Bruno Levy

John Wick volta com sede de sangue na principal estreia da semana nos cinemas

Divulgação A4b176a2 56e0 4d7e a758 4e6edc4b5761 Keanu Reeves é John Wick

Um filme que revolucionou a ação nos últimos anos terá a estreia da sequência para esta quinta-feira, 16. Trata-se de John Wick: Um Novo Dia para Matar”, que já é um sucesso de crítica em todo o mundo.

O ator Keanu Reeves volta ao papel de John quando é forçado a deixar a aposentadoria mais uma vez por causa de uma promessa antiga e viaja para Roma, a Cidade Eterna, com o objetivo de ajudar um velho amigo a derrubar uma organização internacional secreta, perigosa e mortal de assassinos procurados em todo o mundo.

O primeiro filme foi uma surpresa para muitos, inclusive a mim, do quanto ele revolucionou as cenas de ação em toda sua duração. Reeves, que já revolucionou o gênero ficção científica Matrix, volta a ser o Neo, só que violento, sanguinário e sem sobretudo, a não ser um terno que parece ser bastante caro.

As cenas são gravadas na maioria das vezes de forma simples com uma câmera em um ponto fixo para que você não perca nem um segundo das acrobacias e tiros. Para se ter ideia, John mata nesse filme mais de 100 pessoas, à la Game of Thrones.

Além de Keanu Reeves, Um Novo Dia para Matar reedita a dupla Morpheus e Neo com a adição de Laurence Fishburne no elenco. Common (Cassian), Ruby Rose (Ares), Riccardo Scamarcio (Santino D'Antonio), John Leguizamo (Aurelio), Lance Reddick (Charon) e Bridget Moynahan (Helen Wick) completam o cast.

O blog recomenda a você, querido leitor, vá para o cinema curtir mais um excelente filme de ação desenfreada e com um enredo bastante interessante.

Confira o trailer:

 

 

Making a Murderer: O que deve ser apresentado na segunda temporada do documentário?

Ilustração C13ef7b0 55ad 4d4a a4a8 e9d2ed407441 Brendan Dassey e Steven Avery

Após a confirmação da segunda temporada de "Making a Murderer" na Netflix para este ano, várias perguntas foram feitas acerca do processo que envolve Steven Avery e Brendan Dassey de 2016 até os dias de hoje. Série documentário trata de um dos processos judiciais mais polêmicos e falhos da história dos Estados Unidos da América.

Antes de qualquer coisa, o documentário baseado em fatos ronda a vida de Steven Avery, morador de uma pequena cidade norte-americana chamada Manitowoc, no estado de Wisconsin, norte do país. Após ter passado 18 anos preso por um crime que não cometeu, ele consegue a liberdade devido a um exame de DNA que prova sua inocência. A história vira notícia e, quando está prestes a ganhar uma gigantesca indenização pelo Estado, Avery se torna o principal suspeito do assassinato da fotógrafa e jornalista Teresa Halbach.

Para quem assistiu a primeira temporada, pôde-se comprovar o incrível número de erros processuais aos que Steven e o sobrinho Brendan tiveram que passar. Da mesma forma, os erros se perduram até hoje, onde ele e o sobrinho foram condenados à prisão perpétua, sendo o primeiro sem possibilidade de condicional e o segundo com possibilidade de condicional apenas em 2048.

Dito isso, a vice-presidente de conteúdos originais da Netflix, Cindy Holland, informou em entrevista ao USA Today que "Laura e Moira [produtoras da série] estão em Manitowoc gravando regularmente e trabalhando na melhor história pra ser contada na próxima temporada. Portanto, está nas mãos delas. Poucas pessoas na Netflix estão por dentro dos detalhes do que temos até agora, porque queremos manter isso sob segredo absoluto", disse.

O projeto está sendo guardado a sete chaves e teorias começaram a surgir na internet. Através de pesquisas, fiz uma minúscula lista do que pode ser retratado na nova temporada de Making a Murderer. Confira:

 

Brendan Dassey

 

1. Soltura de Brendan Dassey

No dia 12 de agosto de 2016, a Justiça anulou a condenação de Dassey após o sucesso estrondoso do documentário. Segundo o juiz federal em Wisconsin, William Duffin, "a conduta do advogado de Brendan , então com 16 anos e com coeficiente intelectual limitado, é indefensável", disse o juiz. Na época do julgamento, Dassey foi pressionado por agentes da polícia, investigadores e pelo próprio advogado para dizer que assassinou Teresa e que não haveria problemas depois disso.

