Blog do Vilar

PTB entra com ação contra PSD de Kassab

O PTB – do deputado federal João Lyra e do senador Fernando Collor de Mello – pode ser a pedra no sapato do prefeito Gilberto Kassab (sem partido) na luta pela criação do PSD. O partido entrou com uma ação, no Tribunal Regional de Santa Catarina, para suspender a coleta de assinaturas para a criação da nova sigla.

A ação – apesar de ser em Santa Catarina – atende a um desejo já expresso do presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson. Ele inclusive ameaçou ir atrás dos mandatos dos petebistas que – por ventura – partirem para o PSD na cruzada kassabiana. Jefferson cita – como se não bastasse – o próprio Lyra nominalmente.

João Lyra pretende ser o presidente estadual do PSD, que tem até setembro para se consolidar, caso queira participar do pleito de 2012. Em Alagoas, a saída de Lyra no PTB incomoda Fernando Collor de Mello.

Já para o deputado federal, em territórios petebistas tem muito cacique para pouco índio e por isto, é necessária nova sigla. Lyra traria com ele o prefeito de Maceió, Cícero Almeida (PP), além do deputado estadual Dudu Holanda (sem partido) e outros políticos.

A ação do PTB se soma a outras já existentes do Democratas para impedir a nova sigla. O PTB usa a tese, já explicada por Roberto Jefferson, de que o PSD já teria existido e fundido com os petebistas em 2002, não sendo um partido novo. Como se não bastasse, a ação acusa a coleta de assinatura de eleitores já mortos, como constatado em Santa Catarina, e – por esta razão – lá é o palco da ação.
 

Estou no twitter: @lulavilar

O partido; corações partidos...

Tem partido que gostar de andar partido! Acabo de ler – aqui no Cada Minuto, em reportagem do Igor Castro – que o PTdoB pretende lançar o ex-deputado federal Alves Correia para disputar a Prefeitura Municipal de Arapiraca. O PTdoB – apesar de pequeno – é um partido com importantes espaços conquistados.

Tem dois vereadores em Maceió (Théo Fortes e Silvânia Barbosa), uma deputada federal (Rosinha da Adefal) e dois deputados estaduais (Ricardo Nezinho e Antônio Albuquerque). Há quem diga que Nezinho está de saída. Faz sentido diante dos interesses que tem o próprio parlamentar.

Pois bem, o lançamento de Alves Correia a candidato mostra o quanto o PTdoB é um partido... “partido”! Um de seus parlamentares (ao menos por enquanto) pretende apoiar o bloco capitaneado por Luciano Barbosa (PMDB), como já mostrado neste post, o que vai de encontro à decisão de ter candidato no campo da oposição! Mas, não é um fato isolado...

As posturas avulsas no PTdoB são sempre respeitadas e aceitas. Na Câmara Municipal, de um lado está Théo Fortes que compõe com a bancada governista; do outro está Silvânia Barbosa que não senta na mesma mesa que o prefeito Cícero Almeida (PP). Particularidades de um partido que deu aula de estratégia, em 2010 – sem juízo algum de valor. Lembram das costuras para levar Rosinha da Adefal para Brasília?

O deputado Maurício Quintella (PR) deve lembrar bem! Mas, isto é uma mostra clara do quanto vale fidelidade, estatuto ou norte ideológico dentro das agremiações. Os partidos – muitas vezes – são meras aglutinações de políticos que fazem cálculos na ponta do lápis sobre o caminho – de preferência traçado com tijolos de ouro – para se chegar a uma cadeira de mandato eletivo. É assim para 2012, para 2014, para 2016...e por aí vai...
 

Estou no twitter: @lulavilar

Sílvio Camelo acredita no improvável: recomposição entre Marina e PV

Maciel Rufino Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Silvio Camelo

Um dos líderes do Partido Verde em Alagoas, Sílvio Camelo, avaliou – na manhã desta quinta-feira, dia 07 – em conversa com este blogueiro – a saída de Marina Silva do PV. Para Camelo, é uma situação que ainda pode ser revertida dentro do próprio partido. Ele afirma sentir que – nas instâncias internas – é feito de tudo para que Marina Silva não deixe a sigla.

