

“Acho importante ressaltar que ela sempre foi cuidadosa, nada chegava lá em casa e era guardado antes de lavar. Isso era algo que ela sempre teve, anos antes da pandemia, e ela morreu justamente por esse vírus sabe?!”, lamentou.

“Ele foi levado para o hospital, mas não recebeu nem oxigênio, pois chegou sem vida”

A Família da pedagoga Maria Farias tomou um susto quando sete pessoas foram infectadas com Covid-19, mesmo com a manutenção dos cuidados necessários por todos da casa. O que ninguém imaginava era que a doença levaria o patriarca da família, Manoel Venâncio de Farias, aos 87 anos.

“Meu avô tinha feito exames dois meses antes, o médico falou que ele estava com a imunidade baixa, mas não apresentava nenhum sintoma de covid. No entanto, decidimos redobrar os cuidados e mantê-lo mais em casa, por medo de ele ser infectado”, diz Maria.

A neta conta que, devido ao trabalho e atividades dos integrantes da família, o avô deve ter sido contaminado em casa, mas não sabe quem levou a covid para o convívio familiar. “ Trabalhei uma semana infectada e não sabia, tive contato com uma pessoa infectada também. Meu irmão viaja sempre à trabalho, tem contato com muita gente, e meu pai ia sempre à feira, então, ele pode ter sido infectado por algum de nós três em casa mesmo”, relata a jovem.

Maria diz que o avô era o patriarca da família, que criou seis filhos de sangue e três filhos do primeiro casamento da mulher. A neta afirma que o avô era para ela um pai. “Nos deu uma base de como realmente uma família deve ser, ligada sempre a Deus e ser um pelo outro. Ele não era meu avô, e sim meu pai. O que não tive no meu pai, ele supriu tudo”, completa.

Dias antes de morrer, Manoel, que era hipertenso e tinha arritmia cardíaca, preocupou a familiar por apresentar falta de apetite. A família chamou uma enfermeira para avalia-lo e foi informada de que seria melhor interna-lo, pois ele estava fraco e febril. A direção do posto de saúde acionou uma ambulância para levar Manoel para um hospital, mas a mãe de Maria decidiu esperar os filhos para tomar a decisão.

“Ficamos apreensivos. Ele, idoso, não tinha o diagnóstico de ser covid até então, iria ficar internado, sozinho, sem ninguém da família por perto e, devido aos casos registrados no município, nos preocupou que ele pudesse ser contaminado lá. Não imaginávamos que ele já estava com a doença”, relata.

Ainda em casa, Maria conta que o avô não apresentava cansaço, tosse, nem reclamava de dor, ou algo que apontasse que poderia ser coronavírus. “ Ele citava moleza no corpo e uma agonia que sentia na cabeça. Isolamos ele em um quarto, com contato apenas com os de casa”, afirma.

Maria conta que a família decidiu fazer um exame sorológico, após o avô passar a noite do dia 05 de junho de 2020, sem conseguir dormir. Ele reclamava de dor de cabeça, não conseguia levantar da cama sozinho, mas não apresentava tosse ou cansaço.

No dia seguinte, sábado, 6 de junho, a neta diz que uma pessoa da família, que é assistente social, ajudou a decidir pela internação, mas o resultado do exame, que deu positivo, só saiu às 13h40.

Maria relata que sua mãe estranhou o fato de Manoel não chamar por ela, há algum tempo, o que fazia a todo instante. Ao entrar no quarto, a mãe de Maria percebeu que ele não estava respirando direito e chamou os filhos para levá-lo até a Unidade Sintinela, em Arapiraca, cidade onde a família reside.

“Meus dois irmãos pegaram meu avô nos braços e o levaram para o carro. Ele estava desacordado. Às pressas, ele foi levado para o hospital, mas não chegou a receber nem oxigênio, pois chegou sem vida. Ele faleceu praticamente nos braços dos meus irmãos”, relata Maria.

Em meio a dor da perda e com parte da família infectada, Maria conta que estava em isolamento e teve que resolver as questões do sepultamento do avô. A neta diz que além de tudo, não poder velar e sepultar o avô junto à família e como ele merecia só aumentou a tristeza de todos.

“Estávamos cientes que o corpo só poderia ficar no máximo 2 horas na unidade sentinela. Avisei no grupo da família que ele iria ser velado antes das 17h, pois ele faleceu às 15h. Queríamos pelo menos algumas horas para a família se despedir, mas não podia [...] o sepultamento foi acompanhado por 20 pessoas da família, que tiveram que manter o distanciamento social”, expõe Maria.