Ainda de acordo com o juiz, "os investigadores repetidamente afirmavam saber o que tinha acontecido no dia 31 de outubro e garantiram que Dassey não tinha nada com o que se preocupar", escreveu. "Essas promessas falsas repetidas, quando consideradas em conjunto com os outros fatores relevantes, violam a Quinta e a Décima Quarta Emenda", conclui Duffin.

Logo depois, exatamente no dia 14 de novembro de 2016, William Duffin pediu a soltura de Brendan da prisão, enquanto a Procuradoria apela de seu veredicto de agosto passado, que reverteu a condenação contra ele. Porém, dois dias depois, uma corte de apelações dos Estados Unidos impediu a libertação de Brendan Dassey, enquanto aguarda o resultado de um recurso à sentença de seu julgamento por homicídio. Até a publicação desta matéria Brendan ainda não foi julgado novamente.

 

Steven Avery e Joseph Evans Jr.’s

 

2. Steven realmente confessou o assassinato?

Um ex-colega de cela de Steven Avery, Joseph Evans Jr.’s, que é acusado de matar a esposa em 2008, disse que Steven confessou a ele todos os segredos mórbidos do assassinato de Teresa Halbach, onde Avery teria, juntamente com o sobrinho, amarrado, estuprado, cortado os pedaços e queimado a vítima na fogueira. A suposta carta com a confissão de Avery bate com o depoimento de Brendan a polícia antes do julgamento realizado em 2007.

A informação publicada pelo site Rockfeller Advocate Case Reports foi de que Joseph e Avery estiveram juntos em 2010 em uma prisão da cidade de Bescobel, no oeste de Wisconsin. A carta divulgada pelo site contém nove páginas onde o detento diz que só foi publicada agora por conta do sucesso de Making a Murderer.

Confira a matéria completa clicando aqui.

 

Jodi Stachowski, ex-noiva de Steven Avery

 

3. Ex-noiva de Steven diz que ele não é inocente

Após defender com todas as forças de que Steven Avery não matou Teresa Hallbach, Jodi Stachowski mudou a opinião após um tempo em que os dois se separaram.

Em novembro do ano passado, Jodi contou ao canal americano HLN que não acredita mais na inocência de Steven após ele ter ameaçado a própria Jodi, família e amigos. "Ele é doente", disse a ex-noiva, alegando que o relacionamento dos dois era abusivo e que ela chegou a beber veneno de rato para se livrar dele.

Por fim, Jodi disse que Avery nunca admitiu o crime, mas que ele acreditava que todas as mulheres eram culpadas pelo erro onde Avery foi erradamento condenado em 1985.

Confira a entrevista completa:

 

 

Não sabemos o que vai ocorrer e os desdobramentos até a segunda temporada de Making a Murderer, mas há uma certeza quase que absoluta: serão mais dez episódios intensos do processo do Estado de Wisconsin x Stenven Avery.

Siga o blog também no instagram pelo @blogdobrunolevy

Pontos positivos e negativos da saída de Ben Affleck da direção de "The Batman"

Foto: Revista Empire Weekly 6955dc9c 1e02 4af6 8c72 b71a68ccb704 Ben Affleck desiste de dirigir "The Batman"

Após o anúncio da saída de Ben Affleck da direção do próximo filme solo do Batman, fica a pergunta: isso é bom ou é ruim? Na verdade são as duas coisas em diferentes pontos de vista.

A Warner Bros e DC Comics fizeram três filmes do universo compartilhado dos heróis, sendo o "Homem de Aço", "Batman vs Superman: A Origem da Justiça" e "Esquadrão Suicida", onde nenhum deles foi sucesso total de crítica e público. Os dois primeiros, por exemplo, dividiram opiniões de quem assistia e criticava, já o último foi um desastre total. E o que isso tem a ver com o homem-morcego? A recepção negativa que os filmes receberam impõe pressão a mais principalmente quando se trata de um filme com um personagem tão icônico como o Batman.