O vereador por Maceió vê em Marina Silva uma figura política que contribuiu e muito – sobretudo no último processo eleitoral, quando disputou a presidência e foi uma das responsáveis pelo pleito ter ido para o segundo turno entre José Serra (PSDB) e a eleita Dilma Rousseff (PT) – para o crescimento do PV em todo o país.

Em Alagoas, como maior referência nos cargos eletivos, o partido – ainda considerado pequeno, ao menos no Estado – tem duas cadeiras na Câmara Municipal de Maceió: o próprio Sílvio Camelo e Eduardo Canuto. “Nós faremos de tudo para ela não sair do partido. A história de vida de Marina Silva é um exemplo de ética na política. Marina Silva tem uma história que fala por si só. É um orgulho para o PV. Não acredito em sua saída”, colocou Camelo.

Nos bastidores políticos, a saída de Marina Silva é prevista para ser anunciada nesta quinta-feira, dia 07. Comenta-se ainda uma crise interna envolvendo o partido, em função de uma possível debandada de aliados. A imprensa nacional anuncia a desfiliação de Marina Silva em grande estilo, durante um evento em São Paulo, criando o Movimento Verde de Cidadania, que servirá de base para a criação de um novo partido. Uma reversão é praticamente impossível! Uma quimera acalentada pelo ambientalista alagoano.

Marina Silva sai depois de 20 milhões de votos conquistados. O evento-saída denominado “Encontro Para a Nova Política” vai ser um impacto no PV, em todas as suas instâncias, o que inclui Alagoas. Apesar do desejo de Sílvio Camelo, para os pevistas que possuem a mesma admiração pela expressão política da candidata à presidência pela agremiação só resta lamentar. O próprio Camelo lamenta: “Marina é o lado bom da política brasileira. Sua votação expressiva é reflexo disto. Ela foi colocada em uma lista internacional como uma das 100 pessoas com influência para mudar o mundo”.

O outro vereador do PV – Eduardo Canuto – é mais realista em suas colocações e na aceitação do fato. “Eu vejo a saída da Marina Silva como uma grande perda para o partido do qual faço parte. A visibilidade política que o PV teve com a vinda da Marina Silva é inegável. O partido cresceu muito. Marina Silva representa a bandeira que vejo no partido, da defesa do meio ambiente e das minorias. Ela contribuiu e muito com o PV”, resumiu Canuto.

 

Estou no twitter: @lulavilar
 

PPS terá grandes desafios em Arapiraca

O PPS pretende entrar de sola nas campanhas de 2012 nos municípios alagoanos, para buscar o crescimento do partido em Alagoas. Em duas cidades – contudo – a atenção é especial. Em Maceió, apesar de fazer parte da base aliada do Palácio República dos Palmares, o dirigente Régis Cavalcante, já confidenciou – em entrevista antiga a este blogueiro – que a agremiação pretende participar do processo eleitoral lançando um nome.

O PPS ainda se reforça para disputar cadeiras na Câmara Municipal de Maceió. O partido quer mais de um. Entre os nomes que entram para a disputa está o de José Costa – que foi candidato ao Senado Federal, em 2010, pela chapa encabeçada pelo governador Teotonio Vilela Filho (PSDB), reeleito. A votação obtida por José Costa é considerada expressiva. Em uma boa coligação, teria chances. Há quem fale de um convite para a vereadora Silvânia Barbosa deixar o PTdoB e ingressar no PPS, que é o partido de seu marido: o deputado estadual Marcos Barbosa.

Da última vez que toquei no assunto com a vereadora – que tem sido uma das mais fortes expressões da oposição ao prefeito Cícero Almeida (PP) na atual legislatura – ela negou. Porém, o grande desafio do PPS está mesmo em Arapiraca. Apesar de ter um candidato expressivo, que é o atual secretário de Articulação Política, Rogério Teófilo, já enfrenta uma guerra que iniciou desde cedo. A candidatura de Teófilo vem sofrendo ataques, como já sofreu inclusive na Câmara Municipal de Arapiraca.