A jovem lamenta que a família não pode escolher o local onde iria sepultar o avô e que a intenção era de sepultá-lo junto a sua esposa, mas devido a morte ter sido por Covid-19, não foi permitido. “Informaram que tinha que ser onde todos os mortos pela doença estavam sendo enterrados no momento, e que só depois de três anos poderíamos tirar os restos mortais e colocar onde queríamos”, salientou.

Segundo Maria, após a morte do seu avô, a falta de empatia, cuidado e consciência da população são coisas que ela não compreende e a leva a questionar se as pessoas pensam na gravidade da situação.

“É algo que me deixa até sem esperança no ser humano. Há um vírus mortal que requer esse isolamento para livrar uns aos outros e, mesmo assim, as pessoas não param para pensar na gravidade. É nítido o quão mortal é esse vírus, que de uma hora para outra modifica a vida de uma família inteira. Digo isso porque perdemos a pessoa mais especial que tínhamos e a falta é imensa”, desabafa.

Maria diz que a lição é prezar pela saúde seus familiares, amigos e dos outros. Ela conta que o restante da família se recuperou, mas que a saudade do avô, a quem define como “incrível” será eterna.

“Ele era um homem incrível, leal, de bom coração, humilde e de muita fé. Em todo momento estava em evangelização. Sempre falava do amor de Deus, ele nos faz falta todos os dias e essa saudade será constante em toda a família”, concluiu Maria.

Duas mortes: ‘O que mais nos deixava aflitos era a falta de notícias’

No último ano, Julliane Santana e sua família tiveram que enfrentar a perda de duas pessoas da família. A tia Maria Socorro de Oliveira Silva, 57 anos, e a avó, Angelita Maria de Oliveira, de 90 anos. Ambas vítimas de Covid-19.

“Minha tia Socorro foi a primeira a apresentar os sintomas da doença. Era como se fosse uma virose, ela sentia muita moleza no corpo, cansaço e calafrios. Como ela não era muito de falar o que sentia, não sabemos ao certo quando começaram os sintomas. O ápice foi quando a irmã da minha tia viu que o cansaço dela estava muito forte. Então, chegou um momento que ela não se aguentava em pé e foi decidido levá-la a UPA [Unidade de Pronto Atendimento]”, relata Julliane.

Segundo Juliane, após o atendimento, veio a expectativa de que logo haveria melhora e Socorro poderia voltar para casa. No entanto, rapidamente, o caso foi se agravando. “Ela foi levada à noite e quando foi de madrugada já tivemos notícias de que ela seria entubada para não ficar forçando o pulmão. Foi então que caiu a ficha de que poderia ser a Covid”, conta a sobrinha.

Julliane diz que no dia seguinte após dar entrada na UPA, Socorro teve que ser transferida para um hospital, pois seu estado de saúde tinha se agravado e exigia internação em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI). “Minha tia foi levada em uma quarta-feira. Na quinta-feira foi transferida para o Hospital Universitário, na sexta-feira ela já estava respirando por respiração mecânica e o estado dela continuava se agravando. No sábado de manhã, ela não resistiu e veio a falecer. Era dia 2 de maio”, completa.

A jovem explica que, desde que sua tia apresentou os sintomas iniciais, a família logo precisou se preocupar com sua avó, Angelita Oliveira, que morava com Socorro.

“Na semana que minha tia estava doente, minha avó já estava bem fraquinha, sem querer comer e sem esboçar reação. Ficamos preocupados, pois havíamos perdido minha tia para Covid e, um dia antes dela ser internada, minha vó estava deitada em uma cama e minha tia em outra” conta Julliane.

Ainda enfrentando a dor de ter perdido Socorro, a família teve que buscar forças para cuidar de Angelita, cujo estado de saúde já inspirava cuidados e preocupação.

“No dia que enterramos minha tia, minha avó foi levada para um ambulatório, tomou soro e o médico suspeitou de infecção urinária. Assim, nos tranquilizamos e a levamos para casa. Passaram-se dois dias quando minha tia notou um certo cansaço na minha avó e chamou o Samu. Ao falarem para a médica que minha tia tinha falecido de Covid, ela já foi levada para UPA como suspeita”, relata a neta.

