O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic), Miguel Jorge, disse que o governo não deverá anunciar antecipadamente uma eventual prorrogação da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) que incide sobre veículos novos. A declaração foi feita hoje (26) durante o programa Bom Dia, Ministro. No entanto, acrescentou, tudo indica que a medida deverá ser estendida por mais alguns meses.

Segundo ele, esse tipo de antecipação seria desinteressante até mesmo para a indústria, “pois faria com que as vendas esfriassem”. Mas admitiu: “Tudo indica que a prorrogação possa ocorrer, mas a palavra final será do presidente [Luiz Inácio Lula da Silva], e ele ainda não decidiu”.

Os resultados da redução do IPI, segundo ele, foram muito positivos. "Antes de anunciar se vamos ou não prorrogá-la, precisamos avaliar de forma mais completa os impactos gerados a partir dela [redução]. Não só em relação ao número de vendas, mas também em relação aos impostos e os reflexos dessa redução nos empregos”, afirmou.

Miguel Jorge disse que já se manifestou contrário à prorrogação. “Agora, essa é uma posição que pode ser revista a qualquer momento”, completou.