O deputado estadual Ricardo Nezinho (PTdoB), que já foi apontado como uma provável candidatura, afirma não disputar a majoritária e hipotecou apoio ao atual prefeito Luciano Barbosa (PMDB) e o nome que será escolhido por este. O deputado estadual Severino Pessoa (PPS) parecia não querer sair de cima do muro para dar seu apoio a Teófilo. Ele primeiro elogiou a administração de Barbosa e – deixou em entrelinhas – que o apoio ao candidato do PPS vai por necessidade de ser fiel ao partido.

Pelo lado peemedebista, o nome mais cotado é o do assessor de Barbosa, Yale Fernandes. Em Arapiraca, Teófilo contará com o apoio palaciano! Do lado de Luciano Barbosa, está o senador Renan Calheiros. Como disse em post anterior, na principal cidade do Agreste o assunto “eleições” é tema quente e recorrente!

 

Estou no twitter: @lulavilar
 

MCCE busca explicações de Almeida sobre declaração e aciona MP

CadaMinuto - Arquivo Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Prefeito Cícero Almeida

Se depender do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) a polêmica novela da declaração do prefeito Cícero Almeida (PP) na sessão da Câmara Municipal de Maceió vai ganhar mais um capítulo. Mesmo com a publicação da nota oficial da Prefeitura Municipal afirmando que Almeida não teria ofendido a bancada, nem insinuado que esta fique com parte das verbas federais destinadas capital alagoana, o MCCE vai pedir que o Ministério Público Estadual escute Almeida sobre o assunto.

Assim decidiu a coordenação do MCCE, que encaminhará um ofício ao Ministério Público Estadual nos próximos dias. A tática é semelhante a que foi feita com o vereador Ricardo Barbosa (PSOL), quando este falou – em tribuna – que haveria possível barganha envolvendo o sepultamento – na época – da Comissão Especial de Investigação da “máfia do lixo”.

O MCCE entende que a fala de Almeida foi sim direcionada à bancada federal. É o entendimento do movimento, registre-se. O posicionamento deste blogueiro, já consta nos postos abaixo. Para a coordenação do movimento, a única coisa que faltou na declaração do prefeito é o nome do parlamentar a quem ele teria se dirigido. O prefeito – por sua vez – nega qualquer tipo de ataque em sua declaração.

A frase de Cícero Almeida é: "...na propagação enganosa, em grandes momentos, o cara chega e coloca...é, eu coloquei R$ 70, R$ 80 milhões para a capital do Estado de Alagoas e ele quando chega lá, ele tira R$ 5 (milhões) e se dá por satisfeito. Mas, durante o processo político, ele propaga isso durante uma vida inteira". Para o MCCE a presença do verbo “tirar” na citação indica que parte do dinheiro fica em poder de alguém da bancada federal. Agora, eles querem que oficialmente, o MP indague ao próprio Almeida o que de fato ele quis dizer.

O MCCE já foi responsável por várias ações junto ao Ministério Público Estadual. Algumas com desdobramentos inesperados, outras não. Esperemos! Afinal, são tantas interpretações para tal declaração...
 

 

Estou no twitter: @lulavilar

Tumulto e longas filas: situação do recadastramento do TRE irrita autoridades

CadaMinuto - Arquivo Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Mauricio Quintella

A situação do recadastramento biométrico em Alagoas tem irritado até algumas autoridades. Hoje, foi dia de protesto. Todo mundo revoltado com a incapacidade da Justiça Eleitoral de realizar o dito recadastramento em Alagoas. Há pessoas que passaram mais de 10 horas em uma fila, conforme ligação recebida por este blogueiro.

Agora, o assunto passa a incomodar até ocupantes de altos cargos públicos que começam a se pronunciar. O secretário de Estado, Régis Cavalcante, por exemplo – em seu micro-blog – foi categórico: “o recadastramento eleitoral é um ato importante para a garantia do processo democrático; não pode ficar ao sabor de uma desorganização dessa”.

O deputado federal Maurício Quintella (PR) pretende – conforme ele mesmo anunciou – levar o assunto para a tribuna da Câmara dos Deputados, em Brasília, destacando o absurdo ao qual a população local está sendo submetida. “O que devemos todos é cobrar do Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas uma solução imediata para essa bagunça. Contem comigo”, avisa o parlamentar.