A neta conta que todo pesadelo vivido com a tia começou outra vez. Segundo Julianne, a falta de notícias era o que mais afligia a família.

“O que mais nos deixava aflitos era a falta de notícias. Tínhamos que apelar por notícias, mas sabíamos do caos que as unidades de saúde se encontravam. Minha vó se internou em uma terça-feira. Quando fizeram exames de sangue e as taxas deram todas alteradas, o estado já estava grave. No dia seguinte, soubemos que precisaria ser transferida para uma UTI com urgência, pois ela já estava com insuficiência renal”, descreve.

A jovem continua: “quando conseguimos uma vaga no Hospital da Mulher, a UTI móvel para transferi-la estava sempre ocupada devido à grande demanda. Ela só foi transferida na sexta-feira, então a espera pelo boletim médico era desesperadora. No sábado, fui até o hospital tentar conseguir notícias e o quadro dela continuava o mesmo, o problema renal persistia. No domingo, dia 10 de maio, ela faleceu”.

Julliane conta que agora, ela e a família, precisa lidar com essas duas perdas irreparáveis e relata com saudade momentos que ficaram em sua memória, vividos ao lado da tia e da avó.

“Minha tia era um amor, uma mãezona para o filho e cuidava da minha vó como ninguém. A profissão dela era se dedicar ao filho e a sua casa. Já minha avó era tudo para mim. Uma pessoa doce, que trazia calma e tranquilidade no olhar. Não morávamos perto, mas todos os dias eu procurava saber como ela estava. Nos finais de semana ia sempre visitá-la. Devido à idade avançada, muitas vezes ela não conhecia as pessoas, mas só em estar ao lado dela, alisando seu cabelinho e fazendo carinho já me deixava bem”, finalizou.

 

Vacinação para idosos com 66 e 67 anos será iniciada a partir de segunda (29) em Arapiraca

  • Assessoria
  • 27/03/2021 09:00
  • Cidade
Foto: Pablício Vieira/Ascom Arapiraca

Mais uma vez a Prefeitura de Arapiraca, através da Secretaria Municipal de Saúde, amplia a idade de vacinação. A partir desta segunda-feira (29), idosos com 66 e 67 anos serão inseridos no grupo prioritário de vacinação.

Eles podem procurar um dos três pontos de vacinação disponíveis em Arapiraca, de segunda a sábado. São eles:

  • Sesc Arapiraca – das 8h às 18h;
  • Ginásio do Epial – das 8h às 18h;
  • Arapiraca Garden Shopping (Drive Thru) – das 8h às 20h.

A coordenadora de Doenças Imunopreveníveis de Arapiraca, enfermeira Mônica Suzy, ratifica que a cidade tem recebido quantidade de vacinas suficiente para imunizar todos os que estão sendo inseridos nos grupos de vacinação.

“Há vacinas para todos. Não precisa ter pressa para vacinar porque as doses não vão acabar e nem há prazo para finalizar a campanha”, assegurou


 

 

Jornalista arapiraquense morre em Maceió vítima da Covid

  • Adalberto Custódio
  • 25/03/2021 09:15
  • Cidade

Morreu na madrugada desta quinta-feira (25) o jornalista arapiraquense Alexandro Oliveira, conhecido no meio como Sandro Oliveira. Ele tinha 43 anos e estava internado num hospital de Maceió lutando contra complicações causadas pela Covid-19.

Ao precisar ser hospitalizado, o jornalista foi internado no Hospital Geral do Estado (HGE). Com o agravamento do seu quadro de saúde, Sandro foi transferido para o Hospital da Mulher, onde chegou a passar por sessões de hemodiálise.

Apesar de ser natural de Arapiraca, Sandro construiu sua carreira na capital, onde atuou por vários anos como diagramador do Jornal Gazeta de Alagoas. Atualmente trabalhava como diagramador de uma gráfica.

Segundo familiares, o corpo do jornalista será sepultado em Arapiraca. Ele deixa esposa e um filho.

 



 

Empresário arapiraquense morre após complicações por Covid-19

  • Redação
  • 25/03/2021 08:04
  • Cidade

Após uma semana internado devido a complicações da Covid-19, morreu na madrugada desta quinta-feira (25) o empresário arapiraquense José Aldonsio Vieira, 52, proprietário do Talentos Buffet, uma das mais conceituadas empresas do ramo no interior do Estado.

