Em uma das cenas de “Budapeste”, a personagem Kriska (Gabriella Hãmori) diz que o húngaro é “a única língua que o diabo respeita”. No filme do diretor Walter Carvalho – de “Cazuza – o tempo não para” – é dentro das palavras do idioma que o ghost-writter José Costa (Leonardo Medeiros) cai em tentação.

Adaptado do livro homônimo de Chico Buarque, que faz uma participação quase afetiva em uma das cenas – O protagonista vive entre Rio de Janeiro e Budapeste, levado por trabalhos que necessitam do seu conhecimento em húngaro.

No país, que Costa diz que “pensava ser cinza, mas na verdade é amarelo”, o personagem se apaixona por Kriska. No Rio, segue igualmente fascinado, entre o amor e o ódio, por sua esposa, Vanda (Giovanna Antonelli). “Budapeste” mostra a paixão de um homem dividido em dois continentes e duas mulheres.

Rita Buzzar, responsável pela produção de “Olga” (1994), assina o roteiro do filme de Carvalho. As filmagens aconteceram no Rio e na cidade que dá nome ao longa.

O elenco também conta com as atrizes Paola Oliveira e Débora Nascimento.

“Budapeste” chega aos cinemas no dia 22 de maio.