Ben Affleck além de ter sido escalado como diretor, ele também escreve, produz e é o próprio Bruce Wayne no vindouro longa, ou seja, é uma pressão enorme em cima disso. Logo, sua saída pode ser negativa devido a recepção da notícia durante uma madrugada que, pode ter sido comunicada após uma intensa reunião com executivos da Warner. Outro ponto negativo também se dá pelo último filme de Affleck, "A Lei da Noite", que rendeu mais de US$ 75 milhões em prejuízos para a empresa.

É óbvio que a imprensa americana persegue a DC Comics de maneira exagerada, com rumores negativos a todo o instante de pessoas que supostamente trabalham na Warner, o que complica mais ainda o trabalho. Affleck pode ter desanimado um pouco com o projeto após intensa pressão dos jornalistas para falar do Batman enquanto ele ia falar sobre seu projeto pessoal "A Lei da Noite".

 

 

Por outro lado, a saída de Ben da direção pode tirar um pouco da pressão e deixar o ator trabalhar melhor no roteiro. Dessa forma, grande diretores e renomados estão no páreo para produzir "The Batman". Matt Reeves (Trilogia atual de Planeta dos Macacos) e George Miller (Mad Max) são as melhores opções que a DC tem no momento. Ambos trabalharam em filmes incríveis e tem a genialidade e a visão necessária para comandar o homem-morcego.

Por outro lado, diretores com filmes menores como Matt Ross (Capitão Fantástico) e Gavin O'Connor (O Contador) seriam uma espécie de marionetes de Geoff Johns (Presidente da DC Films e co-roteirista do Batman) e Ben Affleck durante a produção do longa por não possuírem uma assinatura tão importante em suas carreiras. Logo, a responsabilidade seria dividida entre os três, minimizando os erros e criando diferentes pensamentos na produção.

Por fim, a última opção e a menos viável seria Denis Villeneuve (A Chegada), pois o diretor parece não se encaixar nesse mundo de filmes de super-heróis, principalmente se tratando do Batman. Villeneuve é um diretor maduro e excelente naquilo que faz. Caso ele aceite trabalhar em The Batman, seria uma conquista imensa da DC/Warner.

 

Matt Reeves, George Miller, Matt Ross, Gavin O'Connor e Denis Vlleneuve

 

Portanto, pode ser um ponto extremamente positivo da saída de Ben Affleck da direção e uma decisão extremamente madura do ator. Não é para qualquer um fazer um longa do Batman após a trilogia do Nolan e ainda produzir, escrever e atuar, como ele mesmo diz em um trecho em comunicado enviado ao site Hollywood Reporter: "Se tornou claro que não posso fazer os dois trabalhos no nível que é necessário. Com o estúdio, decidi buscar um parceiro em um diretor que colaborará comigo nesse filme grandioso"

Confira o comunicado completo de Affleck e da Warner diante da decisão:

"Certos personagens têm um lugar especial no coração de milhões. Interpretar esse papel demanda foco, paixão e a melhor atuação que posso dar. Se tornou claro que não posso fazer os dois trabalhos no nível que é necessário. Com o estúdio, decidi buscar um parceiro em um diretor que colaborará comigo nesse filme grandioso. Ainda farei isso, e nós faremos, mas atualmente estamos buscando um diretor. Continuo comprometido com o projeto e estou ansioso para dar vida ao filme para fãs do mundo todo".

"A Warner Bros. apoia totalmente a decisão de Ben Affleck e permanece comprometida em trabalhar com ele para dar vida ao filme solo do Batman".

Enquanto não se sabe quem será o novo diretor, "The Batman" tem estreia marcada para 2018 sem data definida. Até lá, os próximos filmes da DC são Mulher-Maravilha (2 de junho de 2017), Liga da Justiça (17 de novembro de 2017) e Aquaman (5 de outubro de 2018).

Confira o trailer da Mulher-Maravilha:

 

 

Siga o blog também no instagram pelo @blogdobrunolevy

"Resident Evil: O Capítulo Final": adaptação de games de maior sucesso do mundo chega ao fim

Divulgação 39df93b9 56c7 46b9 ad09 e9877c19e5fe Milla Jovovich é Alice

Chegou a semana em que estreia o último filme da maior franquia de filmes baseados em games de todos os tempos. "Resident Evil: O Capítulo Final" deve marcar o fim de uma era de 14 anos de sucessos nos cinemas.