O vereador de Palmeira dos Índios, França Júnior, também entrou nos reclames. De acordo com ele, o recadastramento parece coisa de amadores. “Até criança jogando queimada se organiza e antever os problemas de forma mais eficaz”, destaca por meio da hipérbole! No mais, o recadastramento segue fazendo as suas vítimas em Maceió, que perdem o dia de trabalho e muitas vezes são obrigadas a chegar durante a madrugada para se ter acesso a uma das fichas.

Os três aqui citados servem de exemplo da imensa quantidade de reclamações que tomam conta das redes sociais.

Com a palavra – ou melhor: que tenha a resposta – o Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas. A Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Alagoas, como se pode ver em nota publicada já chegou a sugerir a suspensão do recadastramento! Aguardemos as cenas dos próximos capítulos. Por enquanto, a vítima dessa novela tem sido - única e exclusivamente - a população!

Estou no twitter: @lulavilar

Quem anda a incomodar Toninho Lins?

A orelha do prefeito de Rio Largo, Toninho Lins (PSB), deve “estar coçando”, como se diz no popular. O alcaide do município tem enfrentado denúncias graves, pelo menos em um semanário local, que o aponta em casos que vão de desmandos a espancamento. Se verdade ou não as supostas acusações, o tempo e a Justiça dirão...

O fato é que o prefeito acumula desafetos políticos. Alguns destes trabalham na confecção de um dossiê contra Toninho Lins. Um desafio para o prefeito que pretende ampliar seus domínios políticos, lançando a esposa – Isabelle Lins – candidata à Prefeitura de Messias, como já se espalha nos bastidores políticos.

Da Parte de Toninho Lins, seria um ataque a um grupo político de Messias. Mas, o dossiê contra ele não tem raízes no novo município que virou a menina dos olhos de Toninho Lins. As denúncias não brotam daquele chão. Uma fonte confidenciou a este blogueiro que o nascedouro está bem mais próximo de Lins do que ele de fato imagina (ou então já até mesmo pode estar sabendo)!

Em todo caso, uma dificuldade a mais para quem quer ampliar domínios políticos...
 

Estou no twitter: @lulavilar

Uma avaliação sobre o áudio de Almeida

Fiz uma atualização no post abaixo sobre a declaração do prefeito Cícero Almeida. Mas, acho que vale um capítulo a mais nessa história. Escutei o áudio e a frase que é dita pelo prefeito – em minha opinião – está distante da nota oficial emitida por sua assessoria. Ou seja, a nota da Prefeitura Municipal de Maceió, na visão deste blogueiro, não explica o que de fato o prefeito quis dizer.

É o meu entendimento. O que o prefeito de fato disse está longe do que é posto em nota oficial tentando explicar a polêmica criada. A frase de Cícero Almeida é: "...na propagação enganosa, em grandes momentos, o cara chega e coloca...é, eu coloquei R$ 70, R$ 80 milhões para a capital do Estado de Alagoas e ele quando chega lá, ele tira R$ 5 (milhões) e se dá por satisfeito. Mas, durante o processo político, ele propaga isso durante uma vida inteira".

O vídeo foi postado no Cada Minuto e pode muito bem ser conferida a frase dentro do contexto, para que o leitor fique livre para suas interpretações. Em minha análise, o prefeito de Maceió, Cícero Almeida ou foi muito – mas muito mesmo! – infeliz com as palavras, ou de fato fez uma crítica certeira e pertinente à bancada federal. Eu confesso que acredito na segunda hipótese: a da crítica direcionada!

Como disse no post anterior, ouvindo o áudio posso afirmar: o prefeito disse que alguém fica com R$ 5 milhões, ou – na melhor das hipóteses – tropeçou nas palavras ao querer dizer que o “cara” (leia-se parlamentar federal, que pode até ser um senador) só consegue trazer R$ 5 milhões dos R$ 80 milhões prometidos e passa a vangloriar isto a vida inteira. Quem passa a se vangloriar no processo político? Ora, alguém que mentiu dizendo que ajudava muito Almeida e o prefeito consentiu que este político mentisse, porque estava ao lado dele. Quem é?