O empresário foi hospitalizado no último dia 17 de março e dois dias depois apresentou complicações e teve que ser transferido para a UTI do Hospital Regional, onde não resistiu na madrugada de hoje.

Não há informações sobre o local do sepultamento.

Vacinação pelo sistema Drive Thru começa terça-feira (23) em Arapiraca

  • Redação com Assessoria
  • 21/03/2021 11:25
  • Cidade

Com a chegada de mais doses de vacinas contra a Covid-19 houve a ampliação do número de idosos vacinados. Para evitar filas e aglomeração, principalmente nos primeiros dias de vacinação, a Prefeitura de Arapiraca, através da Secretaria Municipal de Saúde, em parceria com o Arapiraca Garden Shopping, iniciará, nesta terça-feira (23) o Drive Thru.

Os familiares que possuírem carro poderão se dirigir ao shopping para poder levar seu idoso, que receberá a dose do imunizante dentro do veículo.

A parceria entre a prefeitura e o shopping garante também a gratuidade do estacionamento pelo tempo em que o veículo estiver na fila. Sendo assim, mesmo que a vacinação ultrapasse os 15 minutos de tolerância do estacionamento do shopping, a saída do veículo será permitida. Mas atenção! O motorista precisará mostrar o cartão de vacinação da pessoa que recebeu a dose da vacina para fins de comprovação.

O Drive Thru funcionará de segunda a sábado, das 9h às 15h e terá todo itinerário devidamente sinalizado.

Vacinação continua no Sesc

O objetivo do Drive Thru é diminuir o público no Sesc Arapiraca, que continuará funcionando de segunda a sábado, das 8h às 17h.

Atualmente, fazem parte do grupo prioritário de vacinação idosos com idade igual ou maior que 72 anos e profissionais da saúde.

Durante a última semana, com a ampliação do número de idosos vacinados, o local recebeu milhares de idosos. De acordo com o relatório da Coordenação de Doenças Imunopreveníveis, somando os trabalhos das equipes do Sesc e das equipes volantes, Arapiraca aplicou mais de 3,3 mil doses de vacina em apenas uma semana.

Comissão da Câmara de Arapiraca vai apurar suspeitas em contratação de empresa de lixo

  • Assessoria
  • 21/03/2021 11:16
  • Cidade

A Câmara de Arapiraca vai apurar as suspeitas em contratação de empresa que faz a coleta de lixo no município. Presidente da Casa, o vereador Thiago ML (PROS) encaminhou todas as denúncias para a comissão que fiscaliza contratos e ações no combate à Covid-19 para fazer os levantamentos e identificar possíveis irregularidades.

Desde a última semana, três empresas coletoras de resíduos sólidos procuraram a Mesa Diretora da Câmara Municipal relatando um "processo obscuro" da Prefeitura de Arapicara quanto a escolha do grupo que está fazendo a coleta do lixo domiciliar na cidade. De acordo com elas, há trinta dias se colocaram à disposição da atual gestão para participação do edital de chamamento, receberam o sinal positivo e dias depois foram surpreendidas com a escolha direta da Ciano Soluções Ambientais para realização do serviço.

O assunto foi tema de discussão nesta semana na Câmara Municipal. Os vereadores alegam que até o fim de 2020, a prefeitura gastou mais de R$ 16 milhões com o serviço e estranharam que agora não houve edital de seleção para empresas do setor. Na gestão passada o faturamento do lixo era R$ 1,3 milhão e a partir de 2021 vai para R$ 2,2 milhões, causando estranhesa na diferença de peço já que o trabalho e o procedimento são os mesmos.

Curiosamente, desde 2014 o mesmo grupo não sai de Arapiraca. Iniciou com a Limpel, passou por Eleva Ambiental, na gestão do ex-prefeito Rogério Teófilo, e agora com Luciano Barbosa é a empresa Ciano Soluções Ambientais. Todas as empresas têm como proprietário o empresário Antônio Tarcísio da Silva.

Após publicação no Diário Oficial do Município, foi feito um processo emergencial e em menos de 48h a Ciano estava trabalhando com os mesmos carros e o mesmo pessoal da Eleva Ambiental. Durante o primeiro dia de atividades em Arapiraca, eram os carros plotados com a identidade visual da Ciano e os trabalhadores usando o uniformes com a marca da Eleva. Nesta semana, todos os funcionários da Eleva foram demitidos e os mesmos readmitidos pela Ciano.