A franquia, que começou lá em 2002 com a então jovem Milla Jovovich (Alice), não tinha pretensões nenhuma de se tornar um filme que arrecadasse tanto. Em cinco longas até o momento, Resident Evil arrecadou no total US$ 916 milhões em todo o mundo, podendo ultrapassar o bilhão neste fim de semana.

Mesmo com o roteiro vazado, excesso de trailers e comerciais e desgaste da franquia para muitos, O Capítulo Final tem tudo para ser a maior bilheteria da saga de Alice que já fez R$ 35 milhões só no Japão. Até o momento, Resident Evil: Afterlife é o filme com mais bilheteria (US$ 296 milhões).

 

 

Sobrevivente do massacre zumbi, Alice retorna para onde o pesadelo começou, Raccoon City, onde a Umbrella Corporation reúne suas forças para um ataque final contra os remanescentes do apocalipse. Para vencer a dura batalha final e salvar a raça humana, a heroína recruta velhos e novos amigos.

Eu, como fã da franquia, recomendo a todos os cinéfilos irem curtir o fim da jornada de Alice e da Milla Jovovich no cinema. O elenco conta com Ali Larter (Claire Redfield), Iain Glen (Dr. Isaacs), Shawn Roberts (Albert Wesker) e Ruby Rose (Abigail).

Confira o trailer final legendado de Resident Evil: O Capítulo Final

 

 

Siga o blog também no instagram no perfil @blogdobrunolevy

"Star Wars: The Last Jedi": novo título do Episódio VIII traz diversas teorias à tona

Ilustração 4f43b10d d8aa 4efd b1fe 744e5313ade1 Novo título de Star Wars

Após a divulgação da Disney/George Lucas do novo filme da franquia Star Wars ser divulgada na tarde desta segunda-feira, 23, diversas teorias começaram a ser criadas pelos fãs.

Com o título "Star Wars: The Last Jedi" (Star Wars: O Último Jedi, em tradução literal) abriu-se um leque de possibilidades para o vindouro Episódio VIII da franquia. Uma das teorias e a mais acreditada até o momento, pode ser a morte de Luke Skywalker (Mark Hamill) após os ensinamentos completos de como ser uma Jedi a Rey (Daisy Ridley).

De certa forma, como o título oficial no país ainda não foi divulgado, pode ser que não haja nenhuma morte no próximo filme caso o longa no país se intitule "Star Wars: Os Últimos Jedi". Sendo assim, Ray e Luke partiriam para uma aventura intergaláctica sem uma tragédia tão significante como a morte de Luke.

 

Luke Skywalker (Mark Hamill)

 

Outra teoria é que Rey não escolha continuar sendo Jedi, já que em "O Despertar da Força" ela sempre renegou ser uma guerreira até o clímax do terceiro ato do filme. Porém, acredita-se ser uma teoria difícil de acontecer, visto que Daisy Ridley conseguiu conquistar o coração dos fãs como uma Jedi.

Outras teorias

Para complementar o post, há também teorias fora do espectro do nome do filme e mais para a misteriosa identidade de Rey. Um bom exemplo é de que ela possa ser uma Kenobi. No Episódio VII, Rey ao tocar no sabre de luz pôde ouvir a voz de Obi-Wan dizendo: "Rey, esses são seus primeiros passos".

Outra hipótese bastante discutida é que Rey é simplesmente a reencarnação do Escolhido, assim como aconteceu com Anakin Skywalker. Logo, essa seria uma conexão familiar entre Rey e Luke, confirmando uma teoria talvez bem óbvia.

 

Rey (Daisy Ridley)

 

Por fim, qual seria a identidade do Líder Snoke? Nos fóruns e afins, Snoke seria Ezra, o protagonista de "Star Wars: Rebels" ou até o Mestre Windu. Absurdas ou não, só saberemos de tudo isso em dezembro, mês de estreia de Star Wars: The Last Jedi.

E você, querido leitor, em qual teoria mais acredita. Não deixe de comentar para discutirmos. Não deixe também de seguir o blog no Instagram pelo @blogdobrunolevy.