Em qualquer um dos casos – como já afirmei abaixo – uma crítica pertinente e uma denúncia sobre as práticas da bancada federal - ou de pelo menos um membro da bancada – que não há como negar. A explicação oficial tentou colocar panos quentes, mas para mim o áudio deixa a intenção de bater na bancada federal clara. Que o leitor, como disse, faça sua avaliação ao escutar o áudio. Que seja livre para isto. E na pior das hipóteses, se de fato “alguém tira R$ 5 milhões”, é uma grave afirmação. Quem é esse alguém?!

Que foi direcionado a alguém da bancada, isso foi!

,

Enfim, o pronunciamento de Almeida

Importante – ainda que tardio – o pronunciamento do prefeito Cícero Almeida (PP) por meio de sua assessoria de imprensa para enfim estabelecer um posicionamento sobre a suposta declaração dada durante a sessão Parlamento na Praça da Câmara Municipal de Maceió. Importante, pois dá a versão oficial dos fatos.

Este blog fez parte do grupo de blogueiros e jornalistas que divulgou o assunto, sempre colocando como supostas declarações, pois – desde o princípio; quem leu aqui, viu – foi levantada a possibilidade de um mal entendido, inclusive colocando o que seria uma primeira versão da assessoria da Prefeitura Municipal, dada ao deputado federal Maurício Quintella (PR).

Porém, registre-se, que a imprensa em peso – após a nota – procurou o áudio da gravação, além de tentar ouvir o prefeito sobre a suposta declaração a um repórter. Como coloco, na matéria com Quintella, uma empresa de clipagem chegou a cobrar pelo áudio, mas diz que ele contém falhas na fala do prefeito.

Logo, busca sem êxito, ao menos para este blogueiro! Restou ouvir a bancada federal para saber se tinham acompanhado o assunto. Pelo menos dois deputados federais se pronunciaram com cautela, até então devida.

O prefeito nega ter insinuado que a bancada federal tenha ficado com parte dos recursos federais. Ele assegura que o que disse é que das emendas aprovadas – com cifras de R$ 80 milhões – apenas R$ 5 milhões conseguem chegar a Alagoas. Este blog sempre se posicionou – como ainda se posiciona – ressaltando como suposta declaração, sem aspeamentos indevidos. Ainda destacou, o tempo todo que era uma atribuída declaração, ou que poderia ser um mal-entendido.

Busquei ouvir o próprio prefeito, mas não consegui êxito!

O assunto tornou-se público e fora de controle, porque o início de tudo se deu no dia 30 de junho e só agora o prefeito se posiciona. Fui um dos que tratou do tema e tenho a consciência tranquila que – em momento algum – acusei o prefeito Cícero Almeida de ter dito o que quer que seja. O que cobrei, por meio dos meus textos, é o que se dá agora: um posicionamento sobre os recentes fatos ocorridos, desde a primeira entrevista que fiz com o deputado federal Maurício Quintella (PR).

Que – o parlamentar - de forma sensata buscou os mesmos esclarecimentos que eu buscava; e por – evidentemente – ter mais acesso, teve as explicações que aqui foram reproduzidas. Em todo caso, ressalto a importância de Almeida vir a público prestar a declaração que todos estavam em busca desde o dia 30, inclusive a própria bancada, não só jornalistas. Entendo as críticas feitas à imprensa e asseguro que de minha parte não houve outra intenção que não a de buscar o esclarecimento devido, seja de Almeida, ou da bancada.

Agora, é com o leitor – diante de todos os fatos expostos – fazer seu juízo de valor. Concordo inclusive que o jornalismo não pode se pautar pelo “quanto pior, melhor”, ou por perseguições. Quanto ao posicionamento de Almeida sobre o fato, está disposto no corpo do site Cada Minuto. Recomendo que os que acompanharam o caso, leiam, releiam e façam suas avaliações e considerações.

De um lado Almeida diz que não disse o que saiu nas notas; do outro lado: jornalistas que afirmam que ouviram do prefeito o que consta nestas pequenas matérias! Se a Secretaria de Comunicação diz possuir o áudio que – em definitivo – comprova a versão do prefeito dada somente agora, sugiro que esta gravação seja divulgada.