Fase Vermelha: confira as restrições da segunda quarentena que começa hoje em Alagoas

  • Redação
  • 19/03/2021 10:03
  • Cidade

Começa nesta sexta-feira (19) a segunda quarentena com medidas mais rígidas  para conter o aumento da contaminação pelo vírus da Covid-19 em Alagoas. Diferente do primeiro isolamento, decretado há um ano em todo estado, as novas medidas foram flexionadas para atender alguns setores e evitar aglomeração. 

Neste final de semana, lojas de rua, galerias, comércio e shoppings ficam sem funcionar, assim como os bares e restaurantes que deverão atender aos clientes somente pelo sistema de delivery.  O sistema "pegue & leve" deverá cumprir, ainda, a determinação da restrição de circulação de pessoas no período de 21h às 05h.

Os estabelecimentos desse tipo localizados no interior de hotéis, pousadas e similares poderão funcionar atendendo exclusivamente hóspedes.

Também ficam proibidos de funcionar e ser frequentados pela população durante os finais de semana praias, lagoas, rios e clubes. 

Além disso, a população terá que cumprir o toque de recolher que começa as 21h e segue até as 5h. Somente será permitido a circulação de pessoas em trânsito do trabalho ou para serviços essenciais como supermercados, farmácia e unidades de saúde. 

Veja as demais medidas: 

Comércio: funcionará das 9h às 17h (não funciona final de semana e segunda-feira)
Lojas de rua e galeria: 10h às 18h, sendo proibido o funcionamento aos sábados, domingos e segundas-feiras
Shoppings: funcionarão das 11h às 20h (não funciona final de semana e dia de terça-feira)
Academias: apenas com agendamento; capacidade de funcionamento de 30%
Salão de beleza: apenas com agendamento e capacidade limitada
Igrejas: funcionamento apenas com 30% da capacidade
Transporte intermunicipal e turístico: funciona com apenas 30% da capacidade 
Aulas: continuam normalmente
Bares e restaurantes - proibido o funcionamento
Praias, lagoas, rios e clubes - proibido o funcionamento aos fins de semana

Atividade física – Academias, clubes e centros de ginásticas poderão funcionar com 30% (trinta por cento) de sua capacidade, somente de segunda a sexta-feira, e sob agendamento de horário, sendo vedada a entrada de pessoas acima de 60 anos e pessoas que possuam comorbidades.

Salões de beleza – Barbearias e salões de beleza funcionarão com 50% de sua capacidade e agendamento de horário, vedado o seu funcionamento aos sábados e domingos. Não poderá haver filas de espera no local.


 

Idosos de 72, 73 e 74 anos serão vacinados a partir desta sexta-feira (19) em Arapiraca

  • Assessoria
  • 18/03/2021 17:35
  • Cidade
Foto: Ascom SMS
Campanha ofertou vacinação em três pontos fixos da Capital

A esperança de vitória contra a Covid-19 está na vacinação. Com esse foco, a Prefeitura de Arapiraca, através da Secretaria Municipal de Saúde, está ampliando o grupo prioritário, e os idosos com idades entre 72 e 74 anos receberão a primeira dose do imunizante a partir desta sexta-feira (19).

Arapiraca recebeu 3.200 doses de vacina, o que é suficiente para a imunização de todos os idosos inseridos no grupo prioritário. Sendo assim, não precisa haver pressa.

De acordo com a coordenadora de Doenças Imunopreveníveis de Arapiraca, enfermeira Mônica Suzy, a vacinação seguirá acontecendo no Sesc Arapiraca, de segunda a sábado, das 8h às 17h.

“É muito importante que todos os inseridos no grupo prioritário saibam que tem vacinas para todos, então não precisa ter pressa pois a vacinação não tem prazo para ser encerrada”, disse ela, que explicou ainda que novas estratégias estão sendo montadas para ampliar os locais de vacinação em Arapiraca.

Para se vacinar é só levar documento oficial com foto, CPF, comprovante de residência e Cartão Nacional de Saúde (CNS) atualizado.

Atualização do Cartão SUS
 

É importante ressaltar que para ter acesso aos imunizantes, o Cartão Nacional de Saúde (CNS) precisa estar atualizado com endereço de Arapiraca.