Arrepie-se com o teaser do Episódio VIII:

 

 

Novos trailers de Logan e Power Rangers são de arrepiar; confira

Reprodução 16764cda 25b8 49d0 ba8a 6f8e995980db Logan

Hoje está sendo um ótimo dia para ser cinéfilo, não acham? A Fox e a Lionsgate divulgaram os trailers de Logan e Power Rangers, respectivamente, nesta quinta-feira, 19, e são de explodir a cabeça.

Já não bastasse o magnífico primeiro trailer de Logan ao som de Hurt, de Johnny Cash, a Fox divulgou o segundo nesta madrugada. Desta vez, o trailer foca mais na arma X-23 (Dafne Keen), que substituirá Hugh Jackman nos vindouros filmes dos X-Men. A química entre a dupla é muito boa, além da inquestionável presença de Patrick Stewart, o Professor avier, como o fio condutor.

Sangrento, pesado, emocionante e imponente, Logan pode ser o melhor filme do ano, como comentei em posts anteriores aqui no blog. Basta assistir o trailer e ter a certeza disso:

 

 

O filme também conta com Boyd Holbrook (Donald Pierce), Stephen Merchant (Caliban) e Richard E. Grant (Dr. Zander Rice).  A direção é de James Mangold (Wolverine: Imortal). A estreia está marcada para o dia 2 de março nos cinemas brasileiros.

 

Power Rangers

 

Para completar a nostalgia e a pura nerdice que vivemos no cinema, a Lionsgate também divulgou o segundo trailer de Power Rangers. Não poderia ser diferente, está incrível!

Mesmo com muitas mudanças para atingir o público que hoje é adulto, o filme deve entregar uma mistura de Homem de Ferro com os gigantes do Círculo de Fogo. O visual está incrível e os megazords, mesmo com pouco tempo de tela, devem ser o ponto forte da nova franquia.

O hype para este filme segue alto, mas ainda é uma dúvida já que a maior parte do elenco é de desconhecidos. Ah, bom lembrar que pudemos ver pela primeira vez Bryan Cranston como Zordon.

 

 

Elizabeth Banks (Rita Repulsa), Dacre Montgomery (Jason Lee), RJ Cyler (Billy Cranston), Naomi Scott (Kimberly), Becky G (Trini Kwan) e Ludi Lin (Zack Taylor) integram o elenco. A estreia de Power Rangers está prevista para o dia 23 de março e a direção é de Dean Israelite (Projeto Almanaque).

The Discovery: suspense da Netflix trata da descoberta de "para onde vamos após a morte?"

Reprodução A444cc2b 8eb0 4439 8652 af0157a12759 Jason Segel em "The Discovey"

A Netflix disponibilizou o trailer do filme "The Discovery" (A Descoberta, em tradução literal) que me chamou bastante atenção. Claro, quase 90% de conteúdo original que a Netflix produz a qualidade é sempre surpreendente,.

Primeiramente, do que se trata o filme? Esse talvez seja o maior trunfo. "Um ano após a existência da vida após a morte ser comprovada cientificamente, milhões de pessoas recorrem ao suicídio para chegar lá. Um homem e uma mulher se apaixonam nesse cenário nada propício ao amor enquanto tentam aceitar as suas próprias tragédias pessoais e descobrir a verdadeira natureza do pós-vida."

Já imaginou o quão bom pode ser a vida após a morte? Afinal, as pessoas tomaram medidas extremas para chegar nesse ponto: o suicídio. E se isso acontecesse na vida real? E se a ciência desvendasse um dos maiores mistérios da humanidade? Para onde vamos? Para um limbo? Para o paraíso? Reencarnamos?

É importante salientar também o elenco que compõe Discovery. Rooney Mara (Carol), Jason Segel (How I Met Your Mother), Robert Redford (Conspiração e Poder) , Jesse Plemons (Ponte dos Espiões) e Riley Keough (Docinho da América). A direção é de Charlie McDowell (Complicações do Amor).

 

 

Sim, o nosso eterno Marshall estará no longa e quero ver como ele vai se sair em um filme de suspense com um enredo tão forte. A fotografia está excelente e a trilha do trailer é bastante chamativa com a canção "Only the Lonely", de Roy Orbison (Aquele mesmo de "Pretty Woman").