Eu faço questão de solicitá-la. Se tiver acesso, a colocarei no blog! Compromisso assumido, já que desde o início, tentei conseguir esse registro com diversas fontes.

 

Atualização: O vídeo foi postado no site do Cada Minuto! Aqui abaixo segue também no meu blog, como prometido. Tive acesso ao mesmo tempo que o site, mas só agora pude publicar. Fica aqui o registro para uma avaliação mais precisa por parte do leitor. Ouvindo o áudio, posso afirmar: o prefeito pode até não ter tido a intenção de dizer, mas que tropeçou nas palavras, tropeçou! Que o leitor possa fazer sua avaliação!

 

A frase: "Na propaganção enganosa, que é feita em muitos momentos, o cara chega e coloca...é, eu coloquei R$ 70, R$ 80 milhões para a capital do Estado de Alagoas e ele quando chega lá, ele tira R$ 5 (milhões) e se dá por satisfeito. Mas, durante o processo político, ele propaga isso durante uma vida inteira".

 

Bom, com a declaração ouvida e com o áudio, ou o prefeito disse que alguém fica com R$ 5 milhões, ou disse que o "cara" só consegue trazer R$ 5 milhões dos R$ 80 milhões prometidos e passa a se vangloriar isto a vida inteira. Em qualquer caso, uma crítica pertinente à bancada, que não há como negar! Em todo caso também - na minha avaliação - distante da explicação da nota oficial. Com a atualização - como prometido - faço meu juízo de valor, após ter ouvido o áudio!

Estou no twitter: @lulavilar
 

As apostas no nome de Lessa, em 2012

Os peemedebistas alagoanos estão na espera do senador Renan Calheiros – principal nome do partido – bater o martelo para definir os rumos das eleições de 2012 na capital alagoana. De acordo com um dos mais próximos a Calheiros, grande parte aposta no nome do ex-governador Ronaldo Lessa (PDT), na costura da chapa. Ao menos, é o que espera o político local que diz que “Renan não quebrará a aliança que costurou com o pedetista ainda nas eleições de 2010”.

Ronaldo Lessa avalia que sua candidatura – conforme informações de bastidores – depende muito mais de um grupo político do que dele mesmo. Ciente disso, continua próximo a Calheiros. O tabuleiro de xadrez, que tem o prefeito Cícero Almeida como uma das peças, ainda agrega Mozart Amaral, Galba Novaes e outros 10 partidos que cobiçam integrar uma frente única, que tem como dificuldade aglutinar os interesses individuais.

Há quem diga que o desconforto da bancada federal em relação às últimas (atribuídas) declarações do prefeito Cícero Almeida (PP) tenha feito com que o chefe do Executivo municipal seja visto de forma ainda mais reticente da que é visto costumeiramente, motivo pelo qual nunca se firmou na postura de cacique, mesmo com uma aprovação popular de fazer inveja a qualquer liderança política local. “Ronaldo Lessa ganhou as eleições em Maceió, no ano de 2010. Renan Calheiros não o deixaria de fora e sem direito a voz nestas composições”, colocou o político.

Almeida – por sua vez – quer ser parte ativa na indicação de seu sucessor. Quer mais: o apoio do senador Renan Calheiros, que esteve ao seu lado – na visão do prefeito – quando ninguém mais esteve. Há quem aposte ainda na candidatura de Galba Novaes (PRB). Para unificar o grupo, seria – na majoritária – Novaes e Ronaldo Lessa; Mozart Amaral e Lessa; Novaes e Amaral, enfim...combinações que estão na bolsa de apostas para sustentar o chapão! Para o peemedebista aliado de Calheiros, Ronaldo Lessa só perde o espaço e o “voto” do senador se ele mesmo quiser, ou ceder espaço!

 

Estou no twitter: @lulavilar
 

Comercial (82) 3313.6040 (82) 99812.2189 comercial@cadaminuto.com.br
Redação (82) 3313.2162 (82) 99664.2221 cadaminutoalagoas@hotmail.com