HE do Agreste registra recorde de altas de Covid-19 em um dia

  • Assessoria
  • 17/03/2021 21:46
  • Cidade

A semana começou com a esperança de dias melhores para 13 pacientes que se recuperam da Covid-19 no Hospital de Emergência do Agreste (HEA), em Arapiraca. O expressivo número de altas médicas foi alcançado no final da tarde da terça-feira (16).

A dona de casa Bernadete Barbosa, de 84 anos, passou 15 dias internada e deixou o hospital, no final da tarde da terça-feira (16), sob aplausos de familiares e profissionais de saúde do HE do Agreste.

Para a gerente-geral Bárbara Albuquerque, o empenho de todos os profissionais de saúde envolvidos no atendimento, com o apoio de familiares e amigos, foram fundamentais para que mais altas ocorram no menor espaço de tempo.

“O Governo de Alagoas, por meio da Secretaria de Estado da Saúde, continua investindo na abertura de novos leitos e aquisição de equipamentos no tratamento da doença, para que possamos seguir salvando mais vidas”, destacou. 

Centro de Arapiraca passará a funcionar de terça a sexta de acordo com novo decreto governamental

  • Redação
  • 17/03/2021 09:04
  • Cidade

Durante transmissão ao vivo realizada na tarde desta terça-feira (16), o governador anunciou mudanças relacionadas ao Plano de Distanciamento Social Controlado. A partir de sexta-feira (19), todo o estado entra na Fase Vermelha.

Sobre o comércio local, o decreto prevê mudanças no horário de funcionamento. Em Arapiraca, e em todo o resto de Alagoas, os estabelecimentos localizado no centro da cidade funcionarão de terça a sexta-feira, das 9h às 17h.

As lojas que ficam nos bairros funcionarão de terça a sexta-feira, das 10h às 18h.

Shopping

Já o Arapiraca Garden Shopping passam a fechar, além do sábado e domingo, também às terças-feiras, passando a funcionar na segunda e de quarta a sexta.

Segundo o governador, o objetivo das mudanças é minimizar a proliferação do coronavírus, responsável pela pandemia vivenciada no mundo inteiro. A alternância de funcionamento entre os estabelecimentos do shopping é para diminuir a circulação de pessoas nos transportes coletivos municipais.

Outras mudanças

Além do horário de funcionamento dos estabelecimentos essenciais, o governador também informou que as academias e centros de ginástica poderão funcionar, em todo o estado, com 30% da capacidade total e sob agendamento. Pessoas com idade superior a 60 anos estão proibidas de praticar atividades físicas nesses ambientes.

Outra mudança do decreto estadual está relacionada aos transportes intermunicipais, que estão vedados temporariamente.

Novas vacinas

Durante a transmissão, o governador aproveitou para anunciar que ainda Alagoas está recebendo mais um lote de vacinas e ampliará a imunização para idosos com idades entre 72 e 74 anos.

Arapiraca registra 829 casos e 14 mortes por Covid em apenas uma semana

  • Redação
  • 15/03/2021 07:56
  • Cidade
Foto: Ascom/Prefeitura de Arapiraca
Centro de Arapiraca

De segunda-feira passada até este domingo (14) o município de Arapiraca registrou 829 novos casos de pessoas infectadas pelo Coronavírus, além de 14 mortes.

O último decreto estadual colocou Arapiraca na fase vermelha da pandemia. O crescente avanço da contaminação sobe em alta velocidade, na contramão do processo de imunização, que vem acontecendo a conta gotas não somente em Arapiraca, mas em todo o país.

Mesmo com as ações de conscientização e combate as aglomerações impostas pelo poder público, muita gente vem ignorando a doença e promovendo aglomerações em locais públicos e privados, a exemplo de chácaras e residências.

Enquanto isso, os hospitais de Arapiraca seguem praticamente lotados. De acordo com profissionais da área de saúde, caso não haja uma redução significativa no contágio, o município poderá enfrentar um colapso nos próximos dias.

Arapiraca registra fim de semana com movimento de pessoas reduzido no Centro

  • Redação c/ 7segundos
  • 14/03/2021 10:38
  • Cidade

O primeiro final de semana após o novo decreto do Governo de Alagoas, que colocou Agreste e Sertão na fase vermelha, foi de pouco movimento no centro da cidade de Arapiraca. 

De acordo com informações, a maioria dos lojistas seguem obedecendo o novo decreto e apenas um ambulante foi pedido para desarmar a barraca. O policiamento contou com o apoio do Centro de Formação e aperfeiçoamento de Praças (CFAP), do 3° BPM.