Concorrente no Festival de Sundance de 2017, resta agora esperar até o dia 31 de março quando a Netflix disponibilizará The Discovery em seu catálogo. Até lá, basta nos contentarmos com o trailer:

 

 

Crítica: Assassin's Creed é o melhor filme adaptado de games até o momento

Reprodução F30d74c8 c7c3 4b24 be39 9a16dc19c310 Assassin's Creed (2016)

ESTE TEXTO CONTÉM SPOILERS!

É inegável que a crítica "especializada" odeia filmes advindos de franquias de games e histórias em quadrinhos e, dessa forma, o cinema acaba não se modernizando aos outros tipos de culturas que predominam e que fazem as empresas sobreviverem: os blockbusters.

Desta vez, mais um exemplo do "preconceito" contra os blockbusters veio à tona de Assassin's Creed que estreou na quinta-feira, 12, nos cinemas brasileiros. Um conclusão já pode ser tirada, é sim a melhor adaptação de games até o momento. Assassin's Creed tem uma história profunda e sem complicações para quem não é fã ou quem nunca jogou o game que rende milhões todos os anos para a Ubisoft.

A trama tem Callum Lynch (Michael Fassbender) que possui um ancestral  guerreiro chamado Aguilar, morto há mais de 500 anos na época da inquisição espanhola. O guerreiro fazia parte de um grupo chamado "Credo dos Assassinos", de mesmo nome do filme. Eles são responsáveis por proteger a Maçã do Éden dos Templários. O objeto é capaz de controlar o livre arbítrio e está perdido nos tempos atuais.

Então a Animus, através da Dra. Sophia (Marion Cotillard), cria uma espécie de máquina que faz Callum relembrar memórias de Aguilar atá o momento em que ele vê a Maçã do Éden pela última vez.

 

.

A premissa é bastante simples e muito bem executada. O diretor australiano Justin Kurzel (Macbeth: Ambição e Guerra) fez questão de simplificar o máximo possível numa história totalmente nova de Assassin's Creed sem perder a essência e a complexidade dos games, e isso é um trunfo. Um exemplo disso é a máquina que leva Callum rever as memórias de Aguilar e a mistura das cenas de ação, que são incríveis, do passado com o que ocorre no presente.

Outro ponto extremamente positivo foi a trilha sonora que causou arrepios em quem assistia o filme e que se encaixou nas cenas de luta, parkour e nas horas mais calmas. Jed Kurzel, que é irmão mais velho de Justin Kurzel, realizou um belo trabalho à frente das músicas do filme, redimindo-se das trilhas apresentadas nos trailers do longa que não agradaram tanto o público.

Os pecados do filme, mesmo que isso possa parecer um trocadilho, foi a bagunça dos enquadramentos das câmeras, um 3D que não possuía uma constante e oscilava bastante e o excesso de fumaça que atrapalhava a visão de quem estava assistindo. Os diálogos foram um caso a parte: bastante fracos e muito explicativos, sendo desnecessário em alguns momentos.

Mesmo assim, para quem estava com expectativa abaixo devido às massacrantes críticas deve sair surpreendido. Assassin's Creed não é lá uma obra-prima, mas também não é tão horrível assim. Foi assim com Warcraft e também será com os vindouros Tomb Raider, Uncharted e Resident Evil: The Final Chapter.

Uma dica: vá ao cinema e tire as próprias conclusões.

 

 

Game of Thrones pode ter mais de sete episódios no sétimo ano da série; é uma boa?

Ilustração B5682b39 35c7 4d4e bf0f c197107a0fde Tyrion Lannister

A série com maior número de prêmios de todos os tempos, Game of Thrones, pode ter mais episódios do que o esperado. Inicialmente, a sétima temporada teriam sete episódios e a oitava temporada teria seis.

De acordo com o presidente de programação da HBO, Casey Bloys, os produtores David Benioff e D.B. Weiss ainda não fecharam um número exato de episódios para a conclusão da série. "Eles ainda estão pensando pois estão tentando chegar à forma da temporada. Eles sempre fazem o que levará a melhor versão do programa, tudo é uma questão de com quantos episódios eles ficam confortáveis. Mas eu faria mais", disse o presidente.

A HBO sabe que Game of Thrones é uma mina de ouro na TV e em produtos licenciados, deixando no ar a possibilidade da série ter mais tempo em tela. Será que seria realmente uma boa ter mais episódios do que os 13 restantes?