HE do Agreste abre 15 novos leitos para pacientes com Covid-19

  • Assessoria
  • 14/03/2021 10:36
  • Cidade
Imagem: Eduardo Anizelli/Folhapress
Equipe médica atende paciente com Covid-19

O Hospital de Emergência do Agreste HEA), situado no município de Arapiraca, recebeu 15 novos leitos exclusivos para tratamento de pacientes com Covid-19, dos quais cinco são de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e dez de enfermaria.

“Com o apoio da Secretaria de Estado da Saúde, começamos a receber novos leitos para o acolhimento a pacientes infectados pelo vírus, fortalecendo a nossa luta contra a doença", explicou a gerente-geral da unidade hospitalar, Bárbara Albuquerque.

O hospital passa a funcionar, agora, com 32 leitos de UTI e 60 clínicos, totalizando 92 leitos para o tratamento e cura da Covid-19.

Idosos acima de 75 anos começam a ser vacinados a partir de segunda (15) em Arapiraca

  • Assessoria
  • 11/03/2021 23:11
  • Cidade
Foto: Gustavo Moreno
Vacinação

oa notícia! A Prefeitura de Arapiraca, através da Secretaria Municipal de Saúde, vai ampliar o grupo de vacinação, incluindo idosos com 75, 76 e 77 anos de idade. A vacinação desse grupo terá início a partir desta segunda-feira (15).

De acordo com a coordenadora de Doenças Imunopreveníveis de Arapiraca, enfermeira Mônica Suzy, a vacinação seguirá acontecendo no Sesc Arapiraca, de segunda a sábado, das 8h às 17h, e ratifica que não precisa ter pressa, pois a vacinação será feita respeitando as medidas de prevenção.

“Estamos ansiosos para vacinar todos o mais breve possível, mas é muito importante que todos inseridos no grupo prioritário saibam que tem vacinas para todos, então não precisa ter pressa pois a vacinação não tem dia para acabar”, disse ela, que explicou ainda que novas estratégias estão sendo montadas para ampliar os locais de vacinação em Arapiraca.

Além dos idosos com idade a partir de 75 anos, também fazem parte do grupo prioritário, neste momento, os profissionais de saúde da linha de frente da Covid-19 – que, inclusive, já tomaram as duas doses da vacina -, além dos profissionais da Atenção Básica e Especializada com 50 anos ou mais, ou que estão afastados das atividades funcionais devido comorbidades.

Para se vacinar é só levar documento oficial com foto, CPF, comprovante de residência e Cartão Nacional de Saúde (CNS) atualizado.

Video: Rita do Peixe se emociona ao falar sobre prejuízos financeiros e demissões durante a pandemia

  • Adalberto Custódio
  • 10/03/2021 16:51
  • Cidade

A comerciante Rita do Peixe, proprietária de um antigo restaurante localizado no bairro Canafístula, em Arapiraca, gravou um vídeo lamentando os efeitos negativos que a pandemia vem causando em seu negócio.

O vídeo, que ganhou repercussão nas redes sociais, mostra a situação atualmente vivenciada pela maioria dos comerciantes, pequenos e médios empresários arapiraquenses.

Chorando e bastante emocionada, Rita do Peixe mostra o seu restaurante vazio, sem nenhum cliente em pleno horário de almoço, visto as determinações impostas aos municípios inseridos na fase vermelha do Estado de Alagoas.

Durante o vídeo, a comerciante também lamenta o fato de ter sido obrigada a demitir cinco funcionárias diaristas do seu estabelecimento, entre elas cozinheiras e atendentes.

“Eu preciso trabalhar, pois estou com cinco mães de família desempregadas. Isso dói no peito, pois o meu negócio é pequeno e não tive condições de mantê-las trabalhando. Assim como elas, eu também preciso sobreviver, pois sou mãe de treze filhos e nove netos”, clamou Rita do Peixe.

Covid-19

Arapiraca vive um dos momentos mais difíceis desde o início da pandemia. Com hospitais praticamente sem vagas, o número de casos positivos registrados cresce diariamente.

Detran: exames práticos para categoria B serão suspensos a partir da próxima segunda (15)

  • Assessoria
  • 10/03/2021 16:21
  • Cidade
Foto: Ascom Detran

Os exames práticos que seriam realizados nesta quarta-feira (11) e quinta-feira (12), nos municípios de Santana do Ipanema e Delmiro Gouveia, estão cancelados. De acordo com o Departamento Estadual de Trânsito de Alagoas (Detran/AL), as provas serão reagendadas automaticamente para os dias 15 e 16 de abril, respectivamente.