Bom, o que se sabe é que Game of Thrones volta no segundo semestre com novos episódios. Segundo Liam Cunningham, ator que vive Ser Davos na série, a oitava temporada começaria a ser rodada ainda neste ano.

Logan, Deadpool, Legion e continuação de Apocalypse; confira o que vem por aí

Reprodução A537688e 94fb 4c58 ac03 0fdb1c07e28c Universo X-Men

O universo dos X-Men não para de se expandir em todos os meios de entretenimento e várias novidades envolvendo os mutantes foram divulgadas nesta semana, incluindo a sinopse oficial de Logan, um dos filmes mais esperados de 2017. Confira:

Logan

Hugh Jackman publicou no twitter pessoal a sinopse de Logan. O longa terá um plot muito parecido com a adaptação dos quadrinhos de “Old Logan”, mas deve se diferenciar bastante devido aos direitos autorais de propriedade da Disney.

“Em um futuro próximo, um Logan cansado cuida do adoentado Professor X em esconderijo na fronteira Mexicana. Mas as tentativas do Logan de se esconder do mundo e seu legado terminam quando uma jovem mutante chega, sendo perseguida por forças das trevas”.

 

Twitter pessoal de Hugh Jackman

 

Logan estreia dia 2 de março em todos os cinemas.

Legion

Pela primeira vez o universo dos mutantes vai para a TV em forma de série live-action. Legion, ou Legião, será transmitido pelo canal FX com estreia marcada para o dia 9 de fevereiro no Brasil, às 22h.

Entretanto, o universo dos X-Men na TV para por aí. Segundo a produtora da série, Lauren Shuler Donner, em entrevista ao Collider, ela garantiu que não há interesse em seguir os passos da CW ou Netflix, e sim apenas deve focar em contar boas histórias com personagens que não seriam apresentados no cinema. Jeph Loeb, presidente da Marvel Television, completou a fala afirmando que a ideia é falar sobre um personagem ao invés de definir o seriado pelos poderes ou por ser uma adaptação de quadrinhos: "Há muitas histórias que vão além de salvar o mundo".

“David Haller (Dan Stevens) é um jovem perturbado que pode ser mais do que apenas um humano. Desde da adolescência, David luta contra problemas mentais e foi diagnosticado com esquizofrenia, sendo submetido a vários hospitais psiquiátricos ao longo dos anos. No entanto, depois de um estranho encontro com um dos outros pacientes, ele se depara com a possibilidade de que as vozes que ele escuta e as visões que tem podem ser reais. Prestes a desistir de descobrir o que há de errado, ele acaba conhecendo a garota dos seus sonhos.” Nos quadrinhos, Haller é o filho do Professor Xavier.

Confira o trailer da série:

 

X-Men: Supernova

A Fox está trabalhando em um novo filme da franquia dos mutantes. Uma listagem do site de produções cinematográficas My Entertainment World revelou que a continuação de X-Men: Apocalipse deve se chamar X-Men: Supernova.

Dessa forma, o título sugere que a história deve adaptar novamente a saga da Fênix Negra, que é quando Jean Grey, já transformada na quase onipotente Fênix, perde o controle de seus superpoderes e transforma-se numa ameaça ao universo. A primeira adaptação ocorreu em X-Men: O Confronto Final, na primeira trilogia.

 

Listagem divulga nome de possível novo filme dos X-Men (Foto: My Entertainment World)

 

Até o momento o filme não foi anunciado oficialmente e nem possui previsão de estreia.

Deadpool 2

Três personagens que apareceram no primeiro filme do Mercenário Tagarela devem voltar para a continuação. Em entrevista ao Collider, os roteiristas Rhett Reese e Paul Whernick confirmaram a volta do Colossus e Negasonic Teenager Warhead.

Os mesmos roteiristas participaram de uma entrevista com os fãs pelo Nerdist e eles confirmaram também a volta do taxista Dopinder. No filme, ele recebeu conselhos amorosos do Deadpool em uma viagem de táxi.

 

Dopinder e Deadpool (Reprodução)

 

Deadpool 2 será dirigido por David Leitch (De Volta ao Jogo) e tem estreia prevista para março de 2018.

Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 comercial@cadaminuto.com.br
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 cadaminutoalagoas@hotmail.com