Em Arapiraca, as provas práticas de categoria "B" (carro) também serão canceladas a partir da próxima segunda-feira (15). A medida precisou ser tomada, em caráter excepcional, devido ao aumento no número de casos da Covid-19 e as restrições sanitárias adotadas nos municípios pelo decreto estadual n° 73.518, fatores que tornaram inviável a logística para a realização dos testes.

O Detran/AL preza pela segurança dos candidatos, servidores e de toda a população neste período de pandemia. Qualquer mudança posterior no cronograma de realização dos exames práticos de direção veicular em todo o estado será previamente divulgada pelos canais oficiais do órgão.

Campanha Arapiraca Legal nas Ruas: “A ideia é desaglomerar”, diz secretária

  • Assessoria
  • 10/03/2021 16:20
  • Cidade

A Secretária Rosa Lira, responsável pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Arapiraca, concedeu entrevista, nesta quarta-feira (10/03), para falar sobre a Campanha “Arapiraca Legal nas Ruas”. A conversa aconteceu dentro do Programa Comando 91, transmitido pela Rádio 91,5 FM.

Ela esclareceu os objetivos da campanha. “A ideia é desaglomerar esses ambulantes e diminuir os casos de covid-19, que estão crescentes. Colocar as pessoas em locais mais adequados, com mais acompanhamento da Prefeitura e passarmos por esse momento de pandemia”, disse.

“A associação dos ambulantes está com a gente nesse processo e a gente percebe que a grande maioria dos ambulantes querem [uma mudança], obviamente dentro de uma estrutura adequada e o que estamos fazendo é conversando um por um de acordo com sua necessidade”, frisou.

A Secretária também respondeu sobre a possibilidade de transferência dos ambulantes para área do antigo matadouro. “Essa possível mudança não tem nada a ver com o feirante varejista. Temos uma preocupação com o atacado, porque a feira hoje, desse setor, acontece no meio da rua. Alguns comerciantes da área já foram consultados e concordaram em trabalharem no local.”, esclareceu.

5º Centro de Saúde em Arapiraca vai passar a atender exclusivamente casos suspeitos de Covid

  • Assessoria
  • 07/03/2021 09:07
  • Cidade

O 5º Centro de Saúde de Arapiraca irá reforçar, a partir de segunda-feira, 08 de março, a rede de atendimento para Covid-19. A unidade terá os serviços remanejados para outros postos de saúde e passará a funcionar de forma semelhante à Unidade Sentinela.

A decisão foi tomada pela secretária municipal de Saúde, Luciana Fonseca, devido ao crescimento da demanda por testagem e atendimento de pessoas com suspeita de terem se infectado pelo coronavírus, conforme nota informativa divulgada pela prefeitura de Arapiraca neste sábado (06).

Com isso, Arapiraca passa a contar com três pontos de atendimento para a Covid-19: a Central de Triagem Iza Castro, localizada no Ginásio João Paulo II; a Unidade Sentinela, que funciona no 3º Centro de Saúde; e o 5º Centro, que passa a ser designado de Centro de Síndromes Gripais.

O atendimento no Centro de Síndromes Gripais será semelhante às outras duas unidades, com testagem, acompanhamento médico e, em caso de resultado positivo, medicação. O serviço será prestado pelos profissionais de saúde que já trabalham no pronto atendimento da unidade.

Enquanto isso, as duas equipes de agentes comunitários de saúde, sala de curativos, sala de vacinas e os outros serviços do 5º Centro, serão transferidos para a Unidade Básica de Saúde (UBS) do bairro Baixão, localizada na rua Antônio Marroquim.

Com a mudança, a administração de vacinas durante os finais de semana foi suspensa provisoriamente. Pacientes que agendam vacinação para os finais de semana, incluindo a antirrábica humana, deverão procurar a UBS do Baixão ou a mais próxima de suas residências na segunda-feira. E a vacina contra a Febre Amarela continua sendo ministrada às sextas.

A declaração de óbito ocorrido em domicílio passa a ser emitida, de segunda a sexta, pelos médicos das unidades de saúde de referência e do Saúde na Hora. Nos finais de semana, os médicos de plantão no Centro de Síndrome Gripal assumem esse serviço.